fevereiro 12, 2011Sem categoria

A Verdade Sobre Alice no País das Maravilhas

2 Comentários

Todo mundo aqui conhece a verdadeira história de Alice no País das Maravilhas? A história já teve sua adaptação cinematográfica, dirigida por Tim Burtom e com um elenco espetacular, incluindo o Johnny Depp, mas muitas pessoas nem sabem quem é o autor! Então, vamos saber mais um pouco sobre esse livro que atravessou gerações e fez parte da infância de muita gente?
Alice no País das Maravilhas é uma obra escrita por Charles Lutwidge Dodgson, mais conhecido por Lewis Carroll, e teve a sua primiera edição lançada na Inglaterra em 1885, apresentando aos leitores um universo cheio de personagens curiosos, como o Chapeleiro Maluco, organizador de uma festa louca do chá, e a Rainha de Copas, monarca com predileção por decapitações. Mas, de onde veio tanta inspiração?
Além de referências ao contexto político da Inglaterra, como a relação entre a Rainha de Copas e a Rainha Vitória, alega-se que Lewis Carroll inspirou-se em pessoas que participavam de seu cotidiano, como Theophilus Carter, um vendedor de móveis excêntrico que é apontado como base para a criação do Chapeleiro.
Apesar de viver cercado por todas essas referências, não foi outra pessoa senão a menina Alice Pleasance Liddell, na época com apenas nove anos, quem inspirou o reverendo Lewis Carroll a criar a história.

A Alice real era a quarta filha do vice-reitor da Universidade de Oxford, Henry George Liddell, e seu primeiro encontro com Lewis Carroll ocorreu em 25 de abril de 1856, enquanto o autor fotografava a catedral de Oxford.

Deste encontro desenvolveu-se a amizade entre Carroll e a família Liddell – em especial Alice. E numa travessia de barco pelo Rio Tâmisa Carroll, percebendo o tédio das irmãs Liddell,  Lewis contou-lhes a aventura da jovem Alice, que após seguir um coelho apressado encontra o estranho País das Maravilhas. Para tornar a aventura familiar às ouvintes, ele utilizou elementos do cotidiano delas, sendo o próprio coelho um exemplo disso.
Um dos aspectos interessantes da história é que ela não surgiu como obra literária, mas de forma oral. Quando o livro foi publicado ele acrescentou novos capítulos, personagens, deixando a obra mais complexa. Graças a um pedido de Alice, as ideias daquela tarde transformaram-se num manuscrito chamado Alice’s Adventures UndergroundAs Aventuras de Alice no Subsolo, em tradução livre – e, posteriormente, originaram as duas obras que envolvem a menina: Alice no País das Maravilhas e Através do Espelho e o Que Alice Encontrou Por Lá.
Esse manuscrito, um presente de Lewia à musa inspiradora, acabou sendo vendido por ela anos mais tarde, quando a já adulta Alice precisou de dinheiro para manter sua residência após a morte do marido. A cópia rendeu um total de £15.400 e atualmente está guardada na British Library, a biblioteca nacional da Inglaterra.

Alice Liddell morreu em 16 de novembro de 1934 aos 82 anos, enquanto sua contraparte literária continua cada vez mais viva no imaginário das pessoas.

Fonte: Universos dos Livros

• Você pode ser interessar também por: Os Verdadeiros Contos de Fadas.

posts relacionados

Deixe seu comentário

2 Comentários

  • Ana Luiza Rosa
    09 abril, 2011

    adorei a postagem.. sou apaixonada com a história desde pequenina hihi.
    adorei a adaptação que fizeram pro cinema (:
    e as capas são lindas, a última é a melhor lol

    beijos,
    Ana
    Livros ao Meio Dia

  • Babi
    12 fevereiro, 2011

    Adorei a postagem!!

    Meme – mais pra desafio do que meme – lá no blog: http://a-viajante-dos-livros.blogspot.com/2011/02/meme-babi-por-katy-perry.html

    Bjss, Babi

  • Vídeos no canal

    @araphadoequalize
    © 2020 Equalize da Leitura • equalizedaleitura.com.brDesenvolvido com por