Irmandade da Adaga Negra, Resenhas, Universo dos Livros
Título: Amante Liberto
Título Original: Lover Unbound
Autor: J.R Ward
Ano: 2011
Páginas: 496
Editora: Universo dos Livros

Livro no Skoob | Download do Livro

A doutora Jane Whitman, chefe da equipe de trauma cardíaco, está a ponto de ir para sua casa ao final de seu turno como toda noite quando chega uma emergência ao centro médico; um homem que levou um tiro no coração. Enquanto Jane o examina, começa a abrigar a suspeita de que seu novo paciente, um homem de aspecto perigoso e sexy, não é de tudo humano. Enquanto se encontra em recuperação, o desconhecido não para de procurar o contato da doutora, pois parece que a presença da mulher o tranqüiliza. E ela, por sua vez, sente-se extramamente fascinada por ele. Jane não demora a descobrir que seu paciente não é outro, senão Vishous, a quem muitos chamam de «V», o vampiro mais inteligente da Irmandade da Adaga Negra. Mas o torturado passado deste homem levou-o a evitar todo tipo de intimidade com outro ser. A natureza de V o impede de deixar que alguém veja seu lado vulnerável, com exceção de Jane, pois tem a estranha sensação de que ela, e apenas ela, pode compreender…

Não é o meu livro preferido da série, mas esse em especial contém muitas informações que serão importantes para o decorrer dos outros livros. Então, sem mais delongas, vamos conhecer um pouco do Vishous.
Vishous é um membro da Irmandade que tem características peculiares: extremamente sensual, romântico, cavanhaque, cabelos negros, com uma tatuagem ao redor do olho que o diferencia, em uma das mãos um poder que mata qualquer pessoa que ele toque, mas que também lhe dar a capacidade de prever o futuro, mas não o dia do acontecimento – deixando – o torturado por não poder salvar as pessoas que ama -, além de ser o membro mais inteligente da Irmandade.
Em uma das suas saídas para caçar os Redutores, Vishous é atingido por uma bala no coração e não consegue entrar em contato com os Irmãos, para que possam busca – lo antes que algum humano veja seu estado. Porém, acontece o contrário e Vishous é levado para um hospital de humanos, correndo risco de colocar a identidade de todos a mostra, além dos problemas que ele teria para sair, caso amanhecesse. Todo o resto da Irmandade se junta para fazer o resgate de Vishous no hospital, mas lá a Doutora Jane que foi incumbida de cuidar do paciente que chegou gravemente ferido, já notou algumas diferenças no corpo de Vishous, que nunca em todos os seus anos trabalhando como médica de traumas no coração encontrou em nenhuma pessoa, características essas específicas para um vampiro. E ela se vê fascinada e encantada por esse homem tão sexy e de aparência tão distinta, tendo a certeza que sempre que está perto, ele se tranqüiliza, uma vez que mesmo inconsciente ele dá esses sinais. Quando os Irmãos conseguem resgata – lo, ele exige que levem junto a mulher que lhe devolveu de alguma forma a vida e então Jane se envolve em um mundo desconhecido.
Vishous vai se apaixonando por Jane aos poucos e descobre que essa é a sua shellan, a sua parceira, a mulher que o acompanharia para sempre. Mas, os segredos do seu passado o impedem a todo custa se envolver emocionalmente com ela, por que durante toda a sua vida, ele praticou o sadomasoquismo com varias mulheres, muitas vezes sem nem saber a identidade delas, fora seus relacionamentos com machos e toda a tortura que viveu até entrar na Irmandade. Nesse livro também conseguimos entender melhor sua relação com Butch, não só suas preferências em gostos, mas também que são a metade um do outro, a luz e a escuridão.
Não é o meu livro preferido da série por causa das cenas de sadomasoquismo expressos na leitura ou por causa da insinuação homossexual, mas por que não achei digno o final que a autora deu para Vishous. Creio que a história do V. é tão intensa e dramática quanto a do Z. e depois de tanto sofrimento que ele passou, de toda a tortura, ele encontra sua shellan e ela morre. E a Virgem Escriba, um ser muito bom como só ela é *ironiaemmodeon*, deixa Jane voltar como fantasma. Isso mesmo, um fantasma. Eu achei muito fantasioso, irreal, injustificável, até para uma história de vampiros. E que a Virgem Escriba fizesse a mulher voltar, ressuscitasse, fizesse qualquer algo do tipo, sei lá. Mas fantasma foi demais pra mim. Também não teve muitas cenas com os Redutores, apenas no começo, um pouco – bem pouco mesmo – no meio e no fim, para que acontecesse toda essa cena do fantasma aí.
Por outro lado, temos muiiitos pontos positivos: acabamos descobrimos mais informações sobre a Virgem Escriba. Eu já tinha meu pé totalmente atrás com essa mulher desde que ela castigou o meu Rhage, mas nesse livro meu ódio por ela só aumenta. E temos surpresas inesperadas relacionando ela e o Vishous… e outra personagem! E também tem o fato da narração voltar constantemente ao passado e assim mostrar a história do V. que é tão triste e depressiva quanto a do Z. Muitas vezes me sentia agoniada por estar lendo algo tão dramático, por que a minha vontade era de poder ajuda – lo.
Creio que muitas pessoas não vão gostar do livro, sim do V. que é um personagem encantador e cativante. E também tem o gancho para a história do Phury, que é o próximo livro, já que nesse ele ajudou V. em um grande dilema.

10 Comentários

  1. Adorei a resenha Raphinha!
    Mais vê se vc pára de escrever tão bem, pq ta só me matando de vontade de ler logo todos os livros da irmandade..
    *-*

    beijos,
    Ana
    Livros ao Meio Dia

  2. Caramba, Rapha!
    Eu TENHO que ler essa série!
    Mas não vai ser já… quero diminuir a pilha aqui primeiro.
    Aiiiii queroooooooo!

    Beijinho!

  3. Sora Seishin disse:

    Oi Rapha!!
    Esse é o último volume que foi publicado aqui?
    Acho que se meu namorado ver essa capa ele não vai querer que eu leia 😀
    Beijos

  4. Mayara disse:

    Vixe maria, resenha muito legal, haha 😀
    Mas, não sei se é o tipo de livro que eu leria, sei lá xD
    Apesar de pelo jeito, possuir uma personagem muito encantadora, *-*
    Parabéns pela resenha e o blog
    E pela sinceridade com que falou do livro :3

  5. realmente não é meu preferido, q final maluco!!!
    meu preferido dessa serie msm é o terceiro
    Zadist (L)

  6. Oi Rapha! Esse não parece ser tão bom quanto os outros, como pretendo ler a série toda vou ter que passar por ele, mas acho que não vou gostar porque parece ser muito surreal.
    Adorei a sua resenha que está cada vez melhor.
    Beijos.

    Rafa{Fascinada por Histórias}

  7. Vicky Doretto disse:

    É, esse não é meu favorito, mas eu até que gosto dele… rs Adorei a resenha *-*
    BJão =^.^=

  8. Aline Lopes disse:

    Eu não poderia deixar de comentar pois o V é o meu preferido! Só que me desiludi com este livro por causa daquele final…Mas vale por ser do meu maravilhoso Vishous!

  9. Xii!!! Espero gostar do livro apesar de não ser uns dos seus preferidos =/
    A resenha ta perfeita!!
    E essa capa nem se fala!!
    Simplesmente Ameii *—*
    Beijos
    Elidiane’

    Entre Amigas

  10. Caah Oliveira disse:

    Nossa, voce tem razão, o livro não é muito interessante, mas Vishous é o meu segundo guerreiro predileto, sendo que Z é o primeiro, eu fiquei apaixonada por sua intelegências, por seus olhos claros, e enlouqueci quando vi umas supostas fotos de como seria ele.

Todos os comentários passam por aprovação, antes de aparecerem aqui! Vamos ler e responder todo mundo com muito carinho!

Nome: Email: Website:
Protected by WP Anti Spam

Assista aos Vídeos
[wonderplugin_carousel id="2"]
Equalize da Leitura © 2010 - 2016 ♥ Todos os direitos reservados
Tema desenvolvido por Débora M.