Resenhas

Título: O Arquiteto do Esquecimento
Autor: Marcos Bulzara
Ano: 2010
Páginas: 478
Editora: Life Editora

Livro no Skoob

Agosto de 1991. Aos 66 anos de idade, Doran Visich se vê diante do maior dilema da sua vida. O homem que escapou milagrosamente dos campos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial e que sobreviveu a uma perseguição implacável durante a Guerra Fria, parece sucumbir diante da constatação irrefutável de que desta vez não poderá vencer. Será? O Arquiteto do Esquecimento revela os 113 anos de uma vida carregada de reviravoltas fantásticas. Único cientista capaz de decifrar o código químico para a criação de uma nova droga que irá revolucionar o mundo científico – uma droga capaz de apagar a memória humana -, o protagonista involuntariamente envolve-se num arriscado jogo da CIA que acaba culminando no assassinato do presidente John Kennedy. O livro viaja no tempo percorrendo o intervalo que vai de 1925 a 2038. Doran Visich cresce numa comunidade rural no interior da Polônia, enfrenta a crueldade dos campos nazistas, consegue escapar, refugia-se na Áustria, foge para os Estados Unidos e trabalha clandestinamente numa gigante farmacêutica enquanto busca desesperadamente se reencontrar com o seu passado. Quando a vida parece lhe sorrir, ele se vê obrigado a recorrer a um perigoso plano e mergulha num estado de coma que o “apaga” por quase meio século. Ao despertar ele terá respondidas as questões que transformaram a sua história. Quanto tempo alguém é capaz de esperar pela resposta que poderá mudar a sua vida? Doran Visich esperou quase 100 anos! O passado, enfim, revelará a verdade que ele não conhecia. A trama arrasta o leitor numa profusão de intrigas, perseguições, assassinatos, chantagens e reviravoltas impressionantes que conduzem ao final surpreendente. O Arquiteto do Esquecimento – uma história de ódio e perdão; de perseverança e regate; de esperança e salvação.

Eu recebi o livro pelo Book Tour do Selo Brasileiro. Confesso que era um dos que eu mais aguardava. Por quê? Eu já tinha lido sinopses sobre o livro e me interessei. E fiquei ainda mais curiosa quando descobri que o autor é publicitário. Sério, como futura publicitária, eu gostaria de saber como um dos meus se sairia escrevendo. E posso falar? Não deixou nada a desejar. Vou tentar falar um pouco do livro pra vocês, sem deixar spoillers pelo caminho.
Em O Arquiteto do Esquecimento, vamos conhecer a vida de Dorian Visich. Bem, primeiramente, vamos estar no presente, conhecendo a Constantine, que em uma madrugada recebe a ligação que ela esperou durante 50 anos… Então vamos voltar no passado, em uma série de flashbacks que em determinados momentos são mesclados com cenas do presente sem se perder em nenhum momento.
Conhecemos a infância de Dorian com sua família que era muito simples, sua inteligência aguçada, seu desejo por conhecer coisas novas, sua rotina em ajudar a família e como viviam felizes. Mas aí vem a guerra para destruir o lugar onde moravam, família, as pessoas que ele conhecia… sua vida. Seus pais foram mortos, seu irmão assassinado na sua frente e sua irmã ficou perdida em uma árvore, enquanto Dorian era levado embora, com uma única esperança: que a sua irmã Constantine – conhecida carinhosamente por Gorda – conseguisse sobreviver. Dorian foi enviado para um campo de concentração onde tinha várias outras pessoas que ali eram mantidas com brutalidade e sem nenhuma condição mínima de sobrevivência. Porém, com um pouco de sorte e tendo sempre a sua inteligência ao seu lado, Dorian consegue se manter vivo e ainda ganhar a confiança de um homem com grande influencia. Mas seu único pensamento, enquanto dia após dia se mantinha vivo era: preciso encontrar Constantine.
Mesmo depois do fim da guerra, a inteligência de Dorian sempre foi seu marco principal. Ele começa a ser disputado por duas grandes potências para o desenvolvimento de uma super droga que era capaz de algo nunca feito antes: uma droga capaz de fazer esquecer acontecimentos recentes. 
Ele se casa, tem um filha que dá o nome de Constantine e que recebe a ligação bem no início do livro. Mas nem nesse momento ele é feliz, já que sua mulher morre em um acidente, ele cria a filha sozinho e depois que ela cresce, começam a ter conflitos. Quando Constantine é seqüestrada, Dorian se vê em um grande dilema: salvar a vida da filha ou seguir a pista para encontrar a irmã depois de 50 longos anos de espera?
Eu adorei a capa do livro e junto o título. O Marcos conseguiu mesclar dor, alegria, amor, saudade, esperança, ficção cientifica, flashbacks em um livro e… ficou MARAVILHOSO! A única coisa que me incomodou um pouco foi a quantidade de detalhes em determinadas cenas. Eu gosto de detalhes, mas não tudo detalhadamente detalhado em pequenos detalhes. Sim, é mais ou menos isso. Mas, foi um livro que conseguiu mexer profundamente com o meu intimo, que me fez chorar na praça de alimentação do shopping enquanto eu esperava a hora pro trabalho e que fez duas pessoas perguntarem se eu estava bem. Foi o livro que fez ver o arrependimento, a tortura, sofrimento e angústia de vários ângulos. E quando eu pensei: “Por favor Marcos, não deixa mais o Dorian sofrer.” o autor sempre me surpreendia mais e mais. Não posso falar que todos os meus desejos foram atendidos, mas eu pelo menos não me decepcionei. E é isso que torna o livro diferente: seus personagens nem sempre terão um final feliz, mas o enredo consegue te cativar.
– Pai… – ela começou de novo em polonês. – A minha tia Constantine me pediu para lhe dizer algo. Ela pediu que eu lhe dissesse que não foi sua culpa aquele acidente com ela na infância. Ela me disse que caiu daquele barranco de propósito.
Página 463
Assim, uma coisa que eu senti muita falta foi de saber o que aconteceu verdadeiramente com a Gorda. Não sei se ele deveria ter contado no livro um pouco sobre tudo que ela passou quando ficou sozinha presa na árvore ou se um outro livro seria bacana. Apenas gostaria de saber, já que eu tenho certeza que o autor conseguiria me surpreender e emocionar mais uma vez.
Uma leitura mais do que recomendada.

12 Comentários

  1. Sora Seishin disse:

    Oi Rapha!!
    Até hoje, não li uma resenha que não falassse bem desse livro.
    Ainda não li, mas quero muito ler.
    Ótima resenha!!
    Beijos

  2. Mari Melo disse:

    Adorei a resenha, Raphaela! Me preocupei com a questão dos detalhes, também não sou fã, mas isso que você falou me atraiu muito:

    “…que me fez chorar na praça de alimentação do shopping enquanto eu esperava a hora pro trabalho e que fez duas pessoas perguntarem se eu estava bem.”

    Beijinhos, querida!
    Passa lá no blog, tem post novo!
    http://tiny.cc/dbvys

    CORREIO FELIZVROS #4:Cheio de novidades legais e muitos livros para futuras RESENHAS e SORTEIOS!

  3. Sthaelle disse:

    Que resenha linda!

    Fiquei morrendo de vontade de lero livro 🙂
    Também estou no BT do Selo Brasileiro e vou esperar muuito por esse livro!

    Seu blog é lindo, parabéns!

    Beijos
    Thata e os Livros
    http://thataeoslivros.blogspot.com/

  4. COMO ASSIM VOCÊ NÃO TÁ COM SAUDADE DO JACE?! O.O USHIAUSHAIUSHAISU’
    Na verdade eu não abandonei Cilada, é que a Novo Conceito me mandou livros e eu priorizo eles, então eu meio que pausei Cilada só, haha
    Eu achava o NS o rei do drama, ‘se é que você me entende’ (Landon Carter feelings, hehe) e que não ia gostar do livro mas é maravilhoso! *o*

  5. Considero esse livro um dos melhores que eu já li na minha vida. Foi a história que mais me comoveu e que mais me arrancou lágrimas. Assim, como você, não consegui conter as lágrimas em local público. E não foi um choro leve, foi forte, eu não conseguia me controlar de tão emocionada que eu fiquei.

    Realmente é bem detalhado, mas eu adoro isso, pois fica muito fácil imaginar cada detalhe e cenário.

    Sou fã do Marcos, e não vejo a hora dele lançar um novo livro.

    Beijinhos

    Ler e Almejar

  6. Raphiiiiiiitcha, adorei a resenha!

    OAdE é muuuuito bom, sabia que você ia gostar. Sim, ele é bem detalhado mas esse é um tipo de enredo que pede isso, é mais complexo. Bom, tentei levar por esse lado para que a leitura fluisse.

    Bjooo!
    http://www.itcultura.com

  7. Mandinha disse:

    Oi Rapha!

    Ainda não tinha lido nenhuma resenha desse livro, mas pelo visto vale a pena né?!
    Que bom que gostou do livro e que não se decepcionou! Não tem coisa melhor que terminar um livro com aquele gostinho de “satisfação” né? :D’

    Beijos.
    Amanda,
    Lendo&Comentando
    http://lendoecomentando.blogspot.com/

  8. Raissa Debora disse:

    uau! parece ser um livro bem forte hein?! Tomara que eu nao sofra mt com o personagem =/

    Preocupe nao que eu nao coloco spoiler nas minhas resenhas nao =D

    bju
    letracomasa.blogspot.com

  9. Dana Silva disse:

    Ola, parceria aceita e eu ja coloquei o banner do seu blog na seçao de parceiros, estou aguardando que vc siga o blog e me coloque na aba de parceiros tbm ok? bjs Dana – blog Feed your Head

  10. Ana C. Nonato disse:

    Olá!

    Muito boa a sua resenha crítica. Lerei em breve e é bom que eu analise os pontos que citou.

    Abraços!

  11. Gabi Lima disse:

    Olá!
    Muito legal a resenha.
    Estou na Booktour também e esse é com certeza um dos que eu mais espero ler.
    Já li várias resenhas e todas falam muito bem do livro.

    Bjss*
    gabi Lima
    http://livrofilmeecia.blogspot.com

  12. Oi Rapha!
    Este livro pra mim é novidade u.u
    Acredita que ainda não vi falar dele?
    E que beleza, mais um nacional pra gente 😀
    Que bom que gostou, fico muito feliz, participar de um book tour brasileiro quando os livros que enviam pra gente é bom, deve dar uma satisfação imensa, vendo como nossos autores estão crescendo!
    Gostei muito da resenha, parece ser realmente emocionante a história.
    Vou dar uma pesquisada.

    beijos,
    Ana Luiza
    Livros ao Meio Dia

Todos os comentários passam por aprovação, antes de aparecerem aqui! Vamos ler e responder todo mundo com muito carinho!

Nome: Email: Website:
Protected by WP Anti Spam

Assista aos Vídeos
Equalize da Leitura © 2010 - 2016 ♥ Todos os direitos reservados
Tema desenvolvido por Débora M.