junho 15, 2011Relatos de Uma Blogueira

[Relatos de Uma Blogueira] Estilo 007

18 Comentários

2009. Terceiro ano do Ensino Médio. Momento em que queremos aproveitar, bagunçar, extrapolar e eu claro, queria também.

Eu sempre estudei em escola pública. E na minha não era diferente: tinha uma biblioteca minúscula, com uma quantidade absurda de livros da época do papiro e que quase nunca era usada, mas sempre que eu encontrava algum livro que me interessasse – raramente isso acontecia – eu lutava para poder pegá – lo. Sim, por que juntamente com uma biblioteca minúscula, com livros da época do papiro, sempre que tinha um livro legal, tinha que praticamente mover a SWAT para conseguir lê – lo. Sim, era esse o meu tormento no terceiro ano do Ensino Médio.

Porém, todo ano em setembro, acontece a Feira do Livro de Brasília e o governo dá uma certa quantidade de verba para as escolas comprarem livros. Novinhos! *-* E os professores de português selecionavam alguns alunos para ajudarem nas compras. E eu estava no meio sempre. E o Deivison, meu amigo. Então, lá fomos nós e compramos livros MARAVILHOSOS! Todos os livros do Dan Brown, a coleção de Harry Potter, todos os livros da Saga Crepúsculo, Marley & Eu, A Menina Que Roubava Livros, A Cidade do Sol e mais um bando de livros legais que era tipo AAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHH!!! do momento.

Eu e o Deivison já procuramos saber com os professores quando os livros seriam catalogados, por que queríamos logo ler, né? Eis a resposta:

– Não podemos dar uma data definitiva, provavelmente entre dois dias a uma semana.

– O quê?! Uma semana para catalogar esses livros?

A professora não teve nem o respeito de me responder, por que a escola era uma zona mesmo. Esperamos pelos dois dias. Nada. Quatro, cinco, uma semana. Nada! Procuramos saber. No information. Mexemos nossos pauzinhos, enchemos o saco, falamos com professores, coordenadores, bibliotecários, diretor, vice – diretor, secretaria, ou seja, com a escola toda. E eles, depois de se cansarem, nos entregaram o tesouro: Eu e o Deivison pegamos as chaves da biblioteca! E a adrenalina começou!

– Cara, temos que ser rápidos! – falei.

– Caramba, como faz pra abrir isso aqui? – ele me pergunta, quando já estamos trancados por dentro, tentando olhar pelas brechinhas dos armários quais livros tinham lá dentro e ver se algum nos agradava. –  Tem As Crônicas de Nárnia!!

– Abre logo isso! Vão pegar a gente aqui dentro e estamos fudidos! – falei no que eu queria que fosse um sussurro. Por que eles deram as chaves da porta da biblioteca, pensando que os livros que queríamos estavam nas prateleiras, não que estávamos arromabando os armários.

Meu amigo começou a tentar abrir brechas com os dedos, enfiar canetas, descobrir o código e nada. Até um pedaço de ferro que era o pé de uma cadeira quebrada e estava jogado no canto ele pegou! HAHAHAH

– Você tem um grampo? – me pergunta de repente, depois de várias tentativas.

– O quê?

– Um grampo! Eu tenho certeza que com um grampo abre!

– Deivison, isso não vai abrir nunca com um grampo! – falei com cara de ‘Doww garoto!”– Isso só acontece em filmes!

– Vei, abre sim! Eu já fiz isso na minha casa.

Sem acreditar ainda, mas querendo provar que eu estava certa e ele errado, tirei um grampo que eu tinha no meu cabelo. Sim, eu tinha grampos no cabelo! Hdsuhdushudhs E para minha total perplexidade, ele gira a ponta do grampo dentro do cadeado e… ABRE!! Gente, eu sempre pensei que isso nunca fosse acontecer, mas acreditem, funciona! Começamos a rir descontroladamente, não acreditando nem por um minuto que tínhamos acabado de arrombar o armário com livros da escola. Fuxicamos todos os livros que tinha lá dentro.

– Bléh, não tem nenhum livro que eu quero aqui. – falei. O livro que ele pensou que fosse As Crônicas de Nárnia era um outro que não tinha interesse nenhum, nem pra mim, nem pra ele. – Vamos pro outro.

E assim fizemos, abrimos com UM grampo de CABELO quatro armários da biblioteca! Vocês conseguem me entender, certo? Eu só queria um bom livro pra ler! dhsudhsuhds Depois que terminamos com todos os armários, resultado: não tinha nenhum livro que queríamos lá dentro.

Voltamos a direção para entregar as chaves.

– Pegaram algum livro? – pergunta o Wagner, diretor da joça.

– Não, queríamos os livros que compramos, mas nenhum deles estavam lá. Você sabe onde eles estão?

– Não sei não. Devem estar guardados ainda.

Completamente frustrada e querendo xingar muito, desistimos e procuramos pela professora de português que era quem nos dava a autorização para pegar os livros. Conseguimos a autorização sem nem saber qual livro queríamos, tamanho era o nosso desespero!

– Professora, como assim se tem livros novinhos aqui e não temos a chance de lê – los? Estamos indo embora dessa geringonça, é a nossa ultima oportunidade! Aqueles livros que parece que vão desmanchar na nossa mão quando abrimos estão entupido a biblioteca. Se quiséssemos pega – los, nem teria impedimento. Vocês vivem querendo incentivar a leitura e bláblá e quando encontra dois alunos exemplares como nós, ficam colocando empecilhos.

– Eu vou procurar saber onde estão esses livros.

E assim, nos esperamos. Um mês de espera. UM MÊS!!! Eis a resposta que recebemos:

– Os livros que foram comprados na Feira do Livro desse ano não foram guardados na biblioteca por que não queremos que sejam roubados. Eles estão na sala da Ana Íris.

– Tá, e como fazemos pra pegar os livros?

– É só falarem com ela, que dará uma autorização nova, por que os livros ficam na sala dela.

Saímos felizes e saltitantes procurando pela professora. Quando chegamos à sala, trancada.

– PUTA MERDA! Não tem ninguém aqui! Cara, estão de brincadeira com a nossa cara!

– Eu já sei por que não tem ninguém aqui. A Ana Íris só dá as aulas de teatro a tarde. – falei enjuriada da vida. – E agora!?

– Amanhã voltamos! Ela vem pela manhã. Nós pedimos a autorização e já vamos lá na sala dela e pegamos os livros e pronto.

– Eu duvido que seja assim tão fácil.

– Vamos ver então se não conseguiremos ler esses livros!

CONTINUA…

posts relacionados

Deixe seu comentário

18 Comentários

  • - LoolaB
    08 janeiro, 2012

    FUUUUUU
    Caara, eu ri litros aqui!
    Por outro lado, também fico triste, afinal isso ocorre muito! Professores IDIOTAS fazem coisas desse tipo, meu, e daí se roubarem? Educa os alunos, faz campanha, o diabo a quatro para educar o povo! Mas livro não foi feito para ser monopolizado, os livros tem espírito livree!

    OBS: Menina, tu escreve contos engraçados? Se não escreve já era pra ter começado porque tu consegue escrever com leveza e com toques de humor perfeto *___*

    Quero mais Relatos! Quero, Quero, Quero ^-^

    Beijão :*
    @pirulitolimao

  • Ana Ferreira
    16 junho, 2011

    heiuheiuehiuehieuhieuheiuheiuh
    Raapha, que péssimo!
    Estilo 007?! Que situação heim…
    Felizmente, na biblioteca da minha escola, não tem muita burocracia para levar livros, ninguém nunca os quer e, apesar dos títulos velhinhos, de vez em quando tenho a alegria de encontrar um interessante e outra, foi lá que descobri meus queridos clássicos.

    Beijinhos,
    Ana – Na Parede do Quarto

  • Nana
    16 junho, 2011

    HAHAHA adorei!!
    Queria trabalhar em uma biblioteca… *.*
    Onde eu estudava nem tinha esses livros legais
    Nossa meu Lago dos Sonhos nem veio marcador HAHAHA

    bjs e boa sexta
    Nana – Obsession Valley

  • Cláudia Soares
    16 junho, 2011

    Hahaha
    Adorei a história !!
    Que aventura atrás desse livro hein !!!
    Essa escola nem dificulta o acesso aos livros hein .. credo !!!
    Mas na minha escola era pior, não abriam a biblioteca e quando abriu só tinha módulo de pré-vestibular ! Ninguém merece!

    Estou adorando seu blog !!
    beijos

  • Jéssica Polato
    16 junho, 2011

    Me diverti com a historia.
    Eu tmb estudei em escola publica e sei bem como é..rsrs
    Nunca tinha livro decente e quando tinha parecia que todo mundo queria ler. Até aqueles que nunca entraram numa biblioteca. rsrsrs

    Espero por mais historias..

    bjinhuxxx
    Eu li e Divulgo
    http://euliedivulgo.blogspot.com/

  • Rapha, eu sabia do lance dos grampos… já usei algumas vezes quando era adolescente, pra abrir cadeados de cofrinhos, diários, e o da minha janela, q eu vivia perdendo a chave…. kkkkkkk.
    Mas e aí, conseguiram os livros?

    E se vc gostou da história da Luciana (que não é real! kkk) no blog, este selo é pra vc! http://twitpic.com/5cckrx

    kkkkkkkkkkkk

    Beijão!

  • Mariana
    16 junho, 2011

    HAUSAHUSAHUSAUH Ri muito com a sua história e confesso que a parte do grampos eu também achava que só acontecia em filmes. Hoje eu fiquei super feliz porque encontrei um Bazar do Livro aqui em na cidade onde eu moro, que tem muitos livros usados novinhos e baratos (o que é melhor ainda AHSUAHUSAHUSAHSU)
    Beeijos

  • Angela Graziela
    16 junho, 2011

    Tambem sou de Brasilia
    E de que escola voce é?

    Mas é fogo mesmo, esse povo faz drama ate por livros e depois falam que o povo não quer ler, como le assim?
    Eu vou começar a escutar da faculdade da catolica agora e estou super empolgada com a biblioteca de lá!

    Mas voce não falou, pegaram os livros?
    Beijos

  • Ana Luiza Rosa
    16 junho, 2011

    ok, eu sei que você é BEM DOIDA Raphita!
    mais isso é coisa demais, surtou bastante foi? rs
    acho que queria uma boa suspensao pra fechar com chave de ouro seu último ano né u.u kkkkkkkkkkk
    Mas agora sperio, de vez enquando da vontade de aprontar uma dessas no meu colégio tbm!
    adoooorei a aventura.

    beijos,
    Ana Luiza
    Livros ao Meio Dia

  • Pah
    15 junho, 2011

    kaokaoak
    Menina adorei sua história, também sempre estudei em escola publica então entendo o que você passou, o pior de tudo é o pouco caso que eles fazem sabe…No seu caso tbm ficaria mtooo de cara!

    Beijokas

    Livros & Fuxicos

  • Sora Seishin
    15 junho, 2011

    Oi Rapha!!
    Muito legal sua história, adorei!
    Livros da época do papiro xD
    Na minha escola tinha uma biblioteca cheinha de livros da coleção Vaga-Lume, eu ia lá direto 🙂 (já faz 10 anos que me formei… O_o)
    Beijos

  • Melissa Pinheiro
    15 junho, 2011

    KKKKKKKKK
    Adorei sua história. “mover a Swat” e “época do papiro” foi ótimo…rsrs
    Isso me lembra qdo estava no ensino médio também.
    A biblioteca cheia de livros remendados com durex se desfazendo e quando tinha 1 legal era impossível de reservar. Você escreve mto bem Rapha….

    Bjs Melissa
    Espaço Editorial

  • Mayara Pongitori
    15 junho, 2011

    hahahahaahah
    Rapha, vc podia ser escritora!

  • Raphaela
    15 junho, 2011

    uashushaushuahsuha
    Só vc Raphinha!!!

    Mó loucura essa sua história, ushausausha
    aaah.. por enquanto eu nao me lembro de nada engraçado q me tenha ocorrido, mas se eu lembrar venho aqui relatar pra vc!!

    Beeijos
    Rapha ~Doce Encanto.
    ;*

  • Isabelly
    15 junho, 2011

    Daria para escrever um livro com essa aventura! Foi quase uma saga pegar esses livros mesmo.

    Adorei a história.

    Beijos.

    Bells – Just a Girl
    bells-justagirl.blogspot.com

  • Nathália Risso
    14 junho, 2011

    Hahahahaha Rapha, muito boa sua história!
    Acho que se isso acontecesse comigo eu ia ficar p da vida tbm hahahaha
    Então você realmente comprovou que um grampo de cabelo tem esse poder de abrir portas e cadeados hahahaha, bom saber :DDD
    Obrigada pela visita e pelo comentário!
    Tem post novo no blog: Resenha de Doença e Cura! Passa lá 🙂
    Tá rolando duas promoções no blog: O Amor Está no Ar! e Da Estante Para Sua TV! Participe 🙂
    Beijos, Nath
    @brgnat
    Books In Wonderland – http://booksinwonderland.blogspot.com

  • Miss Carbono
    14 junho, 2011

    Pegar esses livros foi quase uma saga huahuahuaha

    teh mais

  • Vicky Doretto
    14 junho, 2011

    hahaha adorei *o*
    “mover a SWAT” foi ótimo!

    BJão =^.^=

  • Vídeos no canal

    @equalizeleitura
    © 2019 Equalize da Leitura • equalizedaleitura.com.brDesenvolvido com por