março 23, 2012Filmes Baseados em Livros

Minhas Impressões de Jogos Vorazes

0 Comentários

Oie gente!
Em um post mega de madrugada, depois de voltar da mega sessão especial de Jogos Vorazes enquanto muitos fãs estão saindo pra assistir, decidi passar por aqui para deixar as minhas impressões. Não quis fazer uma resenha ou crítica, até por que eu não sou boa nisso. Quero deixar apenas a minha opinião de uma forma geral a respeito do filme. E quando tiver algum spoiller ou o mais próximo dele, deixarei o aviso em vermelho, ok? Então, vamos lá!
Apesar do evento mal organizado no sábado e de estar desanimada por que não teria pré estreia aqui em Brasília (apenas uma sessão fechada para convidados e imprensa), participei de algumas promoções de sorteio de ingressos, e a surpresa é… GAAAAAAAAAAAANHEI!!! Sim, consegui e estava dentro. Eu quase tive um treco, fiquei mega animada e hoje finalmente chegou o dia. Mas… ao contrário de muitas pessoas, meu coração não ficou disparado durante o dia inteiro, não estava muito ansiosa…. Isso até chegar a fila e começar a bater o pé querendo entrar logo e que começasse tudo também!!
Começo com algo bem simples: está fantástico. Poucas vezes eu vi um filme tão bem adaptado. Claro, tem as suas mudanças, mas elas são sutis e talvez você quase não perceba as mesmas… a não ser é claro, que você seja um super mega blaster fã que já leu o livros 3487843429832 de vezes.
No geral, eu achei um filme muito bem produzido. O trio principal está impecável, mas claro, temos que dar destaque para Jennifer e Josh. Os detalhes foram reproduzidos com perfeição e algumas cenas me fizeram ficar tensa na poltrona, outras me fizeram rir, outra chorar (o que eu não fiz, mas eu ouvi muita fungada) e muitas, muitas mesmo me fizeram perder o fôlego. E como já lemos o livro, sabemos direitinho qual cena esperar.
Eu tremi, eu gritei, eu pulei na cadeira. Eu fiz ‘auuns’ e fui acompanhada de várias pessoas. E teve momentos que eu até achei o Josh realmente bonito. E o Haymitch… oh o Haymitch. COM CERTEZA ele faz toda a diferença.
Confesso que eu não sai do cinema eufórica, como eu esperava. O filme está excelente, mas ainda faltou alguma coisa, um tcham, um bam, um sacode para que ele ficasse perfeito. Eu queria mais sangue, eu queria mortes detalhadas… eu queria o que estava realmente descrito no livro. Porém, creio que foi reduzido por causa da faixa etária do filme. E mesmo assim eu fiquei surpresa com algumas cenas de morte. É irônico na medida certa, é intenso em sua proporção, é emocionante com certeza.
Enfim, sei que não ficou a melhor das impressões, mas não posso me prolongar, já que muitas pessoas ainda não assistiram. Na crítica de verdade, nenhum detalhe será poupado.

Meus comentários podem contém spoiller.

– Uma das cenas mais lindas: I volunteer. Sim. Só pelo trailler, eu já esperava uma cena emocionante. Mas assisti – la completa é quase um colapso. É tão intensa, repleta de sentimentos. Com certeza, uma das mais belas.
– Entrevistas: conseguimos enxergar todos os detalhes sórdidos e estranhos da Capital durante as entrevistas e a tão esperada cena da ‘garota quente’ (pooodre, eu sei. Mas se você assistir legendado, será assim que estará. Não quero nem saber como será dublado), pegando fogo com seu vestido.
– Interpretação da Jennifer: ela com toda a certeza merece destaque. Tem cenas que ela aparece tremendo, é bem expressiva, fica linda na Capital e consegue nos emocionar nas diversas vezes em que aparece. Quando tem que sorrir, ela o faz. Quando tem que chorar e emocionar, ela consegue com uma sutileza, que passa o real sentimento impregado.
– Treinamento: foi uma parte que eu gostei, já que conseguimos ver todos os tributos juntos e já conhecemos algumas carinhas. E já nessa parte percebemos como os tributos dos Distritos 1 e 2 são.
– Jogos Vorazes: no filme temos uma equipe toda formada no melhor estilo Minority Report, onde eles controlam toda a arena. Foi legal, pois quem não leu o livro consegue entender por que determinados fenômenos acontecem.
– Cena da morte da Rue: quem não se afeiçoou por essa garotinha? E a cena da morte dela é… o que tem que ser, na verdade. Nessa hora, as lágrimas rolou em boa parte da galera da sala e quando vocês assistirem, entenderão. É uma cena que representa muito bem o que foi descrito no livro.
– Final: Confesso que fiquei decepcionada por não colocarem a volta do tributos mortos como mutantes, atacando na Cornucópia. Entretanto, a cena ficou bem sangrenta, mas teria ficado maravilhoso se tivesse sido feito ao pé da letra.

posts relacionados

Deixe seu comentário

Vídeos no canal

@araphadoequalize
© 2020 Equalize da Leitura • equalizedaleitura.com.brDesenvolvido com por