abril 03, 2012Filmes Baseados em Livros

[Indicação de Filme] Jogos Vorazes

0 Comentários

Oi, gentes!

Aqui estou eu novamente e, desta vez, para falar sobre a versão cinematográfica de Jogos Vorazes. Eu sei… todo mundo está falando sobre a mesma coisa, mas eu estava devendo minha opinião sobre o filme. Como a Rapha já passou por aqui e deixou as impressões dela, vou só complementar e tentar não falar demais.

Título Original: The Hunger Games
Título no Brasil: Jogos Vorazes
País de Origem: EUA
Gênero: Ação
Duração: 142 minutos
Lançamento: 2012
Direção: Gary Ross
Elenco: Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson, Lenny Kravitz, Woody Harrelson, Liam Hemsworth, Elizabeth Banks, Donald Sutherland, entre outros.

 
Bom, se alguém nesse mundo ainda não faz ideia sobre a trama do filme/livro, lá vai: Em um país fictício denominado Panem anualmente ocorrem os Jogos Vorazes, um reality show sangrento cujos participantes são adolescentes com idade entre 12 e 18 anos sorteados nos 12 distritos que formam o país. Um garoto e uma garota de cada distrito são oferecidos como “tributos” como uma forma de unificar a nação e controlar a população que anteriormente havia se rebelado contra o governo, representado pela Capital. Os tributos ficarão isolados em uma arena e terão um único objetivo: sobreviver. Para isso, deverão superar obstáculos climáticos, fome, doenças e matar uns aos outros, pois só uma pessoa pode vencer os jogos.

Abertura dos Jogos Vorazes
ATENÇÃO – PODE CONTER SPOILER

Sobre o filme:

Gostei muito da adaptação. Achei que o diretor foi fiel o bastante, sem tentar seguir livro parágrafo por parágrafo e sem ter medo de cortar histórias paralelas. Adorei o visual extravagante dos habitantes da Capital e sua tecnologia. A dupla de protagonistas Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) e Peeta Melark (Josh Hutcherson) funciona bem, embora eu não seja fã do Peeta. Desde o livro o acho romântico demais, mas admiro sua coragem e boas ações. Da Jennifer Lawrence eu gostei. Ela soube dosar bem as emoções. Uma das minhas cenas favoritas é quando Cinna vai se despedir da garota pouco antes dos jogos começarem. Dá para ver o quanto Katniss estava trêmula e conseguimos enxergar o medo em seus olhos quando o elevador tubo se fecha.

Cinna e Katniss

Aliás, tive duas boas surpresas no filme: a primeira é o próprio Cinna (Lenny Kravitz), que achei bem mais humano e sensato do que eu havia imaginado. Na minha cabeça ele era um típico estilista cheio de afetações. A segunda boa surpresa foi Haymitch (Woody Harrelson), o estrategista dos tributos do Distrito 12. O bêbado vivido por Harrelson é muito mais tolerável do que aquele criado por mim.
Haymitch
O filme consegue equilibrar bem as cenas de ação, os momentos tocantes e o romance. A cena da despedida de Rue é muito bonita e arrancou lágrimas da plateia. Não tinha muita gente na sessão em que eu estava, então dava para perceber direitinho a reação das pessoas. Uma moça da fileira da frente (que obviamente não leu o livro) soltou um “Ai, meu Deus!” tristíssimo quando Peeta é perguntado sobre se havia deixado alguma paixão lá no Distrito 12 e revela quem é ela. Outra cena de impacto foi o surgimento dos cachorros gigantes, que fizeram muita gente pular da poltrona.

Após a sessão ouvi gente comentando que achou que fosse mais violento. Estamos tão acostumados com a violência que só conseguimos achar brutal quando tripas são esfregadas na nossa cara. Mas vejam bem, não é preciso haver banho de sangue para haver violência extrema. A ideia de ver adolescentes matando uns aos outros para servir de diversão e massa de manobra da população já deveria ser por si só uma coisa aterradora. Outra coisa que ouvi também foi que tinha muita coisa tecnológica na arena. Sim, o local de combate dos tributos era um ambiente controlado e os organizadores dispunham de tecnologia para fazer o dia escurecer quando achavam melhor, para gerar criaturas pavorosas e para fazer os participantes se enfrentarem quando as coisas estavam meio paradas. Apesar de nossa tecnologia não ser tão avançada, as mesmas técnicas são usadas em qualquer programa de reality show que vemos na TV hoje em dia. Ou vão me dizer que vocês acreditam que tudo o que acontece nesse tipo de programa ocorre espontaneamente?

Jogos Vorazes é uma distopia, ou, como nos explica o Dicionário Houaiss: “qualquer representação ou descrição de uma organização social futura caracterizada por condições de vida insuportáveis, com o objetivo de criticar tendências da sociedade atual, ou parodiar utopias, alertando para os seus perigos; antiutopia
Há dois tipos de futuro mostrados nas distopias: 1- Pós-apocalíptico, com visual sujo e caótico (como o que vemos em “Blade Runner” e “V de Vingança”, por exemplo); e 2- Mundo perfeito, com visual asséptico e sem emoção (como o mostrado em “A Ilha” e “O show de Truman”, por exemplo). No entanto, independente do visual, a população é sempre manipulada e controlada de forma dissimulada (com falsas promessas) ou abertamente, pelo método mais simples e eficaz: medo. Como bem diz o Presidente Snow (Donald Sutherland) em certa altura do filme:

“A única coisa mais forte que o medo é a esperança. Um pouco de esperança é atraente. Muita esperança é perigoso”.

 Muito além de uma história para adolescentes, Jogos Vorazes é uma trama que está mais próxima da nossa realidade do que parece à primeira vista. É um enredo que nos faz avaliar nossa postura e nossas ações no mundo e nos convida e agir e a realizar mudanças. Pensem nisso.
Até a próxima.

posts relacionados

Deixe seu comentário

Vídeos no canal

@araphadoequalize
© 2020 Equalize da Leitura • equalizedaleitura.com.brDesenvolvido com por