maio 03, 2012Filmes Baseados em Livros

[Indicação de Filme] Um Homem de Sorte

1 Comentário

Título Original: The Lucky One
Diretor: Scott Hicks
Elenco: Zac Efron, Taylor Schilling, Blythe Danner, Jay R. Ferguson, Riley Thomas Stewart, Joe Chrest, Adam LeFevre, Jillian Batherson.
Ano: 2012
País: EUA
Gênero: Romance

Ontem foi a pré – estreia de Um Homem de Sorte aqui em Brasília, ganhei dois ingressos e lá foi eu com a minha irmã. Vou logo falando que eu não esperava um graaande filme. Primeiro: desde que falaram que ia fazer uma adaptação do filme baseado no livro, eu fiquei com o pé atrás. Primeiro por que o Zac Efron não tem o perfil para fazer o Thibault, principalmente se seguirmos as características do livro. E também a escolha infeliz da Taylor Schilling para o papel da Beth. O que eu senti: colocaram um cara com uma aparência muito nova com uma mulher que tem a aparência muito mais velha (e é mais velha) e não combina. Todas as minhas frustrações pré produção de filme se confirmaram. Vamos lá.

O filme vem contar a história de Logan Thibault, um ex – fuzileiro naval, que depois de encontrar a foto de uma mulher durante seu perído de alistamento, vai atrás dela para agradece – la. Porém, não esperava que fosse se apaixonar. E apesar da desconfiança inicial de Beth, ela aceita com que Thibault comece a trabalhar no canil familiar. Com um ex – marido que quer tomar a guarda do filho e esse novo homem que aparece em sua vida, Beth não sabe como reagir e vai pouco a pouco se rendendo a Thibault, enquanto esse percebe que talvez ela seja muito mais do que um amuleto de sorte.
O problema todo pra mim é o Zac Efron. As fãs dele que me desculpem, mas não rola. Como assim ele tem 25 anos e já serviu 3 vezes?! Como assim? E apesar dele ser lindo, talentoso e blá blá eu ainda não consigo enxerga – lo como o Thibault! Sem contar que o Thibault mesmo era pra ter cerca de 27, 28 anos. E isso piora em algumas cenas em que a Beth parece a mãe dele. Ele está lindo? Sim. Ele está forte e com cara de mais velho? OK, não é o suficiente ainda e não tem cara do personagem! Ah não, sinceramente.
O Thibault do filme é totalmente passivo. O Keith mete a mão nele, revista a casa e ele. Porém, o mesmo não faz nada. Nenhum reação. Só se contar a parte em que o Keith cospe maçã na cara do Thibault e só tem uma ceninha de toma a arma da mão do outro e o Zac Efron, encarnando o papel com a sua mesma expressão de sempre, diz: ‘Você não é um menino mal!” e sai de cena, com a cara cuspida.
PIOR do que o final totalmente sem noção – parceria totalmente desnecessária do Thibault com o Krith para salvar o Ben – foi ver a Beth correndo com uma camisola da época do papiro na última cena do filme. Detalhe: ela passa o fime inteiro com roupinhas curtas e na última cena, EXATAMENTE na última cena, eles me colocam aquela maldita camisola horrenda nela. Sem mais. Não tenho o que comentar.
Por fim, eu só posso dizer que as pessoas que foram escolhidas e fizeram valer o seu papel são Blythe Danner (avó da Beth), Jay R. Ferguson (Keith, ex – marido da Beth) e Riley Thomas Stewart (Ben, apesar de terem mudado totalmente a personalidade do garoto, ele interpretou muito bem para o lhe foi proposto). Ou seja, os personagens secundários acabaram chamando mais a minha atenção do que os principais.
Colocaram um cachorro horroroso pro papel do Zeus. Eu fiquei decepcionada já que a minha Bellinha teria dado mais mais vida e ação para o filme. Eu AMO cachorros, mas sério. Sem contar que eles tiraram toda a importância que o Zeus tinha para o Thibault e para o Ben. E no final, não tem cachorro. E sabe aquele drama todo, a angústia de quem leu o livro, aquele dilema e o pensamento de ‘Eu não acredito que o Nicholas Sparks matou a pessoa errada!’? Pode esquecer que não tem nada disso no filme, tá? Eles já deixam bem claro quem morreu e ponto final.
Adendo: O Zac está muito bem… fisicamente falando. Tem ele beijando, abraçando, agarrrando, mordendo, arranhando, lambendo. As cenas ficaram bem feitas e foi legal pra ver que ele não é mais apenas um garoto, apesar da cara. Ainda assim ele não serve pa o papel, ok? Mas pelo menos não colocaram ele pra cantar.
Não é um filme de todo ruim, se você pensar pelo ponto de vista de quem não leu o livro. O péssimo dessas adaptações é que cada dia fica mais nítido que não estão interessados em fazer um filme realmente bom ou muito próximo do original do livro. Só querem juntas grandes autores com pessoas que são reconhecidas e que já tem um público fiel (e que as fãs vão fazer uma boa publicidade) para ganhar dinheiro, dinheiro, dinheiro. Não estou desmerecendo o talento de nenhum do atores (até porque, quem seria eu?), só que eu já fui preparada, sabendo que não iria me agradar e a maior frustração é saber que as minhas impressões foram confirmadas.

Visualmente falando e tirando todos esses problemas que me incomodaram desde o lançamento do trailer, pode ser que várias pessoas gostem. Gostei também da trilha sonora e do cenário, foram bem escolhidos. Só esperava que eles tivese tido este tipo de atenção na hora de escolher os atores.

posts relacionados

Deixe seu comentário

1 Comentário

  • José Carlos
    04 janeiro, 2013

    Li o livro, amei.. Não vi o filme ainda.. Quero ver para confirmar sua criticas. Bom, apesar de ter quase certeza que Thibault não morreu, o livro me dar um estranha sensação de que ela ver o fantasma dele, como se ele tivesse mesmo morrido.
    Ele não morre não né?
    Responde no meu email josecarlos-rj@hotmail.com

  • Vídeos no canal

    @araphadoequalize
    © 2020 Equalize da Leitura • equalizedaleitura.com.brDesenvolvido com por