agosto 08, 2012Filmes

[Indicação de Filme] Confiar

0 Comentários

Título Original: Trust

Diretor: David Schwimmer
Elenco: Clive Owen, Catherine Keener, Liana Liberato, Chris Henry Coffey, Viola Davis, entre outros
Duração: 106 minutos
Ano: 2010
País: Estados Unidos
Gênero: Drama
Annie (Liana Liberato) é uma garota de 14 anos que mora em Chicago, cursa o Ensino Médio, faz parte do time de vôlei do colégio e se encaixa em todos os clichês de adolescente: quer se enturmar com as garotas mais populares da escola, é insegura quanto a sua aparência, está apaixonada e descobrindo a sexualidade. O detalhe é que o objeto do afeto de Annie mora na Califórnia, se chama Charlie e ela não o conhece pessoalmente, pois só conversam pela internet, telefone ou mensagens de texto. Até aí, nada mais normal em tempos de tanta tecnologia, não é?

Bem, não é tão simples. Charlie, que a princípio parecia ser apenas um garoto simpático de 16 anos que gosta de esporte, vai aos poucos dando pistas de que a relação é uma roubada: revela que na verdade tem 20 (e depois 25 anos), alega que sua webcam está quebrada, engata um papo picante demais para se ter com alguém de 14 anos. Mesmo com todos os indícios de perigo, Annie marca um encontro com ele. Toda a ilusão da garota cai por terra quando quem aparece é um homem de 35 anos que não tem nada a ver com as fotos que ela recebeu. Apesar da decepção de Annie, Charlie (Chris Henry Coffey) usa todas as suas artimanhas psicológicas para mexer com a cabeça da menina e atingir seu objetivo: levá-la para o motel e estuprá-la.

OK. Eu sei que vocês estão pensando “que garota burra”. É muito frustrante perceber que, apesar de todas as evidências, a menina caiu no golpe. É muito tentador julgar a garota por sua ingenuidade extrema. E é muito triste que isso realmente aconteça a milhares de garotas e garotos. O fato é que não importa o quanto os pais alertem, os professores falem, os amigos lembrem… uma pessoa apaixonada, cheia de inseguranças e com tão pouca idade não enxerga que está sendo enganada. Tanto é que, mesmo após ter sido estuprada pelo sujeito, Annie ainda quer falar com ele, aguarda seu telefonema, culpa os pais por afastarem o amado. Ela não consegue se ver como vítima de abuso, se acha apenas uma namorada abandonada.

O filme consegue mostrar bem todos os efeitos que o crime teve sobre Annie e sua família: o peso sobre a autoestima e a vida escolar da garota, o desajuste familiar, os pais se culpando, a mãe (Catherine Keener) tentando juntar os cacos, o pai (Clive Owen) obcecado para encontrar o criminoso, querendo justiça, com sede de vingança. Um crime desse tipo muda a vida da vítima e dos que a cercam para sempre.

Também vale a pena destacar a banalização da nudez e sua exploração comercial. Isso fica claro ao contrapor a campanha publicitária criada pelo pai da garota antes do abuso da filha e seu mal-estar ao ver a campanha desenvolvida pelos olhos da vítima. Os comentários do companheiro de trabalho do pai da garota também mostram o quanto as coisas são deturpadas (“Ah… mas ela não foi raptada. Ela conhecia o cara. Que bom. Poderia ter sido pior”) – oi?! Só porque ela conhecia a pessoa e porque saiu com ela por livre e espontânea vontade o crime é menos odioso?

“Confiar”é bem-sucedido ao tratar de um tema atual e delicado de forma simples, próxima da realidade, sem ter nenhum herói justiceiro que sai atirando para todos os lados, roubando carros, lançando bombas e saltando de helicópteros. Já vou dizer que o final pode ser decepcionante para aquelas pessoas que gostam de tudo bem explicadinho nos mínimos detalhes, de grandes reviravoltas e de “foram felizes para sempre”. No entanto, acho que o final é justamente um dos trunfos do filme.

E, sim, eu quis assistir ao filme primeiramente porque o diretor é o David Schwimmer, vulgo Ross Geller de Friends. O fato de ter Clive Owen e Catherine Keener no elenco também pesou. Mas de nada teria adiantado tudo isso se a história fosse ruim (o que felizmente não é).
E é por todos esses motivos que indico “Confiar”.
Confiram o trailer:

Beijo e até a próxima!

posts relacionados

Deixe seu comentário

Vídeos no canal

@araphadoequalize
© 2020 Equalize da Leitura • equalizedaleitura.com.brDesenvolvido com por