setembro 20, 2012Editora Intrínseca, Resenhas

[Resenha] Tão Mais Bonita

1 Comentário

Título: Tão Mais Bonita

Título Original: So Much Pretty
Autora: Cara Hoffman
Tradução: Maria Beatriz Medina
Páginas: 288
Ano: 2012
Editora: Intrínseca
Tão Mais Bonita
Livro no Skoob
Os Piper são uma família otimista. Claire e Gente se mudaram, com sua precoce e encantadora filha Alice, para Haeden, no estado de Nova York, em busca de um novo começo. Ao fazer isso, involuntariamente reescreviam a história da vida da menina.

Wendy White tem raízes profundas em Haeden. Wendy é uma mulher doce, preocupada com a família e com a casa. Sua história tem um começo e um fim, mas a parte principal, o meio, se perdeu. O que aconteceu com Wendy White?

Stacy Flynn é uma repórter, e também uma caçadora e contadora de histórias. É a corajosa, incansável e perigosamente imprudente Flynn que vai reconstituir a vida de White, organizando todos os fragmentos que achar e montando um caminho para encontrar a solução do caso.
Mas apenas nós sabemos a história inteira.
Claire e Gene trocam o barulho e a correria da cidade grande por Haeden, uma cidadezinha no norte de Nova York, em busca de mais conforto e paz para eles e a pequena Alice. Haeden é a típica cidade onde as pessoas criam raízes e moram ali com sua família por muito tempo. Apesar do clima tranquilo, anos após a mudança dos Piper, um crime deixa todos em alerta: Wendy White, a doce e preocupada Wendy, havia sumido.

Acontece o tempo todo: uma mulher desaparece, a família se lamenta, e o caso permanece sem solução.

Cinco meses após o desaparecimento, encontram o corpo de Wendy e a suspeita se torna fato: ela fora assassinada. Mas por quem? As pessoas estavam acostumadas a ver isso em cidades grandes e violentas – mas não em Haeden. Apesar disso, todas elas parecem não querer se envolver com isso, deixando o caso sem solução mesmo. Obviamente Stacy Flynn, a repórter que estava na cidade fazendo pesquisas sobre os impactos ambientais, não ia deixar um crime como esse passar despercebido.
Ao ler a reportagem de Flynn sobre a violência contra as mulheres, a pequena Alice, que agora já era uma adolescente assustadoramente inteligente e precoce, liga os pontos e decide pesquisar um pouco mais sobre o assassinato de Wendy, entrelaçando assim o seu destino ao dela quando um outro crime acontece na cidade.

O que sabemos sobre Alice Piper? Tecnicamente, ela é um gênio. O QI é de 158. Obteve 2.300 pontos no Exame de Aptidão Escolar. É atleta. Agora, pense no que isso significa. Pense no que isso significa para uma garota em Haeden.

Tão Mais Bonita é o primeiro livro da autora Cara Hoffman e confesso que achei que seria uma história totalmente diferente. A sinopse é confusa, mas não tanto quanto o próprio livro. A história é narrada por diversos pontos de vista e isso prejudica muito a leitura. O passado é intercalado com o presente e, muitas vezes, você tem que ler a mesma coisa de novo e de novo para entender. Cada “capítulo” é narrado por uma pessoa diferente e em tempo diferente, fora que se o título do capítulo não dissesse quem está narrando, eu estaria mais perdida do que quando estava lendo.
Me senti extremamente burra ao ler essa história. Fiquei pensando comigo mesma: “será que só eu não consigo entender esse livro?”. Eu lia e relia algumas partes e acabava por me distrair por causa da minha dificuldade em entender a história. Não acho que eu seja burra, mas até o meio do livro a minha mente só dava mais nó. Até que finalmente as coisas começaram a fazer um pouco de sentido e a história foi pra frente. A melhor parte do livro, na minha opinião, foi o final, onde a autora finalmente mostra do que é capaz! Ainda assim, não conseguiu salvar o desastre do começo. Tão Mais Bonita tinha tudo pra causar uma ótima reação nos leitores, mas o excesso de mistério e as frequentes mudanças de narrador e tempo acabaram deixando o livro chato e confuso.
A capa é simples e muito bonita, mas não acho que tenha muita a ver com a história. A diagramação não teve nada demais, além da revisão impecável. E o título… Não fez sentido nenhum pra mim até agora – me sentindo burra novamente. Enfim, sendo objetiva: não recomendo. Mas se vocês quiserem ler, não desistam logo no começo, porque é na metade do livro que ele fica bom. Se vocês já leram, deixem suas opiniões nos comentários e se alguém entendeu tudo rapidinho e me achou burra mesmo, me comunique, por favor, porque eu ainda estou um tanto frustrada com esse livro!

Sobre o Autor:
Camila. 16 anos. Viciada em livros, seriados e músicas. Individualista, sonhadora, dedicada, sincera e um pouco careta. Anda de skate, toca violão e sonha em tornar o mundo mais justo e inteligente.

Colunista de romance de banca no Equalize da Leitura, mas às vezes também posta resenhas de outros livros.


posts relacionados

Deixe seu comentário

1 Comentário

  • Deusiane Bandeia
    24 abril, 2018

    Foi um alivio pra mim saber que não foi só eu que achei esse livro extremamente confuso. Estou lendo ele pela segunda vez depois de anos, espero que agora eu consiga entender melhor, e sim ainda tem bastante coisa que não fazem sentido. Não recomendo pra quem não gosta de leitura, pois iria se frustar com a complexidade e exagero de “mistério”.
    Ps: adorei a resenha, expressou tudo que eu também echo a respeito do livro.

  • Vídeos no canal

    @equalizeleitura
    © 2018 Equalize da Leitura • equalizedaleitura.com.brDesenvolvido com por