outubro 31, 2012Filmes

[Indicação de Filme] Ruby Sparks: A Namorada Perfeita

0 Comentários

Título Original: Ruby Sparks

Diretor: Jonathan Dayton / Valerie Faris
Elenco: Paul Dano, Zoe Kazan, Annette Benning, Antonio Banderas, Elliott Gould, Chris Messina, Deborah Ann Woll, entre outros
Duração: 104 minutos
Ano: 2012
País: Estados Unidos
Gênero: Romance, Drama

Calvin (Paul Dano) é um escritor famoso sofrendo de bloqueio criativo na elaboração do segundo livro. Sendo pressionado pelo editor para lançar logo o livro e pelo irmão mais velho para arranjar uma namorada, Calvin se sente perdido e infeliz. Ele começa a ter sonhos constantes com uma garota e ela passa a ser sua musa inspiradora. Ao escrever sobre a garota perfeita, misteriosamente ela sai das páginas do livro e ganha contornos de carne e osso.

Calvin é considerado um prodígio por sua primeira obra. Ganhou prêmios da crítica especializada e uma legião de fãs. No entanto, a fama repentina o deixou aterrorizado e ele foi se isolando cada vez mais. O golpe fatal em sua autoestima veio do rompimento com a namorada e também escritora Lila (Deborah Ann Woll). A Calvin só restou tentar recuperar o amor próprio e a capacidade criativa nas sessões de terapia.
Aliás, foi em uma dessas sessões que seu médico, o Dr. Rosenthal (Elliott Gould)o aconselha a escrever sobre seus sonhos. Empolgado por finalmente voltar a escrever, Calvin cria páginas e páginas sobre sua musa, que batiza de Ruby Sparks devido à sua personalidade reluzente e a seus cabelos cor de fogo. Imaginem a surpresa de Calvin quando ele dá de cara com Ruby (Zoe Kazan) em pessoa fazendo o café da manhã em sua casa.
A princípio, ele pensa que está delirando, mas depois percebe que outras pessoas também veem Ruby. Como ela saiu da imaginação de Calvin e ganhou vida não vem ao caso. Na verdade, o filme mistura realidade e fantasia para levantar uma questão importante: até que ponto conseguimos mudar alguém? Se pudéssemos criar uma pessoa perfeita, completamente de acordo com nossos gostos, seria ético? E valeria a pena?
Como bem descobre Calvin ao longo do filme, a perfeição tem seu preço. Ao inventar Ruby, ele projetou nela tudo o que gostaria em uma mulher e, mesmo ela não sendo a mais bonita ou mais inteligente, sua personalidade é que de fato o encantou. Ele só não contava com as vontades de sua criação. Como toda pessoa, ela tinha suas próprias opiniões e sonhos, e quando as diferenças entre o que Calvin esperava de Ruby e o que ela fazia começam a incomodá-lo, ele decide consertar os “defeitos” da amada. Isso acaba também interferindo em seu modo de ser e, aos poucos, tudo o que fazia dela um ser especial se perde.
Quando vi o trailer desse filme no cinema, imediatamente me lembrei de “Mais estranho que a ficção”. Para quem não conhece a história, é sobre um homem comum (interpretado por Will Ferrell) que ouvia uma voz de mulher narrando todas as suas ações. Ele nunca havia se incomodado com isso, até o dia em que descobre ser um personagem de um livro que estava em processo de criação. Para piorar, a autora pretendia matar o personagem no final. Desesperado, ele faz de tudo para convencer a escritora de que ele era real e merecia continuar vivendo. Vale a pena conferir!
Mas voltando a “Ruby Sparks”, tenho que dizer não concordo com a classificação de “comédia romântica” que atribuíram ao filme (podem reparar que classifiquei como “romance”e “drama”). Para mim, comédia romântica é aquele tipo de filme gostosinho, que assisto quando não quero pensar muito. A história é sempre a mesma e o final, invariavelmente, é feliz e perfeitinho. Sei que é exatamente por isso que fazem sucesso, mas para mim não dá. Prefiro mil vezes filmes como “Ruby Sparks”, uma história de amor que, como todas as histórias reais, tem seus momentos de alegria, de comédia, de tédio e de desentendimentos. E ainda brinca com uma ideia muito bacana: Quem é que nunca imaginou como seria seu amado (ou amada) ideal? Quem é que não gostaria de mudar algumas “manias irritantes” do companheiro? Como diz a expressão “Ninguém é perfeito”. Mas não são as imperfeições que tornam cada indivíduo único?

Trailer:

Beijo e até a próxima! 

posts relacionados

Deixe seu comentário

Vídeos no canal

@equalizeleitura
© 2019 Equalize da Leitura • equalizedaleitura.com.brDesenvolvido com por