abril 14, 2013Relatos de Uma Blogueira

[Relatos de Uma Blogueira] Inspiração Feminina

0 Comentários

Eu leio muitos livros. De muitos autores. De muitas autoras. Eu gosto de alguns mais do que de outros, muitas vezes apenas pelo fato de me identificar mais com que eu estou lendo. Reparo escrita, como se saem descrevendo diferentes pontos de vistas e vivendo gêneros distintos de personagens. Confesso, sinto muita falta de personagens femininas que sejam dignas de dizer: CARAMBA, VOCÊ É A PERSONAGEM! Sentia falta de mais mulheres se destacando na literatura e mostrando para o que veio.
 Felizmente, algumas autoras não deixam a desejar. Quando eu terminei de ler a série Night Huntress (publicada no Brasil pela editora Novo Século), eu pensei: Deus, eu quero escrever como você, Jeaniene Frost! E de repente, começo a perceber que as autoras da minha vida, que escreveram os melhores livros que eu li, no qual eu sou completamente apaixonada – tanto por elas, quanto pelas histórias – são… mulheres! Eu não saberia dizer a ordem. Elas simplesmente estão no meu top – escritoras – fodas – e – maravilhosas – que – fizeram – a – minha – vida literária – mudar – drasticamente!
Aí vocês perguntam: quem são elas, Rapha? Eis a resposta, em ordem alfabética (e não de preferência, para não ter confusão): Jeaniene Frost, J. K Rowling, J.R Ward e Richelle Mead, Sim, reparei que todas são de fantasia e fora a segunda, todas escrevem histórias de vampiros.
Sabe aquelas pessoas que são inspiração para a sua vida? Óbvio, claro que elas devem saber que isso acontece com várias pessoas que são fãs delas também… mas não é apenas isso. Um dia gostaria de escrever um livro. E eu gostaria de escrever algo tão bem feito, bem elaborado, bem escrito e estruturado quanto elas, com personagens cativantes e que eu visse as pessoas tão frenéticas por eles a ponto de eu mesma ficar em dúvida quanto a eleger qual é o melhor.
Essas mulheres criaram personagens maravilhosos, enredos cativantes e me fizeram virar madrugadas lendo seus livros. Todas elas e em fases diferentes da minha vida e não são menos importantes. Conscientemente ou não, induziram os meus gostos literários, me fizeram enxergar a literatura de maneiras distintas e mesmo que não tenham noção disso, mudaram a minha vida. Aí é que está o ponto: você se envolve tanto com o que foi lido que a sua imaginação entra em cena e você fica desejando, especulando, querendo, insistindo. Desculpa, mas eu ficaria mais do que feliz em ter um Bones para mim. Ou ter tido o Harry me salvando na Câmera Secreta. Ou quem sabe o Rhage me oferecendo pirulitos e o Dimitri dizendo coisas obscenas em russo em meu ouvido? A coisa fica tão complicada a ponto de eu não saber se eu gosto mais dos personagens ou das autoras que criaram… bem, que criaram tudo isso para fazer minha mente sambar de êxtase.
E surpreendentemente, fui olhar minha lista de leituras esse ano… e só li livros de autoras! E não foi por escolha e sim por causa dos títulos que mais me interessaram! (okay, como eu demorei a postar esse texto, já aparece um ou dois nomes masculinos, mas para fins do texto continuar com sentido, por favor, esqueçam-se deles por alguns instantes *pisca,pisca,pisca*)
Claro, diminuir a minha lista literária de mulheres autoras para quatro seria praticamente um insulto, mas elas são as principais e as que me inspiram. Nora Roberts revolucionou o romance para mim – a capacidade dessa mulher de escrever tanto assim e sobre assunto distintos ainda me surpreende -, Bridget Asher me fez rir com As Queridinhas do Meu Marido e trazer humor para uma situação complicada como é traição. Sara Gruen trouxe o mundo do circo e romance em Água para Elefantes. Ana Paula Bergamasco me fez sentir ojeriza e ao mesmo tempo alegria ao saber que nem tudo termina da melhor maneira possível, mesmo nos momentos mais estressantes e impactantes. Elizabeth Eulberg e Stephanie Perkins me fizeram dar boas risadas com seus livros com temática teen, mas que me deixaram fazer parte desse mundo sem fazer com que eu me sentisse intrusa. Samanta Holtz me fez acreditar que os romances históricos podem sim fazerem sucesso e que eu posso encontrar minha liberdade voando mesmo que seja nas páginas de um livro. Julia Quin, Sally Mackenzie e Nicole Jordan me entreteram quando eu precisei de um romance de banca básico. Colleen Houck apareceu e mostrou como a Índia e rica e inteligentemente escreveu sobre maldições. Carol Sabar me fez acreditar que talvez eu encontrasse o sósia do Robert Pattinson em um intercambio e que ele se apaixonaria por mim, doce ilusão. Suzanne Collins me fez odiá – la: ela deveria ter parado de escrever em Jogos vorazes. A Laura Conrado me mostrou que tem problemas femininos que são compartilhados universalmente. E também me fez acreditar em amizades que começam através dos livros…
Sabe o que me deixa mais orgulhosa? Nossas autoras estão se enveredando por caminhos literários que geralmente você só vê homens dominando. Estou lendo Seraphina da autora Rachel Hartman e antes de terminar o livro eu posso assegurar com certeza que será um que ficará marcado esse ano para mim. É muito difícil ver mulheres escrevendo sobre dragões, mas ela veio e está fazendo sucesso. Creio que nesse exemplo, colocando a brasileriedade em destaque, citarei a Carolina Munhóz. Ela escreve sobre fadas e outros seres e sabe que tem público feminino que gosta e são apaixonados por suas palavras. Não importa mais sobre o que se escreve, desde que tenha lógica e agrade. Essas autoras conseguiram isso atrvés de seus próprios méritos. Cada uma delas foi encontrando seu público, suas leitoras (e leitores, aqui vocês são bem – vindos) e mostrando seu talento. Não ficam atrás, me fazem derreter o coração e desejar mais, mais, mais, MAIS!
Queridos autores, desculpa, mas este post é só para mulheres. Para mulheres escritoras. E para as mulheres leitoras.

Sobre o Autor:

Raphaela. Futura Publicitária apaixonada por livros, que deseja ler todos os livros do mundo. Como sei que não é humanamente possível, vou lendo os que estão ao meu alcance. :}

Estudante, aspirante a escritora, romântica declarada, compulsiva por livros. Blogueira, resenhista, universitária, apaixonada por bons livros e amante de bons personagens.

posts relacionados

Deixe seu comentário

Vídeos no canal

@equalizeleitura
© 2019 Equalize da Leitura • equalizedaleitura.com.brDesenvolvido com por