junho 20, 2013Sem categoria

Mês Especial: Nora Roberts – Trilogia do Círculo

0 Comentários

Trilogia do Círculo

Título original: Circle Trilogy

Esta trilogia é a primeira e única série da Nora que fala sobre vampiros, apesar de não ser a primeira sobrenatural. Tenho que admitir, no entanto, que no começo da história eu estava com o pé atrás porque o vampirismo aqui é abordado no estilo clássico: vampiros são criaturas demoníacas. Como boa amante de vampiros e do paranormal que sou, confesso que prefiro as versões contemporâneas dos sugadores de sangue pelo simples fato de que, geralmente, deste modo eles são abordados como criaturas “com alma”, mesmo que sem um coração batendo. Devo afirmar com toda a certeza que esta história é uma das mais ricas e enriquecedoras das obras dela, misturando romance, drama, suspense, aventura, perigo e uma coragem desafiadora. Seis pessoas com o único objetivo: livrar tanto o mundo dos humanos como o mundo dos imortais de uma força maléfica. Eu devorei cada livro como se fosse o último e o primeiro ao mesmo tempo.

O primeiro livro, A Cruz de Morrigan, é uma introdução primeiramente à problemática do livro: tudo começou quando a vampira milenar Lilith escolheu o jovem Cian como sua presa da vez, seduzindo-o e então o “condenando” à imortalidade. Ela não esperava, no entanto, que Hoyt Mac Cionaoith – o irmão do rapaz – fosse jurar vingança aquela que “amaldiçoou” seu irmão e na noite em que ele grita aos céus em fúria contra a vampira, a deusa Morrigan aparece para ele e após lhe conceder os poderes que precisaria, encabe-o de uma missão: formular um círculo poderoso o suficiente para destruir Lilith, um círculo que deveria conter seis membros: ele mesmo, a bruxa, o guerreiro, o sábio, aquele que adota várias formas, e aquele que perdeu. Em busca dos companheiros que precisava, parte para a Nova Iorque dos dias de hoje – séculos a frente do tempo em que vivia na Irlanda – e lá encontra seu irmão gêmeo. Mas Cian não é mais quem ele pensava que fosse.

Glenna é a bruxa que se junta à dupla na caçada de Lilith, espirituosa e independente, a mulher sempre tentou encontrar um propósito forte o suficiente no qual poderia usar seus poderes e finalmente tinha encontrado. Ao lado de Hoyt, porém, ela encontrará um sentimento incrivelmente poderoso. Esse livro é incrivelmente cômico porque descreve a surpresa de Hoyt com o mundo “globalizado” e o desenvolvimento da relação entre os irmãos. Eles, o trio + alguns dos membros do círculo que eles encontram pelo caminho, dão início à preparação para o grande confronto com a vampira, que parece ficar cada vez mais confiante e forte ao longo do tempo.

Trechos:

– O que é tecnologia?
Cian puxou seu irmão para dentro e apertou o botão do elevador para o andar seguinte. – É outro Deus.

Descubra o que quer, trabalhe para conseguir, e então valorize quando tiver.

O segundo livro, O Baile dos Deuses, nos trará a história de Larkin, o que adota várias formas apresentado no 1° livro.  A trilogia nunca se centra apenas no protagonista específico daquele livro, mostrando na verdade o desenvolvimento do círculo no total.

Blair se junta ao círculo por acaso e leva um tempo até ganhar a confiança de todos, porque aparentemente o círculo já estava completamente formado – apenas uma das curvas que mexem com esta história. Em meio a treinos, farpas, lutas e muita ansiedade, mais um casal é formado – o adorável Larkin e a durona Blair. Enquanto isso, Lilith prepara seu exército da mesma forma e pretende gerar muitas batalhas contra o círculo antes de efetivamente chegar à guerra. 

Agora não era apenas obrigação e tradição que haviam passado a ela através do sangue por quase um milênio. Agora era a luta para salvar a humanidade. Ela estava aqui, com o estranho grupo – dois dos quais, vampiro e feiticeiro, na verdade eram seus ancestrais – para lutar a mãe de todas as batalhas.

O terceiro livro, O Vale do Silêncio, é o meu livro fa-vo-ri-to. Por quê? Ele finalmente vai se centrar no meu personagem favorito – o tempestuoso Cian, o único vampiro. Que eu tenho fraco por personagens rabugentos e incompreendidos é um fato, mas Cian eleva isso a décima potência. A expectativa é grande, ainda mais agora que os membros do círculo têm interesses muito maiores do que quando começaram: não só proteger o mundo dos planos de Lilith, mas garantir a sobrevivência daqueles que amavam.

O sentimento mais improvável nasce entre Cian e Moira, a sábia que tem razões fortíssimas para odiar todos os sugadores de sangue sem exceção, e também a legítima rainha do trono de Geall. Desde o início, Lilith tentou atingir as mulheres do círculo invadindo seus sonhos e neste último livro, a vampira vai extrapolar de vez: sente que está realmente em perigo. Toda a população de Geall é incitada a lutar desde o livro dois e a perda de humanos é devastadora. Eles precisavam impedir Lilith ou o destino da humanidade estaria em sério perigo.

Eu não quis dar muito detalhes, principalmente no terceiro livro, porque os detalhes nesta série fazem toda a diferença. Se ficou muito repetitivo, mais uma razão para que arrisquem a ler e assim criem suas próprias opiniões. Só há um ponto no fim da série com o qual eu não concordo, mas eu entendo que se não tivesse acontecido outro ponto teria de ser mudado. A história vale muito à pena e é narrada em forma de um conto: no início de cada livro há um senhor relatando os fatos para as crianças e eu fiquei do início ao fim roendo as unhas para saber de quem se tratava. Eu fiquei roendo as unhas, no geral, doida para saber qual fim Nora daria para a série, como terminariam os personagens e, com certeza, qual seria o destino da maléfica Lilith.

Trecho:

– Nós formamos nosso destino com cada curva, cada escolha.

– Os muito jovens e os muito velhos frequentemente viam o que outros não podiam ver. Ou escolhiam não ver.

posts relacionados

Deixe seu comentário

Vídeos no canal

@araphadoequalize
© 2020 Equalize da Leitura • equalizedaleitura.com.brDesenvolvido com por