Resenhas, Universo dos Livros
Título: Enroscado
Título original: Twisted
Autor(a): Emma Chase
Editora: Universo dos Livros
Ano: 2014
Número de páginas: 240

Livro no Skoob

Quando espontaneidade e tranquilidade se juntam com prudência e responsabilidade, apaixonar-se pode se tornar algo um pouco… Enroscado. Katherine Brooks era o tipo de pessoa planejada, cautelosa. Até conhecer Drew Evans, seu namorado persistente e seguro de si. Juntos, eles formam um casal que se jogam no trabalho e nas aventuras da vida a dois. Até que uma notícia (ou um possível mal-entendido) chega para abalar essa relação. Enquanto seus familiares e amigos acham que eles estavam vivendo o “felizes para sempre”, Kate e Drew entram numa crise. Ela vai para a casa de sua mãe em Greenville. Ele encontra na bebida uma forma de entender o que acontece com seu amor. Enroscado é uma história engraçada e sexy de um casal que não se cansa de desfazer velhos hábitos e busca sempre se reinventar. Nesse segundo volume, será que eles vão conseguir superar as surpresas que a vida a dois proporcionou ao longo do namoro?

Então Enroscado é o aclamado segundo volume da série que se iniciou com o livro Atraído, e desta vez conhecemos a história a partir do ponto de vista da Katherine. Eu já tinha ouvido falar bem mal a respeito do livro, e infelizmente descobri ser verdade a maior parte do que tinha lido.
A autora resolveu fazer o livro com o mesmo formato do primeiro, narrativa de primeira pessoa e em vários trechos como se o narrador estivesse falando conosco. Isso funcionou com meu amado Drew, mas com Kate deixou a desejar. Simplesmente não era o perfil dela e pareceu que ficou forçado, apenas porque tinha dado certo na primeira vez.
Assim como já tinha ouvido antes, achei esse livro bastante desnecessário. Ao mesmo tempo que não achei tão chato como foi taxado, achei porém que ele foi uma adição clichê a história, que tinha me ganhado justamente por sua originalidade – não na história em si, mas pela forma de contá-la.

O perdão é egoísta. Nós perdoamos não porque achamos que é merecido, mas porque é o que precisamos. Para encontrar paz. Para nos sentir completos.

O enredo da história não é nada, nada do já não tenha sido contato antes. Eu, particularmente, não gosto de histórias em que a problemática do casal é baseada em um mal entendido, o que é o caso aqui. Eles brigam e o drama do livro inteiro se desenvolve pelo fato de que ao invés de eles conversarem, cada um vai para um lado de cara feia, como duas crianças imaturas. Está certo que Drew pisa na bola bem feio aqui, com o teatro que ele arma para magoar Kate, mas também, nada disso teria acontecido se ela tivesse honesta com ele desde o início. Enfim, é um típico caso de ação e reação com proporções desastrosas.

– Eu não estou o defendendo, não faço ideia de por que ele fez as escolhas que fez. Mas… Não posso evitar sentir muito por ele. Porque um dia ele vai abrir os olhos e perceber que ele cometeu o maior erro de sua vida.

Para mim é muito mais válido trabalhar em cima de um verdadeiro problema, porque é isso com o que lidamos: problemas reais. E se ao menos eles percebessem que o problema deles foi a falta de comunicação e trabalhassem em lidar com isso… Mas não, como em histórias de romances previsíveis, a reconciliação é breve e superficial. Acho que o modo como eles se magoaram foi bem mais sério do que o final pressupõe, e desta forma, devia ter sido bem melhor trabalhado. Eu apenas não fiquei desapontada porque minhas expectativas eram bem baixas.Outra coisa que me incomodou demais nesse livro foi a quantidade de estereótipos femininos que são reforçados, e pela própria Kate. Os terrores da TPM, a mania de nunca falar o que está chateando e aparentemente querer que homens descubram sozinhos, sabe aquela baboseira toda das quais as mulheres são acusadas? Pois é, mais uma vez alguém diz que é tudo verdade. Eu nem tenho fôlego para discutir esse assunto, então vou deixar passar. Apenas saibam que somos mais uma vez estigmatizadas aqui.

Não posso apontar algo que tenha sido particularmente agradável para mim no livro, com exceção do epílogo que é contato pelo ponto de vista de Drew. O que posso dizer é que para mim foi uma história sem sentido, mas bem rápida. E ela resulta em frutos que durarão para o resto da história – #ficaadica. Eu pretendo continuar a série porque apesar de tudo, Drew continua sendo Drew, logo, como posso perder isso? Eu gosto da Kate, mas pelos olhos dele mesmo… Ler algo contado por ela não foi minha praia, não teve o mesmo encanto, mas ainda acho que ela é uma boa escolha, páreo para alguém como ele.

Ele grita: – Eu aceito qualquer coisa que esteja disposta a me dar! […] Mas não me diga que acabou. Eu não vou aceitar isso.

O terceiro livro da série, Domado, conta a história de Delores – amiga de Kate – e Matthew – amigo de Drew; embora eu ache a personagem de Dee Dee bem forçada, ela é engraçada e acho que ver detalhes sobre o romance deles dois possa ser divertido.

Preciso elogiar o fato da Universo dos Livros estar mantendo as capas originais dos livros, que são maravilhosas demais para palavras. A capa do terceiro livro é, por exemplo, uma das minhas favoritas. São literalmente “sexy sem ser vulgares”, lol.

Para quem é fã da série, não acho que esse livro vá desfazer o encanto de ninguém. Há algumas partes divertidas também, afinal, Kate também sabe ser engraçada. E esse livro me arrancou risadas também. É uma parte da série, então recomendo que leiam antes que continuem com ela. Serão poucas horinhas de leitura, e se você gostar, apenas estará ganhando com isso.

Apaixonar-se é fácil, continuar apaixonado(a) é difícil. Dedicado a todos aqueles que conseguiram permanecer apaixonados.

 

0 Comentários

Todos os comentários passam por aprovação, antes de aparecerem aqui! Vamos ler e responder todo mundo com muito carinho!

Nome: Email: Website:
Protected by WP Anti Spam

Assista aos Vídeos
[wonderplugin_carousel id="2"]
Equalize da Leitura © 2010 - 2016 ♥ Todos os direitos reservados
Tema desenvolvido por Débora M.