março 10, 2015Editora Intrínseca, Resenhas

[Resenha] Um Mais Um

0 Comentários

gsTítulo: Um Mais Um Título original: One Plus One Autora: Jojo Moyes Ano: 2015 Editora: Intrínseca Número de páginas: 320

É totalmente diferente dos outros e tão curioso e animador conhecer as outras vertentes pelas quais a autora se envereda para atrair e surpreender o leitor. Estou apaixonada. É isso.
Você pode se apaixonar por uma autora mais de uma vez? E pode ter mais de um livro favorito? Porque depois de Como Eu Era Antes de Você, Um Mais Um entrou para a lista de favoritos do coração para sempre. Singelo, espirituoso e divertido. Sem o drama do outro livro, mas com a sua carga de sofrimento e tristeza, vamos conhecer a história de Jess e família tão peculiar. Do outro, Ed Nicholls.

Há mais de dez anos, Jess ficou grávida, largou a escola e se casou com Marty. Dois anos atrás, o alívio tomou conta da sua vida quando ele finalmente foi embora, morar com a mãe. Jess simplesmente não aguentava mais as ideias furadas que o marido encontrava para tentar trazer dinheiro para casa. Como a questão financeira já era por sua conta, não foi como se ele estivesse fazendo muita falta. Jess faz de tudo para conseguir dinheiro: trabalha fazendo faxinas durante o dia e, se precisar arrumar um cano, consertar uma janela, instalar uma fiação, ela fará sem nenhum problema. à noite, ela trabalha como garçonete em um bar. E ainda assim é complicado.

Sua família é composta por Tanzie, a filha tagarela e super dotada em matemática, Nicky, o enteado gótico que sofre bullying na escola e dos vizinhos e Norman, o cachorro gigantesco que está sempre babando pelos cantos. O problema é que foi oferecido a sua filha uma bolsa de estudos, no qual terá um estudo totalmente voltado para formação e dom. Porém, mesmo com a bolsa generosa, Jess não conseguiria arcar com o restante das despesas. A oportunidade do momento aparece quando Tanzie é convidada para participar das Olimpíadas de Matemática, onde o prêmio daria para cobrir boa parte dos custos. O problema? Eles teriam que atravessar o país para chegar até o local. Valeria a pena… mas como chegariam lá?

Jess Thomas, a mulher que sempre dava um jeito, que passava a vida dizendo às crianças que “ia dar certo”, não estava conseguindo fazer aquilo dar certo.

Do outro lado, conhecemos Ed Nicholls. Ele é um geek, inteligente e fundador da própria empresa de software. E está ferrado, é essa a verdade. Por estupidez e um pouco de falta de malícia, acabou falando mais do que o necessário sobre os projetos da empresa para a mulher com quem estava saindo. O resultado maravilhoso é que agora está correndo o risco de ser preso, além de ter criado uma enorme confusão com o melhor amigo. Obrigado a se afastar do caso até que as investigações sejam concluídas, ele vai para sua casa de veraneio.

Bem ou mal, seu destino se cruza com o de Jess. Em um primeiro momento através de sentimentos nem um pouco agradáveis. E depois, ele acaba ajudando-os. Diante de muita confusão, é Ed quem leva a família de Jess para a Escócia, rumo as Olimpíadas de Matemática. Não seria fácil, mas quem imaginaria que a situação poderia ter tantos pós e contras? Enquanto um sabe o que é ter tudo rápido e fácil por causa de dinheiro, a outra sofre para pagar as contas e manter as crianças alimentadas.

Quando ele sorria, ela não conseguia evitar sorrir também. Quando ele parecia triste, algo dela se quebrava de leve. Jess observava-o com seus filhos, a naturalidade com que ele admirara uma foto que Nicky havia tirado com seu celular, a seriedade com que levara em conta um breve comentário de Tanzie – o tipo de comentário que teria feito Marty revirar os olhos -, e desejou que ele já fizesse parte de suas vidas há muito tempo.

O livro é narrado em terceira pessoa, de modo que os personagens principais são abordados de maneira que sua perspectiva do que está acontecendo fica bastante clara no decorrer da história. As aflições, confusões, amor, sofrimento, sentimentos desconexos e não interpretados: é muito mais fácil você gostar deles quando conhece pelo que cada um passa e a sua relação com tudo que está acontecendo.

IMG_1685

Existem tantos sentimentos e pontos para serem destacados neste livros: a ingenuidade de Tanzie quanto a vida, o sofrimento de Nicky por não conseguir se adaptar com as outras pessoas, Norman que é o cachorro mais (in)útil do mundo, Jess com a sua honestidade implacável, mesmo quando o resto do mundo não faz o mesmo por ela, Ed que percebe que o amor, afeição e carinho podem aparecer de diversas maneiras, das mais prováveis até as mais inexplicáveis.

Eu tenho um problema muito grande com personagens que são quase super heróis e que tem ao seu lado apenas a parte a da vida em que tudo dá errado. E ao mesmo tempo eu não conseguia largar o livro, pois a mesma dose de risos foi contrabalanceada com a dose de choro. Eu vejo milhares de mulheres representadas na Jess, assim como vejo milhares de homens representados no pseudo pai Marty. E ver o quanto ela se dedica e se esforça para que a filha possa ser feliz e ter outras oportunidades, apenas estimulando um dom que já tem, é inspirador. E sabe o que a Jojo fez? Pegou toda essa força de vontade de uma mãe e nos mostrou como tudo pode ser divertido, desesperador, triste e recompensador.

– Sei que não deveria – murmurou ele -, Mas acordei muito feliz. – Seu rosto examinou o de Jess. – É serio, de verdade, estupidamente feliz. Como se, apesar de toda a minha vida estar um desastre, eu simplesmente… eu me sinto bem. Olho para você e me sinto bem.

Várias pessoas me perguntaram enquanto eu lia se o livro tinha a mesma quantidade/qualidade dramática dos outros livros da autora. A resposta? Não! E é por isso que ele se torna tão especial! É totalmente diferente dos outros e tão curioso e animador conhecer as outras vertentes pelas quais a autora se envereda para atrair e surpreender o leitor. Estou apaixonada. É isso. E sabe o que é mais bacana? O romance não é o que permeia o enredo e sim o relacionamento entre as famílias. Isso sim é lindo!

Eu gosto muito da diagramação que, no geral, a Intrínseca dá para os seus livros, pois é muito agradável de ler. Além de tudo, gosto dos links que é feito com as capas dos outros livros da autora, apesar de que nesse não ficou tão próximo. Eu gosto da capa, mas acredito que esta ficaria simplesmente perfeita, por dar destaque àquilo que realmente é importante.

posts relacionados

Deixe seu comentário

Vídeos no canal

@araphadoequalize
© 2020 Equalize da Leitura • equalizedaleitura.com.brDesenvolvido com por