julho 24, 2015Resenhas, Universo dos Livros

[Resenha] Tied

0 Comentários

gsTítulo: Tied Título original: Tied Autora: Emma Chase Ano: 2015 Editora: Universo dos Livros Número de páginas: 254

OK, para ser justa, o começo do livro me agradou. Foi leve, divertido na medida certa, e serviu para matar a saudade do Drew… Mas então, nada mais aconteceu.

Último livro da série Tangled. Lembro quando comecei a ler o primeiro livro da série, imaginando que seria somente mais uma história de romance bobo. E não é que eu estava certa? Espere, deixe eu me explicar… Eu continuo sendo apaixonada pelo primeiro livro da série, eu acho que a autora fez uma premissa ótima, mas talvez não devesse ter prosseguido. Eu não gostei de nenhum dos livros que vieram depois. E com esse último não foi diferente.

A sinopse da história promete um clímax que ainda estou esperando. De verdade, o Drew não faz nada dessa vez. Nada. Não que eu esteja reclamando… Não preciso de um grande drama, nem de uma grande briga, mas… Uma boa história seria legal, hein? A história foi irrelevante, ainda que tenha sido engraçada. Porque não tem como ler um POV do Drew e não se desmanchar em gargalhadas. Ah, esse homem, eu adoraria conhecê-lo.

OK, para ser justa, o começo do livro me agradou. Foi leve, divertido na medida certa, e serviu para matar a saudade do Drew… Mas então, nada mais aconteceu. Fui ficando entediada. Vegas se tornou um clichê batido já, e o fato de todos terem viajado juntos foi um tanto sem objetivo. Existe um mini conflito entre Steven e Alexandra (irmã de Drew). A grande besteira que o Drew faz não foi grande, e muito menos uma besteira; foi no máximo um mal entendido que não se desenvolveu porque (finalmente) eles conversaram antes de tudo. Certo que poderia ter dado uma grande m*da, e por um momento pareceu que daria, então Drew resolveu agir como homem e não como um garoto com hormônios explodindo; a tempestade passou.

– O que você vai dar para ele?

Ela sorri de modo convencido. – Apenas o melhor presente que uma mulher pode dar ao homem que ela ama.

Eu dou meu melhor chute. – Sexo anal?

Kate coloca as mãos sobre os olhos.

Poderia ter acabado aí, no tédio e “mornez” das coisas, no entanto, bem, começaram as coisas que me incomodaram. Esse livro foi uma explosão de coisas sem sentido. A começar pelo filho de Drew e Kate… Sei que supostamente o garoto foi descrito para ser engraçado como o pai, mas eu acho que existe hora para tudo e sou contra determinados tipos de brincadeira com crianças. Brincadeiras sexuais com os peitos da mamãe? Não. Desculpe, mas não. Existe um limite, galera.

Mas o que mais me incomodou no livro? O que o tornou finalmente inaceitável? O espetáculo de estereótipos que ele prega. E eu o.d.e.i.o estereótipos. Não sou ingênua, essa série traz estereótipos desde o primeiro livro e por muitas vezes o humor estava pautado neles. Entendo, aceito e reconheço. Mas sabe o que eu falei ali em cima sobre limites? Pois é, aqui foi extrapolado. E sabe o que é o pior disso tudo? É uma mulher escrevendo e reforçando estereótipos femininos. Caramba, em que década estamos? Minha irritação com esse livro chegou a um ponto que pensei em largá-lo, mas ele é pequeno e eu ainda sinto aquela dorzinha no coração ao largar um livro, então respirei fundo e terminei.

Em uma voz mais alta do que o pretendido, eu digo. – Oi, linda.

– Shhh! – ela ataca. – Se você acordar aquele bebê, eu vou arrancar cada pelo pubiano que tem na próxima vez que dormir.

O casamento deles não foi o suficiente para recuperar meu sentimento pela história. Foi ok, no máximo. Confesso que quando chegou a hora, eu já não estava no clima, porém. Cheguei à conclusão de que só gosto mesmo da Kate quando ela está rebatendo o que Drew diz, mas não necessariamente da pessoa dela. Então só restava somente o humor… Só que até o humor me pareceu muito forçado, todo diálogo era envolto de piadinhas e todo personagem tinha que ser um humorista. Então não. No fim, falhou até nisso.

Vocês querem um desfecho para série? Leiam. Mas vão devagar. Eu fui cheia de expectativas porque os livros 2 e 3 foram decepcionantes, mas pensei: ah, o segundo foi no ponto de vista da Kate, por isso não gostei; ah, o terceiro foi a história da Delores e do Matthew, por isso foi morno, mas não. A Emma Chase deu sorte no primeiro livro da série, e depois quis seguir a mesma receita de bolo usando ingredientes diferentes. Bem, para mim, o bolo solou.

– Que o dia mais triste de seu futuro e de Kate não seja pior que o dia mais feliz do passado de vocês.

posts relacionados

Deixe seu comentário

Vídeos no canal

@equalizeleitura
© 2019 Equalize da Leitura • equalizedaleitura.com.brDesenvolvido com por