Relatos de Uma Blogueira

Eu já me arrependi de várias coisas:

IMG_4400

Escolher suco de morango ao invés do meu sempre tradicional suco de maracujá com leite. O primeiro veio terrível, desbotado e sem açúcar enquanto o segundo não tem como errar uma vez que estamos falando de maracujá, por favor.

De brigar com meu (s) amigo (s) virtual (is) e apenas depois de anos ir lá falar com ele (s) e falar: ó, tá tudo bem, okay?

De ter comprado um celular que a câmera é pior do que o do telefone do meu pai, que são daqueles de tecladinho, que você aperta 4 vezes a mesma tecla para aparecer a letra S.

De ter demorado tanto tempo para descobrir como água de coco pode sim ser bem gostosa. Me julguem.

De pedir um cachorro quente completo no Rio de Janeiro e ele vir com azeitona (!) e uva passa (!!!!!!!!!!!!!!). Inadmissível. E comprar uma pipoca doce que não era rosa e ela estava mais cheirosa que gostosa.

Comprar um coturno floral muito legal, mas na qual eu não estilo – e nem roupas! – para usar.

De ter demorado a comer camarão na praia por frescura.

Marcar a data para buscar meu brinde na loja especificamente daqui quando está viajando e perdi o prêmio.

O meu último arrependimento, recentemente, foi ter trocado o estável pela aventura. E ter quebrado a cara. Eu sempre bati no peito e falei com alegria que eu prefiro viver essa aventura chamada vida, não dar certo do que não ter tentado. Eu realmente acredito nisso, verdadeiramente. Só que, talvez, até para você se aventurar tenha tempo certo.

Assim que eu voltei de Nova York – parece que a minha vida está se baseando entre antes e depois dessa viagem -, recebi uma proposta de emprego diferente do que era, até então, meu trabalho atual. Fui lá bater um papo com o dono, percebi que era bem diferente mesmo do que eu estava trabalhando e a proposta me atraía, uma vez que eu teria que lidar com redes sociais, apesar do salário se manter.

E lá fui eu.

Me decepcionar.

Para.

Todo.

O.

Sempre.

A parte de adaptação foi péssima, isso eu nem vou entrar em detalhes. Eu saí de uma empresa de grande porte, onde amava e adorava (quase) todo mundo para trabalhar em uma empresa que não tinha nem 10 pessoas. Fora isso, teve vários outros problemas no decorrer dos dois meses de experiência.

Eu estou arrependida de não ter dinheiro. É A PARTE CAPITALISTA DO MUNDO DITANDO REGRAS SOBRE MIM? Pode ditar, porque eu estou sentindo falta mesmo. Por que sem dinheiro eu não posso planejar minhas viagens malucas e que a maioria eu sei que não vou cumprir, não posso comprar minhas besteiras e comer meus doces na hora que me der vontade, nem colocar gasolina no carro da minha irmã para ela me levar para alguns lugares, não posso pagar a faculdade e com isso fico restrita ao meu aprendizado (momento dramática mode on), não posso comprar minhas coisas que são investimentos toscos mas que eu gosto. Resumindo: não faço nada.

Outra coisa que você percebe: seu discurso só é lindo até o momento em que você não passa por nada daquilo que julga ser lindo. É um tapa na cara, literalmente.

IMG_4418
Okay, eu também sinto falta de não ter pessoas me pedindo as coisas mais malucas da vida, do telefone tocando durante todo o dia, das demandas mais bizarras que jorravam na minha mesa, das reuniões com pessoas de vários departamentos, de reclamar que as cosias ali nunca iriam mudar, ter pessoas para almoçar, de ficar até mais tarde para resolver jobs que poderiam ter sido resolvidos mais cedo mas que ninguém teve a decência de tentar fazer isso, de revisar textos em 6 idiomas, de receber spams, de atender intercambistas, jornalistas, pessoas da área de comunicação e de outros ministérios atrás de notícias malucas ou não, de deslizar na cadeira para o pessoal do outro departamento não ver que eu estou na mesa enquanto o telefone toca e eu estou contando até 10 para não me estressar, de resolver 5 jobs ao mesmo tempo, de confundir as demandas com o artefinalista e ter que refazer tudo de novo, de respirar fundo, saber que tá ferrado mesmo e colocar o som para tocar enquanto vai resolver tudo que precisa. Do aprendizado. De levantar todos os dias com o propósito do trabalho.

Com isso, eu consigo dizer para vocês coisas que eu aprendi:

– Você realmente tem que lidar com as suas escolhas. E lide com elas da melhor maneira possível, pois, o que passou já foi e agora é prospectar novas oportunidades.

– Foi um péssimo momento para me aventurar, uma vez que o país está aí, bem caótico.

– Você realmente vê que ter dinheiro não significa que você não seja babaca. E que eu não sei lidar com pessoas arrogantes, prepotentes e, além de tudo, que não conseguem enxergar além daquilo que o seu mundinho (de riquezas) lhe mostra.

– Que você está sempre em processo de aprendizado e que não pode nunca, nunca, NUNCA mesmo deixar que ninguém faça você se sentir como se o que fizesse a experiência que você tem não serve para nada. Sabe por quê? Por que tudo que fazemos na nossa vida é carregado de experiências válidas. Nem sempre você se encaixa em um lugar e isso não significa que você merece ser menosprezado por isso.

– Que eu preciso começar a buscar outras alternativas enquanto não encontro um emprego novo. Então, vou começar a estudar inglês sozinha, atualizar tudo que eu preciso no blog e fazer um estudo de como ele pode me trazer uma renda, mesmo que minúscula e procurar outro emprego rapidamente.

– Que, às vezes, é mais do que necessário você ser mais racional e menos emocional. Facilita demais nas suas decisões.

13 Comentários

  1. Andreza disse:

    Olá Raphaela, eu sigo o seu blog a algum tempo, mas nunca me manifestei por aqui… Bem, gostaria de te agradecer por compartilhar esse desabado, por mostrar que nem sempre as coisas saem como esperado, mas o importante é como você lida com seus problemas.
    Eu espero de verdade que você não desanime, que continue a procurar um trabalho que você se encaixe bem :DD

    • Raphaela Raphaela disse:

      Andreza,

      nem tenho palavras para agradecer pelo seu tempo para deixar aqui o seu comentário. Todos sabemos que a vida não é feita apenas de momentos de felicidades e alegria e que quebrar a cara faz parte do processo de aprendizado. Continuo na busca para encontrar aquilo que me faz feliz. Muito obrigada mais uma vez!

  2. Janaina Alves disse:

    Adorei sua postagem, e concordo plenamente em dois pontos:
    1º) Acho sempre muita hipocrisia quem fala que dinheiro não é importante. Dinheiro é importante sim, e para todo mundo. Eu quero ter dinheiro para comprar meus livros, viajar, fazer as coisas que me fazem feliz, mas existem coisas muito mais básicas do que isso, como comida ou um teto na sua cabeça. Todos precisamos (e queremos) ter dinheiro, assumindo ou não.
    2º) A vida (felizmente ou infelizmente) é feita de escolhas. Também não gosto de quebrar a cara (mesmo que seja apenas deixando de pedir o suco que eu estava acostumada), mas, o que me consola, é que eu não tenho uma bola de cristal, portanto, jamais vou saber onde minhas escolhas vão me levar, se aquilo seria certo ou errado, mas, por mais que eu fique chateada, o importante é seguir em frente, e continuar tentando.
    Cabeça erguida e pensamento positivo.
    Tudo vai dar certo 😀

    • Raphaela Raphaela disse:

      Jana, dinheiro é importante para mim. Se para outras pessoas, não, tudo bem para elas. Eu quero ter o mínimo para poder viver bem e gastar com todas as minhas besteiras e tentar conquistar e comprar minhas coisas. Se os itens que eu citei aqui podem parecer fúteis e idiotas, tem muitas outras coisas importantes, nas quais não preciso citar, que é necessário dinheiro para ter. A minha escolha não foi a melhor no momento, realmente, mas irei lidar com ela da melhor maneira possível. Muito obrigada por ter compreendido muito bem, pelo menos em dois pontos, que nem tudo é como queremos e que MUITA coisa pode dar errado.

      Beijos,

  3. Anna Leticia disse:

    As fotos arrasaram

  4. Nane de Oliveira disse:

    Oi Rapha, eu passei por um dilema parecido.
    Meu primeiro emprego foi num concurso público onde eu tinha um salário razoável e vivia e stressada. Isso começou a afetar a faculdade e acabei escolhendo largar o emprego. Pedi exoneração de um cargo público para ir trabalhar numa empresa privada onde iria receber bem menos e não teria a mesma estabilidade. Me arisquei! Se não fosse por pelo dinheiro que eu tinha guardado do trabalho anterior, teria ficado muito endividada nessa transição. Hoje meu trabalho não prejudica minhas aula na faculdade, pois consigo cursar todas. E pelo incrível que pareça ainda consigo fazer planos de viagem que antes, recebendo mais, nem passava pela minha cabeça. Nem tudo são flores, tenho constantemente problemas com o pessoal do trabalho, porém não deixo isso me desmotivar. Me apego as coisas positivas que ele me proporciona.

    O que eu gostaria de dizer para você é que uma mudança sempre é difícil e não se martirizar por sua escolha não ter saído como planejado. Nunca é. Pense que você tentou. Se não tivesse tentado ficar imaginando que talvez pudesse estar melhor nesse emprego. Se atenha aos pontos positivos. O que vc aprendeu com isso? Sempre há um lado positivo, algo que você tenha aprendido com tudo isso. Não se culpe por seguir um caminho que não lhe grudou no final, continue a caminhada que outros caminhos abrirão.

    Seu blogueiros é maravilhoso, vc com certeza irá conseguir tirar uma renda extra dele. Observe os outros blogs que conseguem e veja o que eles fazem.

    E sobre o inglês que vc comentou que vai tentar aprender sozinha, eu não consigo ensinar do zero, principalmente pelo Internet, mas se tiver dúvidas pode me contatar com certeza. Meu email está aqui.

    Beijos,
    Nane

    • Raphaela Raphaela disse:

      Nane,

      que inspirador esse seu comentário! Eu, verdaeiramente, consigo entender tudo que você falou, às vezes, simplesmente não vale a pena todo o estresse, as confusões e dores de cabeça. Eu não me arrependo da minha escolha, e como você falou, eu aprendi muito e tirei boas lições com ela. Eu ainda acho que devemos tentar e quebrar a cara, apenas acredito que eu tenho que pensar melhor na próxima vez antes de sair tomando decisões.

      Muito obrigada por ter dedicado um pouco do seu tempo para deixar esse comentário gigante e motivacional para mim! <3

  5. Renata disse:

    “– Que você está sempre em processo de aprendizado e que não pode nunca, nunca, NUNCA mesmo deixar que ninguém faça você se sentir como se o que fizesse a experiência que você tem não serve para nada. Sabe por quê? Por que tudo que fazemos na nossa vida é carregado de experiências válidas. Nem sempre você se encaixa em um lugar e isso não significa que você merece ser menosprezado por isso.”
    Isso era exatamente o que eu precisava ler pra entender minha situação atual no meu emprego.
    Eu simplesmente odeio o que faço, me sinto inútil, e infelizmente numa tentativa de tentar mudar as coisas, sinto que me foi tirado a liberdade de escolha por pessoas que me perguntaram o que estava acontecendo e que nesse tempo todo em que estou efetivada esperavam que eu já tivesse me acomodado de certa maneira.
    Apesar de você ter se arrependido de algumas escolhas e que esteja passando por dificuldades financeiras, eu daria tudo para ter a mesma disponibilidade de tempo para me dedicar aos meus estudos.
    Desculpe pelo desabafo, adoro o seu blog.
    Beijos!

    • Raphaela Raphaela disse:

      Renata,

      sinta-se sempre à vontade para desabafar por aqui, eu esperava que ninguém fosse ler o que eu escrevi, mas pelo contrário, apareceram muitas pessoas, inclusive você. E isso é realmente gratificante.

      Eu realmente espero que você consiga resolver a sua vida da melhor maneira para VOCÊ. Eu passei nesse mesmo emprego pelos piores sentimentos que eu poderia sentir ao mesmo tempo e foi péssimo. Se você estiver sentindo o que eu senti… abandone-o, se puder. Espero, de coração, que tudo melhore para você.

      Beijos,

  6. Carla disse:

    Eu só queria dizer que ter lido esse seu texto nesse exato momento da minha vida me fez respirar mais tranquilamente. E pensar que eu fiz uma escolha certa e racional. Enfim, não preciso dizer o que foi, mas eu só quero agradecer pelo post. Principalmente por essas partes:

    “Eu sempre bati no peito e falei com alegria que eu prefiro viver essa aventura chamada vida, não dar certo do que não ter tentado. Eu realmente acredito nisso, verdadeiramente. Só que, talvez, até para você se aventurar tenha tempo certo.”

    “Você realmente tem que lidar com as suas escolhas. E lide com elas da melhor maneira possível, pois, o que passou já foi e agora é prospectar novas oportunidades.”

    “Que, às vezes, é mais do que necessário você ser mais racional e menos emocional. Facilita demais nas suas decisões.”

    Beeeeijos e ó, vai dar tudo certo.

    • Raphaela Raphaela disse:

      Carla,

      NUNCA pensei que esse texto fosse dar um retorno tão positivo, principalmente porque eu me senti acolhida e também porque quem leu se identificou. Isso só mostra que algumas experiências são compartilhadas por todo mundo, em épocas diferentes da vida, em maior ou menos intensidade. Tudo que eu falei foram verdades e espero que você consiga encontrar o seu caminho feliz!

      Um beijo! :*

  7. Assim, não li todos os comentários, mas eles parecem ótimos ….ihihihihih….queria fofocar sobre isso kkkkkk
    Esse lance de quebrar a cara faz parte….minha área é diferente, eu trabalho em farm´´acia hospitalar. Saí de uma de grande porte que o salário era bom, mas não bom o suficiente para a responsabilidade que eu tinha (era muita) e lá também eu era diarista e pegava um engarrafamento da porra sendo até perto da minha casa. Saí para ser plantonista em outro hospital ganhando bem mais e trabalhando menos….Porém lá era uma ZONA!!!!!!! Tudo desorganizado, a chefe gostava de gente puxa saco (não tenho tino para isso) e o pessoal puxava o saco dela e tinha gente que enrolava o dia todo e muitas faltas. Cheguei a trabalhar só com um auxiliar (num hospital imagina???? ) enfim…….o dinheiro não me segurou e as pessoas eram falsas até dizer chega!!!!!!! Daí fui para outro hospital onde recebia acho que a metade do salário que eu tinha lá no primeiro…..só que para fazer a mesma coisa!!!!1 Triste, né? Fui promovida e algumas coisas melhorarem mas ainda não são as mil maravilhas….estou lá, é perto de casa, tenho uma certa liberdade, mas muita responsabilidade também……Porém estou estudando, fazendo outro pós e em busca de outras oportunidades….vou tranquila enquanto não me enche demais o saco….Mas o que eu quero dizer com isso? Que essas loucuras da vida fazem parte e nos dão bagagem para seguir em frente. Se você está correndo atrás das suas ideias e sonhos e vontades, tudo ok, no final a gente tem que ter fé que vai dar certo. Porque sem ela a gente não vive ….♥
    bom era isso a minha mensagem…..cheguei no seu blog agora, (primeira vez que comento) mas vou dar uma fuçada por aí ♥♥♥
    bjs

Todos os comentários passam por aprovação, antes de aparecerem aqui! Vamos ler e responder todo mundo com muito carinho!

Nome: Email: Website:
Protected by WP Anti Spam

Assista aos Vídeos
[wonderplugin_carousel id="2"]
Equalize da Leitura © 2010 - 2016 ♥ Todos os direitos reservados
Tema desenvolvido por Débora M.