setembro 12, 2016Editora Seguinte, Resenhas

[Resenha] Uma Canção de Ninar

2 Comentários

Título: Uma Canção de Ninar Título original: This Lullaby Autora: Sarah Dessen Ano: 2016 Editora: Seguinte Número de páginas: 350

Uma Canção de Ninar não é um livro imprevisível, que deixa o leitor trêmulo com os acontecimentos, nem nada do tipo, mas é um livro muito bom para quem gosta de romances e precisa de uma ajudinha pra acreditar de novo no amor.

Remy era uma garota comum que acabara de terminar o ensino médio e não via a hora de ir para uma faculdade longe dos casamentos loucos e não-duráveis de sua mãe. Antes disso, porém, havia o quinto casamento e ela ficara encarregada de organizá-lo.

Sua mãe, Barbara Starr, era uma escritora romântica famosa que não conseguia viver suas aventuras amorosas na vida real, o que fez Remy acreditar que o amor não existia. Já seu pai era um músico que deixou um legado para sua filha, apesar de tê-la abandonado quando recém-nascida e falecido pouco tempo depois. A música chamada Uma Canção de Ninar, que ele escrevera em homenagem à pequena Remy, continuava tocando em todas as rádios, mesmo depois de anos, o que apenas servia de lembrete para a garota: nunca, em hipótese alguma, saia com um músico.

Esta canção de ninar
Tem poucas palavras
Apenas alguns acordes
Neste quarto vazio
Mas você pode ouvir e ouvir
Aonde quer que vá
Vou te decepcionar
Mas esta canção vai continuar a tocar…

O que acontece depois é previsível, porém interessante. Dexter, um músico totalmente desorganizado e de bem com a vida, é chamado pra tocar no casamento da mãe de Remy com sua banda, e assim o caminho dos dois se cruzam.

O livro é super fofo, com personagens bem marcantes e a narração em primeira pessoa pelo ponto de vista de Remy faz o leitor relembrar a adolescência, quando não se sabe ao certo como lidar com os pais, com as paqueras, os amigos, as festas e a faculdade.

– Eu posso escrever uma música pra você – ele ofereceu, indo atrás de mim. Eu andava tão rápido que estava derramando as cervejas. E mesmo assim ele conseguia me acompanhar.
– Não quero música nenhuma.
– Todo mundo quer uma música!
– Eu não.

As questões básicas dos relacionamentos, como as brigas de irmãos, o fato de ter que se dar bem com um padrasto, lidar com traição, ter que se separar das amigas do ensino médio, entre outras, foram muito bem construídas na história, o que cria lições de vida bacanas.

Escolhi este livro em especial porque eu namoro um músico e achei super legal a ideia de colocar o lembrete de Remy na capa do livro. Adorei o fato de Remy ter uma música em homenagem à ela, pois acredito que tudo que está escrito torna-se infinito e a importância dessa música na vida dela é trazida de uma bela forma em sua narração. A citação de várias bandas de rock também me deixou feliz com o livro e o final da história não me decepcionou.

Uma Canção de Ninar não é um livro imprevisível, que deixa o leitor trêmulo com os acontecimentos, nem nada do tipo, mas é um livro muito bom para quem gosta de romances juvenis e precisa de uma ajudinha pra acreditar de novo no amor. Não é um dos meus gêneros favoritos, mas a música foi um ponto que ganhou meu coração. Sabe aquela história feita para você relaxar depois de uma semana doida? É essa.

Enquanto o resto do mundo seguia alheio, tomando café, lendo o caderno de esportes e pegando as roupas na lavanderia, eu me inclinava para a frente e beijava Dexter, fazendo uma escolha que mudaria tudo.

posts relacionados

Deixe seu comentário

2 Comentários

  • Betto Gomes
    12 setembro, 2016

    Livros que investem em algo que foge dos clichês são ótimos, lindos e fantásticos. Porém, nada como um romance clichê ?
    Adorei a resenha e já adicionei esse livro na minha lista.
    Achei esse blog no Instagram e já virei fã e leitor. Parabéns!

    • Camila
      15 setembro, 2016

      Obrigada pelo comentário, Betto! Um clichê sempre faz bem <3

  • Vídeos no canal

    @equalizeleitura
    © 2019 Equalize da Leitura • equalizedaleitura.com.brDesenvolvido com por