outubro 03, 2016Editora Seguinte, Resenhas

[Resenha] Por Lugares Incríveis

2 Comentários

Título: Por Lugares Incríveis Título original: All the Bright Places Autora: Jennifer Niven Ano: 2015 Editora: Seguinte Número de páginas: 335

É difícil falar que eu não gostei tanto desse livro quando parece que todo o restante do mundo é simplesmente apaixonado por ele. O fato é que eu não conseguir me envolver com a história desse livro como a maioria das pessoas.

É difícil  falar que eu não gostei tanto desse livro quando parece que todo o restante do mundo é simplesmente apaixonado por ele. O fato é que eu não conseguir me envolver com a história desse livro como a maioria das pessoas. Não estou desprezando o seu conteúdo nem falando que não é importante ou que o tema não precisa ser abordado – porque precisa! -, mas não senti essa ligação apaixonada pela qual eu vejo leitores ao redor do mundo falando.

c360_2016-06-30-13-24-45-635

Violet Markey perde a vontade de viver depois do acidente de carro que sofre junto com a irmã, que morre. Ela se sente culpada além de sentir uma tristeza e saudade absurda de uma das pessoas que mais amava no mundo. É difícil de seguir a vida, quando a irmã era popular, uma filha, irmã e amiga maravilhosas.

Com Theodore Finch as coisas são diferentes, mas não melhores: em sua personalidade incomum, toda a semana ele encarna um personagem: faz parte de ser quem ele é sentir-se assim. Mas as pessoas são malvadas e começam a praticar bullying, e aberração é o de menos que ele ouve. Sendo perseguido na escola, acaba afastando-se de todos e ainda tem que lidar com o pai violento e a apatia da família, que assim como os colegas da escola, o ignoram.

Enquanto Violet sonha em acabar o ano letivo e mudar-se para Nova York e começar a faculdade de Escrita Criativa que tanto sonha, Finch pesquisa sobre diversas maneiras de suicídio e se teria coragem de seguir em frente com algumas dessas técnicas. Quando menos se espera, o destino une os dois: no alto da torre da escola, Finch está imaginando como seria os pais, colegas e professores encontrá-lo morto, depois de ter se jogado e depara-se com Violet ali em cima. De forma improvável, os dois se ajudam a sair daquele lugar e dar início a uma amizade que começa quando tem que fazer um trabalho de geografia, visitando os lugares mais incríveis ou pitorescos ou interessantes na cidade. Violet encontra em Finch o desejo de voltar a viver, sem que é sem medo e Finch encontra em Violet a oportunidade de ser quem é, sem sofrer.

porlugaresincrieisraphaelabarrosequalizedaleitura-1

Por Lugares Incríveis é um livro que precisa ser apresentado ao mundo, simplesmente pelo fato da autora ter tido a ousadia de escrever sobre um tema que ninguém mais fala: suicídio. Precisamos falar sobre sobre o assunto, precisamos falar com as pessoas que estão tristes que não conseguem encontrar outra solução para a sua dor que não seja tirar a própria vida. E enquanto mídia, adultos, todo mundo no geral continuar a ignorar pessoas assim, vamos continuar sofrendo em silêncio, junto com pessoas que sofrem muito mais e suas famílias.

O Finch é um personagem bem peculiar. De verdade. Mas a estranheza das pessoas geralmente é o que me atrai, então, eu sentia um carinho especial e tentava descobrir qual seria o Finch da próxima página. Violet é tão sincera em sua dor, em como sente falta da irmã que qualquer pessoa que tenha um irmão consegue se identificar com ela e o livro segue por uma montanha de sentimentos: tristes, confusos, conflituosos, levemente felizes, de descobertas. O final tão é tão imprevisível, mas você precisar acompanhar toda essa trajetória para encontrar a resposta.

Acho que o eu não gostei do livro é maneira como ele é contado, é algo meio lírico que não me parece entrar na realidade de muitas das pessoas que estão sofrendo tanto ou mais quanto o descrito no livro. Eu precisava de algo mais pé no chão, mais bruto talvez, mais tapa na cara. A autora escreveu sobre algo feio, sobre um tema polêmico e trouxe uma maneira que o leitor conseguisse se envolver. Eu entendo, mas não funcionou comigo. Não significa que desprezo o tema, só que eu imaginava que ele me encantaria, me atrairia, que eu encontrasse nas páginas os motivos para me apaixonar.

porlugaresincrieisraphaelabarrosequalizedaleitura-2

posts relacionados

Deixe seu comentário

2 Comentários

  • Alice
    04 setembro, 2017

    Gnt! Concordo plenamente com vc, comprei o livro esperando demais (talvez esse tenha sido o problema ) eu tenho 14 anos e não consegui ver aquilo que as outras pessoas viram. Acho q esperava uma coisa bem mais crua e um romance mais envolvente.

  • Leticia
    03 outubro, 2016

    Nossa sua resenha descreveu exatamente o que eu senti lendo este livro. Fui cheia de expectativas porque todos elogiam muito a história, mas para mim não rolou, não me senti entrosada na história, mas como você disse boa o sobre o suícido é tema que precisa ser levado em questão, talvez por isso seja um livro tão procurado pelas pessoas. Beijos

  • Vídeos no canal

    @equalizeleitura
    © 2019 Equalize da Leitura • equalizedaleitura.com.brDesenvolvido com por