Relatos de Uma Blogueira

Há um ano atrás, eu escrevi esse texto Eu Já Me Arrependi de Várias Coisas no blog falando sobre algumas mudanças que mexeram significativamente comigo em 2015: como eu tinha saído de um emprego estável para me aventurar em algo novo e não deu certo, algumas experiências que eu tive no decorrer dessas decisões e algumas lições que eu tirei dos últimos 4 meses do ano e minhas perspectivas.

Um ano depois eu queria conversar com vocês sobre como minha vida deu outro salto em direção contrária. Às vezes sinto que eu estou em um furacão, sendo lançada de um lado para outro, e isso não quer dizer que é de uma maneira ruim.

No início do ano eu ainda estava desesperada em busca de emprego: apesar de morar com os meus pais, nunca ter me faltado comida em um único momento da minha vida, as faturas do cartão de crédito estavam chegando e uma das soluções foi vender os meus livros por um preço mixuruca. SIM, EU VENDI. Eu dei um limpa na minha estante, vi quais eu não iria querer de jeito nenhum, consegui retirar cerca de 200 e foi assim que eu fiquei nos últimos meses do ano. Era caos total para mim, não do tipo de OH, NEM CONSIGO DORMIR – afinal de contas, temos prioridades e sono com certeza é uma para mim -, mas de levantar e ficar pensando em pequenas soluções para os problemas atuais.

Eis que em janeiro eu começo a ser chamada para fazer várias entrevistas e em uma delas sou FINALMENTE contratada: iria trabalhar na área de marketing de um grupo de concessionárias aqui de Brasília, mas que tem sede em dois estados. Eu aceitei trabalhar para receber menos da metade do que eu recebia dos empregos anteriores, atendendo 3 lojas de marcas diferentes. Obviamente que eu aceitei, não apenas pelo dinheiro, mas porque eu sempre tento abrir minha mente e coração para novas oportunidades. Eu iria trabalhar com varejo e vendendo carros, algo que nunca passou pela minha cabeça que pudesse acontecer.

Resumindo: a experiência foi bacana até certo ponto – foi totalmente diferente de trabalhar com governo, que era o que eu tinha feito até então e eu fui aprendendo aos poucos muita coisa. Eu tinha um chefe que era gente boa e sabia muito, mas ficava resolvendo outros problemas do que me ajudando a entender os fluxos do que estava rolando. Eu acabei tomando iniciativa para tentar resolver no lugar de esperar que ele me mostrasse. E foi bacana até que ele foi ser gerente em outra área e me deixaram SOZINHA fazendo o MEU TRABALHO e o do GERENTE. Que coisa linda! E eu não recebi um centavo por isso. E eu estava infeliz: trabalhava dentro de uma sala sozinha durante 5 dias da semana, sem contato com outro ser humano. Uma pessoa que trabalha na área de comunicação trabalhando sozinha… Não era o emprego dos meus sonhos, mas eu estava recebendo meu salário, fazendo meu trabalho, mas não era o que eu queria. Eu não levantava todos os dias feliz em saber que eu teria um desafio novo e o emprego ainda era bem longe e isso é resumir bem os pormenores que não vale a pena contar.

EU ESTAVA INFELIZ!

Para piorar, eu comecei a ser assediada por uma pessoa que tinha um cargo alto dentro da empresa. Desde que eu passei por transição, eu me sinto uma nova Raphaela: essa sim sou eu, com meu cabelo cacheado, crescendo, usando faixas, fazendo dedinho, penteados. Gosto de usar brincos longos e batons coloridos e escuros, não gosto de sandálias mas amo tênis e botas. E eu nunca pensei, em toda a minha vida, que eu passaria por uma situação assim. Em dias diferentes ele falava sobre o meu cabelo de maneira debochada e rude, coisas do tipo “Quando chove não entra água no seu cabelo não, né?” ou “Você não penteou o cabelo hoje, não? Ele está todo para cima“. Além de estar infeliz, eu passei a odiar todo mundo naquele lugar. E não é tão simples você enfrentar esse tipo de brincadeira(?)/preconceito e eu me senti impotente, diminuída, arrasada. Fiquei pensando em quantas mulheres no mundo passam pela mesma situação (e muito pior!) e tem que se manter calada por precisar do dinheiro no fim do mês para sustentar a família. Enfim, foi um episódio que me fez ver a situação por diversos ângulos e refletir que é mais difícil do que se imagina BERRAR, GRITAR e EXIGIR RESPEITO. A situação toda é muito complicada porque 1. você não está esperando que alguém vá falar do seu cabelo e 2. é pego de surpresa.

Eu comecei a buscar por outros empregos. A minha irmã estava ficando possessa todas as vezes que eu chegava em casa falando sobre o que tinha acontecido e eu também estava aborrecida ao extremo com a situação, já tinha falado com outras pessoas que teriam o poder de mudar algo, mas para quê? Continuou como se nada tivesse acontecido. E quando eu menos esperei, eu recebi uma ligação de uma pessoa que eu tive contato na Embratur, perguntando se eu estava trabalhando e se eu tinha interesse em um vaga para atendimento em uma agência! Eu já tinha feito uma entrevista anteriormente e não tinha dado certo e olha ela me ligando de novo!

DEU CERTO!

E eu estou feliz. Já falei em vários momentos que eu não tinha intenção de trabalhar em agência e está sendo uma experiência maravilhosa! Tenho uma equipe tão talentosa, trabalho com pessoas competentes e, apesar de falhas que todos temos, consigo sentir orgulho em trabalhar aqui. Nossas experiências traduz quem somos e onde queremos chegar. Eu não sei ainda onde quero chegar, mas estou aproveitando cada segundo desse momento para que eu consiga apenas ir mais e mais e mais longe.

  • Você as vezes tem que se prestar cada papel por causa de trabalho que vou te contar.
  • Você percebe que existem categorias de empresas para trabalhar e isso é muito sério. Eu saí de um ambiente onde você é sufocado, ninguém respeita (mulheres) e te leva a sério para um onde – pode haver todos esses problemas -,  você tem o direito de impor limites e brigar (caso seja necessário) para exigir que o mínimo de respeito seja dado e as pessoas compartilham, se ajudam. Eu tenho uma equipe inspiradora. Eu trabalho com pessoas competentes. Eu rio de coisas que não fazem sentidos para o restante da equipe mas que me faz lembrar quão feliz estou sendo aqui.

 

Lembra que eu falei para nunca deixarem ninguém subestimar sua inteligência ou capacidade? São pequenos passinhos que vai fazer a diferença. Eu tenho certeza que todos vamos encontrar pessoas para ajudar a melhorar essa caminhada e no lugar de diminuir, multiplicar qualidades que fazem de nós não apenas bons profissionais, mas seres humanos maravilhosos.

8 Comentários

  1. Que texto lindo, Rapha ♥

    Fico feliz em saber que tudo deu certo para você.
    Já me disseram que a vida adulta não é fácil, e acredito que não seja mesmo. Não é tão simples assim conviver com pessoas diferentes (quando se entra em um novo emprego, por exemplo) todos os dias, muito menos com pessoas que menosprezam você. Pessoas que fazem você se sentir um lixo (quando na verdade deveria se sentir maravilhosa) apenas para se sentirem melhor não merecem você.
    E você é incrível <3

    Beijos,
    Flávia Bergamin

  2. Bruna disse:

    Rapha e renovador poder partilhar desse texto que conta um pouco da Rapha por tras das câmeras e saber que sim você e uma guerreira assim como imaginei e sim passa por problemas de acedios e preconceitos que um dia eu ja passei por gostar do meu batom vermelho meu cabelo cacheado ou minha roupa preta de anime.

    E é isso minha flor desistir jamais todos somos capazes e temos muito valor e desanimar jamais por o mundo da voltas e nessa terra tudo que se faz se paga

    Nunca desista dos seus sonhos seja muito feliz e continue nos agraciando com suas palavras

    Sucesso Rapha

  3. Wellington disse:

    Uau muito legal vc compartilhar isso… Bom eu já passei por situações semelhantes então entendo como é se sentir impotente em certas situações especialmente em relação ao trabalho. Você pensa primeiro em desistir porque parece mais fácil mais dai você pensa em tudo à sua volta menos em você… enfim… Gostei que você correu atrás do que é melhor pra você. Bom seu texto é maravilhoso e com certeza vai espirar muitos de nóis. Um abraço e se cuida. até

  4. Dani Marçal disse:

    As pessoas gostam de ver o que vc tem e conquistou, mas não querem saber quantas pedras vc teve que ultrapassar para conquistar o sei castelo. Mtu bacana seu post.

  5. Hannah disse:

    É isso aí, sua linda! Ser sempre quem você é. Passar por certas situações nos faz mais forte! Amo ver você feliz. ?

  6. Renata Santos da Silva disse:

    Raphaela muito obrigada em compartilhar um pouco de sua jornada nessa vida louca!!! Fico muito feliz em saber que está bem, em um ambiente que te acrescenta.
    Comecei a acompanhar seu trabalho esse ano e amo demais seus vídeos, suas fotos, seus comentários, suas resenhas, enfim, todo o seu trabalho!!! Parabéns!!!
    Desejo que as suas novas páginas em 2017 sejam escritas com muitas descobertas, abraços apertados e demorados, surpresas, suspiros, felicidades, paz, amor e saúde!!!
    Gosto demais de você!!!
    Beijos e abraços!!!

  7. Como faz para curtir 1000x? Que texto maravilhoso! Estou emocionado com suas palavras, Rapha. Como eu já te disse diversas vezes, você é só uma pessoa incompreendida e por trás dessa casca de moça durona, tem uma moça fofa que merece todo o sucesso do mundo. Sua linda, estou mais do que feliz de ter conhecido você e de poder compartilhar um pouco dessa felicidade. Continue sendo essa pessoa sincera, sonhadora e batalhadora que é.

    Beijos do moço.

Todos os comentários passam por aprovação, antes de aparecerem aqui! Vamos ler e responder todo mundo com muito carinho!

Nome: Email: Website:
Protected by WP Anti Spam

Assista aos Vídeos
[wonderplugin_carousel id="2"]
Equalize da Leitura © 2010 - 2016 ♥ Todos os direitos reservados
Tema desenvolvido por Débora M.