Fevereiro 25, 2018Cabelos, Fotografia

Um mês de cabelo rosa #pinkrapha

3 Comentários

Oi, gente! Ontem, dia 20, fez um mês que eu coloquei as tranças coloridas no cabelo. Caso você não tenha visto o post especial que eu fiz sobre isso, vou deixar o link aqui, pois foi uma chuva de comentários, links, elogios, surpresa e tudo mais! <3 Não estou reclamando não, viu? Foi a coisa mais linda que me aconteceu nos últimos meses, não pensei que vocês fossem gostar tanto quanto eu.

Como muitas pessoas acham bonito (e está tudo bem se você não achar também), quis compartilhar com vocês um pouco de como está sendo essa experiência para mim: ter cabelos longos e coloridos e me acostumar a chamar a atenção, mesmo quando não quiser.

Esse peso todo na minha cabeça, aaaaaii: a primeira diferença é bem óbvia – o peso. Eu nunca tive meu cabelo longo, ele sempre foi bem curto e, no máximo, chegou até os ombros. Lembro que quando passei pela transição que cortei tudo, a minha sensação foi de alívio e foi muito esquisito e gostoso, ao mesmo tempo, passar a mão na cabeça e encontrar apenas pequenos cachinhos crescendo. Dessa vez, É MUITO CABELO, GENTE! É muito cabelo mesmo! Demorou uns dias para que eu me acostumasse: caía nos olhos, não sabia como prender, estava doendo…

O que nos leva ao segundo ponto: DÓI, GALERA! Vou mentir? Não vou. É uma dor insuportável? Bem, eu não sei dizer, porque as pessoas reagem diferente a dor, é como tatuagem – dói muito para alguns, dói menos para outros. O quatro primeiros dias doeu muito, de sentir meus batimentos cardíacos no couro cabeludo, estava latejando bastante (sem exagero, sério). Mas depois disso, você acostuma com o peso e os nós vão afrouxando um pouco mais, então, é só questão de esperar mesmo. Eu tomei uns remedinhos para tentar aliviar, mas nem sei se fizeram efeito mesmo. Mas encontrei uma mina no carnaval que colocou, exatamente como o meu, e ela tirou depois de alguns dias porque não conseguiu suportar a dor. Teve outra mina que eu conheci que me disse que só ficou com o dela por um mês, porque mesmo depois de vários dias, ainda incomodava. Ou seja, vai depender muito da pessoa.
P.s.: obrigada a todas as manas que vieram me dar amor pessoalmente, sério. É inacreditável!

Dormir virou um problema pela primeira vez: euzinha, que nunca tive problemas para dormir, não estava conseguindo fazer absolutamente nada quanto a esse assunto 🙁 Pontos a serem considerados – muito cabelo, nós apertados, cabeça latejando, encontrar uma posição confortável onde não incomodasse seu couro cabeludo, o que fazer com tanta trança peloamordedeus. Nas primeiras noites, teve algumas que eu consegui me acomodar de maneira que o cabelo não caísse pela cama e pesasse e nem que doesse muito. Em outras, fiquei me revirando até encontrar uma posição confortável.

Eu não sei quantas gramas (ou seriam alguns quilos?) de cabelo tem comigo agora depois do alongamento, mas doía ficar solto, então, para deixar mais confortável, eu amarrava em um coque bem no topo da cabeça. Podem acreditar, meu pescoço parecia deslocado no meu corpo, porque é um peso considerável, galera. Mas sempre levem em conta que eu nunca tive o cabelo longo, okay?

A reação das pessoas: vocês, meus leitores e acompanhantes de redes sociais, estão inclusos nesse item, okay? GENTE, QUE LOUCURA! Cheguei em casa minha mãe adorou, minha irmã não falou muita coisa. Tirei as fotos e paaaaaaaaaaaaaaaaaam, tudo começou a acontecer de uma maneira diferente. Explico: não pensei que fosse ter uma repercussão dentro do meu espaço tão grande. Quando a Cássia e a Eva do Meninas Afro estavam fazendo, já estava achando lindo e, meu receio principal, era que eu não gostasse por ser colorido.

PINK IS MY NEW COLOR, BABY!

Se eu tivesse colocado apenas preto, tenho certeza que teria gostado, mas o resultado não seria esse amor que sinto por mim mesma no momento, não seria igual porque não era o que eu queria e, por receio, estava com medo de investir no rosa. Melhor decisão que tomei foi não me deixar ser vendida pelo medo. E assim, surgiu uma Rapha Rosa. O pessoal no trabalho ficou em frenesi, quando eu estava na rua as pessoas elogiavam (sim, tem quem olhe meio torto, mas quem se importa?), teve pessoas dentro do elevador pedindo para tocar e teve vocês, que me mandaram mais energia boa do que eu poderia esperar!

Melhores amigas para sempre e penteados: minhas amigas nunca se divertiram tanto em mexer no meu cabelo! E o mais gostoso é que foi uma experiência muito boa para mim também, ter pessoas se divertindo com o meu cabelo, mexendo, pesando, arrumando, tirando as trancinhas que caem nos meus olhos e no rosto… Aquela sensação querida, de ser amada, sabe? Os comentários de todos vocês foram muito importante, mas o amor que eu recebi de pessoas que eu amo, o carinho, os elogios = sem comparação. Tenho muita sorte de ter pessoas especiais na minha vida, tanto perto quanto longe de mim, que me animam quando quero desistir, que me exaltam quando eu estou tímida e assustada em ser a novidade, que me abraçam quando preciso.

Você começa a combinar as roupas de acordo com o cabelo: é muito engraçado como você, por exemplo, foge do vermelho quando está com o cabelo rosa. E descobre que aquela roupa guardando há anos no guarda roupa vai te deixar ainda mais linda! <3 Foi o que aconteceu com esse vestido da Renata Fiore, que eu tenho deve ter uns dois anos e que não usava já  tinha um bocado de meses. Fui fazer aquele limpa geral para tirar algumas roupas para doação e acabei encontrando essa maravilha rosa hahaha

Pequenas grandes mudanças + autoestima: reparei que comecei a me vestir de uma maneira que fosse tão legal quanto meu cabelo (galeraaaaaaaa, sempre lembrando que isso significa apenas que euzinha estou achando muito legal, não quer dizer que seja mesmo KKKK). Roupas coloridas com tons de rosa, macacão, vestidinhos, uns conjuntinhos que eu nunca usaria na vida, mas que fui lá e comprei para testar…

E comecei a tirar mais foto de mim mesma, coisa que eu não fazia há anos (tirar fotos aqui para o blog e redes sociais é diferente de tirar fotos de mim mesma, apenas para me admirar, para meu bel prazer). Isso tem muita contribuição da terapia, que está me ajudando muito a me tornar uma pessoa melhor e a me conhecer (falo sobre isso em outro post), consequentemente, amo estar vendo como estou feliz, com brilho nos olhos, me amando de uma maneira que nunca aconteceu antes.

Praticidade e ficar pronta em 20 minutos: muitas pessoas perguntaram também se dá trabalho. Só posso dizer que pretendo ficar pelo menos um ano com o cabelo assim (precisa trocar de três em três meses), pois nunca foi tão prático me arrumar rapidamente, sem me preocupar com cabelo. Quem tem os fios cacheados ou crespos, sabe a dificuldade que é para deixá-los bonitos, além de ter cronogramas, definições e o gasto com milhares de cremes para fazer tudo isso acontecer.

Estou lavando os cabelos uma vez por semana (geralmente, aos domingos). Vou na minha irmã que tem um salão, peço para ela lavar direitinho com suas mãos mágicas de cabeleireira pra esfregar direitinho e já  aproveito para secar com o seu secador super potente. Não sei se é o jeito certo ou se há alguma maneira correta… as instruções que recebi foi que não precisava usar cremes nem nada disso, para lavar com shampo ou sabonete de coco.

Minha mãe aderiu também: foi muito engraçado a reação da mamadí. Ela já usou rastáfari por muito tempo, uns dois anos pelo menos e quando ela me viu de trança, acho que sentiu uma saudadinha e quis ter novamente também. Sendo assim, uma semana depois, cá estávamos nós junto com as meninas de novo, dessa vez para deixar minha mãezinha ainda mais diva. <3

E é isso, gente! Daqui um mês eu volto com mais novidades!

posts relacionados

Deixe seu comentário

3 Comentários

  • […] ♥ Aquela decisão linda que sempre vai me deixar com olhinhos brilhantes! Já fiz post com um mês e dois meses de cabelo rosa. Mas, com três meses, o que […]

  • […] Todas essas fotos que estou postando são mais recentes, pois as fotos de quando eu coloquei as tranças já estão enfeitando o post de um mês de cabelo rosa. […]

  • […] vocês que assim que me viu de tranças pela primeira vez, ela ficou doidinha para colocar de novo, dá pra ler mais sobre isso no post sobre um mês de cabelo colorido ? Minha me inspira em muita coisa na vida, apesar das nossas diferenças de pensamentos com […]

  • Vídeos no canal

    @equalizeleitura
    © 2018 Equalize da Leitura • equalizedaleitura.com.brDesenvolvido com por