março 23, 2018Cabelo Curto, Cabelos, Cosméticos

3 anos de transição capilar + dois meses de cabelo rosa #pinkrapha

1 Comentário

TRÊS FUCKING ANOS DE TRANSIÇÃO CAPILAR!

cabelo cacheado exemplos

Tem vídeo de empoderamento com 1 ano de transição, tem vídeo conversa com 2 anos de transição e tem a gente agora com 3 anos de transição capilar

Se passaram t r ê s a n o s desde o dia que coloquei minhas duas irmãs para cortar o meu cabelo. Tem posts sobre isso aqui no blog, então, vou deixar o link que vocês conseguem ver tudo que está relacionado. Três anos me dedicando a ser que eu sou, me assumir completamente, colocar meu cabelo pra jogo, me empoderar e inspirar outras meninas a fazerem o mesmo! Não falo isso como forma de me gabar, do tipo: “olha lá, cortou o cabelo e está se achando a influencer.” Só estou compartilhando esse momento que foi passar pela transição e receber tantas mensagens de amor, carinho, força e saber que em algum nível, fui inspiração para que tantas outras se percebessem e vissem que desejam aquilo pra vida também.

Nunca estive tão completa e consciente de mim.

É um experiência muito louca e difícil de explicar.

intercâmbio em Malta

Como sempre costumo falar meus sentimentos com relação ao meu cabelo e os cuidados que eu tive, vamos lá: três anos depois e ele ainda está pequeno – meu desejo do coração é que os cachinhos pelo menos começassem a pesar e descer em direção as orelhas, mas nem isso aconteceu. Como é muito trabalhoso lidar com cabelo cacheado, o mais fácil foi sempre deixá-lo pra cima, blackzão mesmo do jeito que eu gosto. É trabalhoso? É. Mas ainda é mais fácil de lidar do que ter que finalizar todos os dias e blá blá blá. Ter cabelo cacheado e crespo é ter paciência e isso ainda me falta na quantidade certa hahaha

intercâmbio em Malta Blue Lagoon

De experiências, o mais incrível que tenho pra compartilhar acho que foi como meu cabelo chamou a atenção durante o intercâmbio. Quando eu saí daqui pra ir à Malta estudar, minha amiga Mari falou: “Rapha, você vai fazer sucesso, pois seu biotipo é totalmente diferente do que as pessoas da Europa estão acostumadas, e elas adoram.” Minha primeira reação foi rir, até parece, né? Mas o inacreditável aconteceu.

As pessoas me encaravam de uma maneira tão gostosa, que o sentimento que eu tinha era: como você é bonita!

Os meus colegas de classe de outros países perguntaram se meu cabelo era natural e quando uma pediu para tocar, os demais se animaram e perguntaram se eu deixava também que eles tocassem. Vocês imaginam quão incrível isso foi pra mim? Essa curiosidade de encaixar os dedinhos entre meus cachinhos, em sentir a textura, puxar levemente para ver o comprimento real… eu estou tão acostumada em viver em um país onde as mulheres são naturalmente assim, que ainda exalte a beleza delas (eu faço muito isso!), foi uma experiência nova vivenciar isso tão fortemente longe do país.

Viagem Roma

intercâmbio em Malta

Durante o intercâmbio, tive a oportunidade também de morar em uma cidade beira-mar, coisa que nunca aconteceu nesse clima desértico de Brasília. E é engraçado a percepção de poder andar com meu cabelo natural, sem ficar preocupada com chuvas, umidade, ter que arrumar depois… E foi quando eu parei de usar as faixinhas, vocês lembram delas? Desde a transição,  comprei uma quantidade enorme para usar junto com as roupas e dar um tcham, e não ficar com a cabeça pelada. Em Malta eu me desapeguei de muitas coisas e o uso delas foi o mais visível. Um dia estava usando. No outro não. E fui ser feliz.

Voltar pra casa sem esse trem apertando minha cabeça foi <3

modelos de cabelo cacheado colorido

Depois disso, minha única traquicangem foi que

De novo, tentei mudar a cor do cabelo.

Era pra ser rosa.

Ficou vermelho.

Se eu fiquei duas semanas com esse cabelo dessa cor, foi muito. E U A M E I, sério! Me senti muito hard, muito rebelde, muito fora do meu padrão. O que aconteceu foi que quis mudar assim que vi uma amiga da minha irmã que colocou tranças e quase morri de amores de tão linda que ela ficou!

Eu quero ficar assim também, foi o que pensei.

E lá fui eu aprontar novamente.


box braids coloridos
box braids coloridos

Não pensem que foi fácil tomar a decisão de qual cor de cabelo escolher, pois decisões sobre o que faço comigo, com meu corpo e mente eu já tenho controle, estou bem sobre isso. Estava com receio de não gostar, de não combinar. Mas aí pensei: Se não prestar, é só tirar! Larga de ser boba, Rapha!

A decisão mais complicada foi de que cor escolher: pensei em manter o preto, já que a mudança seria brusca, uma vez que nunca tive o cabelo longo. MAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAS, todas as vezes que olhava para o cabelo colorido, meu coração disparava um pouquinho mais. Pensei em branco, roxo, azul… mas esse rosa fofinho ficava me chamando, chamando, chamando…

Eis que o comprei mesmo e torci para que desse certo!

modelo box braids coloridos são paulo

Todas essas fotos que estou postando são mais recentes, pois as fotos de quando eu coloquei as tranças já estão enfeitando o post de um mês de cabelo rosa.

Nunca me senti tão completa, tão feliz, tão bem! Parece que estou resplandecente, sabe? A Gabi, minha amiga do coração, até falou: Rapha, você é a prova viva de que a energia que a gente exala, o universo retribui.

modelo box braids coloridos são paulo

Não tem como ser diferente, gente! Parece que o mundo estava esperando por este momento para mim, parece que eu estava esperando por este momento, pois tenho certeza que se tivesse colocado em outra fase da minha vida, talvez não estivesse me sentindo tão confortável  maravilhosa como agora.

Como é bom se amar! Como é incrível as pessoas verem o quanto você está se amando e bem! É muito perceptível: colegas de trabalho, minhas amigas, os crushes hahahaha, as pessoas na rua…

SABE O QUE FOI MAIS MARAVILHOSO? Nunca encontrei tantas manas para falarem diretamente para mim o quanto gostaram do meu cabelo, o quanto estava bonito, o quanto eu ficava bem nele. Comecei a receber elogios sinceros de mulheres maravilhosas e de maneiras bem variadas possíveis! Elas começaram a falar diretamente para mim o que eu me acostumei a falar para elas desde o momento que entrei nesse movimento de transição capilar, exaltar a mulherada e falar o quanto somos lindas & maravilhosas & charmosas & amáveis do jeito que nós somos!

Eu voltei a tirar fotos de mim mesma, comecei tirar fotos de quando achei que estava bonita com as minhas roupas diferentes, mas que talvez alguém pudesse dizer que não era, mas que… qual a diferença dessa pessoa na minha vida? Tirei roupas que não usava há muito tempo do guarda roupas e, por mais idiota & bobo & engraçado que possa parecer: comecei a combinar minhas roupas com o meu cabelo! E o cabelo e as roupas com o batom! E foi assim que eu me tornei a #pinkrapha e foi assim que o rosa voltou a aparecer na minha vida, para me exaltar como a mulher incrível que sei que sou #aquelas

É engraçado como chama a atenção mesmo, não apenas por ser um cabelo longo cheio de tranças, mas a cor faz toda a diferença. Chama a atenção até das crianças! HAHAHAHA Que foi outra coisa que tive que me acostumar: a conversar com pessoas estranhas que me encontraram e perguntaram sobre tudo a respeito desse novo cabelo.

modelo box braids coloridos

O mais legal foi que percebi que não tem problema eu mesma me achar linda, bonita, tirar minhas selfies e postar (eu sempre tirei muita foto de mim mesma, mas sempre mais distante, não muitas de rosto). Que não tem problema em antes de sair de casa tirar uma foto minha de corpo inteiro no timmer, que não tem problema eu me amar. Não tem problema em ser quem eu sou, mesmo que seja estranha ou bizarra (olha a Pitty na minha vida de novo! hahaha)

Cheguei em um nível de conhecimento pessoal e profundo que eu quero apenas ser feliz comigo mesma e isso está acontecendo. Me visto como quero, uso meus batons coloridos, faço meus passeios sozinha, planejo minha vida, viajo. Foi tão louco o que senti com esse cabelo, que sábado estava de cabelo longo e na quinta-feira seguinte estava no estúdio de tatuagem fazendo minhas novas três tattos, fazendo com que uma das minhas metas fosse cumprida também hahaha

O que sei agora é que quero essa fase por pelo menos um ano, para ajudar meu cabelo a crescer e ter mais 30 minutos de sono todos os dias que eu perdia quando estava com o cabelo natural! HAHAHA Quero escolher e testar mais cores, quero ficar jogando o cabelo na cara das migas, quero ficar fazendo coques abacaxi no topo da cabeça.

Quero ser essa Rapha que ama tanto ser quem ela é.

posts relacionados

Deixe seu comentário

1 Comentário

  • Michelly Melo
    24 março, 2018

    Oii!
    Mulher do céu! Quanta coragem!
    Depois de 10 anos com o liso, decidi voltar para o natural e faz apenas dois anos, mas o máximo que consegui fazer nele foi descolorir um tiquinho para dar um ar diferente nele. Morro de vontade de usar alguma cor diferente, mas eu também morro de medo de mudar haha. Um dia quero ter toda essa coragem!

    Imagino como deve ter sido bom a experiência fora do país com pessoas que sabiam reconhecer e admirar o que é diferente. Pelo menos, lendo o seu texto, me deu a impressão de que de alguma forma ajudou a manter a autoestima sempre lá no alto. Ainda mais porque a transição não é tão fácil para todo mundo.

    Eu amei esse post!

    Beijos
    http://www.dezoitoprimaveras.com.br

  • Vídeos no canal

    @equalizeleitura
    © 2018 Equalize da Leitura • equalizedaleitura.com.brDesenvolvido com por