julho 06, 2020Intercâmbio, Malta

Intercâmbio em Malta: por que escolhi esse país?

3 Comentários

Dando sequência tardia aos posts sobre meu intercâmbio em Malta, vou falar hoje os motivos para ter escolhido o país para viajar. Se não viu o primeiro post, é só clicar em Intercâmbio em Malta: Primeiras Impressões Viajando Sozinha.

Crédito

Meu intercâmbio para Malta foi em outubro de 2017. Mas como quero ser bem específica nas informações que estou passando pra vocês, venho dizer que desde 2012 – isso mesmo – que comecei a pesquisar sobre esse desejo e sonho de estudar fora do país. E comecei do jeito que todo mundo sabe: procurei por casas de intercâmbio em Brasília (onde eu morava à época) e fui pedindo maiores informações sobre cursos, países, custos, vistos, opções de escolas e tudo mais que é importante ser validado na hora de fazer um investimento desse. E fui muito crua mesmo: não sabia quais eram as possibilidades, as opções de estudo e trabalho juntos, quais países me ofereciam isso.

Aproveitem este momento de pesquisa para fazer todas as perguntas que se passar na sua cabeça, independente se você acha que possa ser idiota. Toda e qualquer dúvida deve ser sanada e é trabalho da agência de informar todas essas respostas.

As primeiras opções que me enviaram de destinos foi para a Irlanda: o país tem a possibilidade de visto de estudo + trabalho + férias que acaba atraindo uma quantidade enorme de estudantes brasileiros, além de estar muito próximo de outros países da Europa. Além de ser menos complicado a questão de visto e etc. É importante lembrar que nos primeiros contatos que fui fazendo, falei que queria intercâmbio de 6 meses com possibilidade de estudo e trabalho, era animada, gostava de sol e festas e aí a Irlanda já foi descartada hahaha. Depois que fui ajustando e calibrando os meus gostos, sugeriram a Austrália ou Canadá. E, por fim, ainda que não tenha a questão do trabalho, eles sempre vão jogar Estados Unidos pra vê se cola (quando me enviaram, me disseram que os Estados Unidos só permitiam trabalho para quem tivesse com visto de estágio ou faculdade).

Agora, pontos principais que devem ser levados em consideração para escolher o seu país de intercâmbio:

  • Tempo de intercâmbio: quantas semanas você quer e tem disponibilidade para estudar fora? Um mês, 3 meses, 6 meses, um ano?
  • Onde você vai ficar: casa de família, hostel, apartamento da escola, alugar um lugar?
  • Escola: você está disposto a pagar menos em uma escola menos conceituada ou quer investir em uma que já tem renome?
  • Clima: pode parecer besteira, mas o clima de um lugar afeta significativamente o seu humor e os seus horários. Por exemplo: detesto frio e chuva, então, não faz sentido ir fazer intercâmbio na Irlanda onde o clima predominante é esse.

Passou-se mais um ano e eu ainda não estava decidida e tinha deixado essa ideia de lado por vários motivos. Continuei pesquisando sobre destinos de intercâmbio e Malta apareceu como um que estava sendo bastante procurado por estudantes, pois era um destino b a r a t o. ? Ativou o sininho na minha cabeça. ? Entrei em grupos no Facebook de intercambistas falando sobre suas experiências, sobre as escolas e o país – uma ilha no meio do mediterrâneo com muitas praias, opções de lazer, uma vida noturna badalada e acessível, principalmente para um país da Europa.

Quando foi em 2016, recebi um e-mail de uma escola de intercâmbio que tinha uma promoção bem interessante. Tinha que levar em conta que seria um intercâmbio de férias, pois não teria mais o tempo de 6 meses para realizar o sonho inicial (nem organização financeira pra isso). O que acabou me conquistando foi que quando cheguei para conversar, eles me deram novas opções que saiam do eixo de países que já citei acima. Falaram de Malta, Nova Zelândia, África do Sul. Exceto a Nova Zelândia, os outros tinham sido opções que tinha sido sonhadas por mim e o agente da escola me mostrou algumas fotos da escola em Malta que é TOP 5, falou da possibilidade de viajar outros países próximos, que era uma ilha e tinha vários tipos de natureza a ser explorados, da vida noturna, que era extremamente seguro. Obviamente, não falou dos contras. Mas eu já estava em modo Malta completamente. O que é muito curioso: eu fiz um vídeo falando que um dos possíveis destinos do meu intercâmbio seria Malta e eu não lembrava disso!

Voltei pra casa e voltei a pesquisar sobre a escola, os prós e contras dos estudantes brasileiros que estavam indo. O que mais me chamou a atenção foi o fato de todos falarem que era um país barato de se viver, mas que não era glamouroso e ostentativo, principalmente por se tratar de uma ilha e as coisas não chegarem com rapidez, mesmo sendo um país da Europa. Outro ponto foi que estava entrando na rota de destinos de intercâmbio havia pouco tempo, ou seja, tinha poucos brasileiros. Era um país com clima ameno, que poderia tanto pegar praia quanto fazer escalada. Que era um país seguro, apesar da quantidade de estrangeiro. Todos os alunos que voltavam do intercâmbio, falavam da experiência incrível e como tinham gostado de estar em Malta.

Voltei na agência de intercâmbio e fechei no impulso (não recomendo fazer isso!!). Eu tinha a sensação que se não fosse naquele momento, não seria nunca! Com 1 ano e 3 meses de antecedência, assinei o contrato onde iria morar em Malta por um mês! Não sei quem já foi fazer qualquer coisa grande na vida, mas era a primeira vez que EU fazia e estava com sensação de experiência extra-corpórea. É uma mistura de sentimentos muito grandes e de aprendizados também.

Por isso, SEMPRE pesquise e QUESTIONE tudo que a agência colocar no seu contrato. Por quais motivos digo isso? Vou com um exemplo: fiquei na acomodação da casa de família com café da manhã e jantar. A host me deixava todos os dias cereais. E eu não como cereais. E isso não está no contrato que eles vão decidir o que vão te oferecer de comida. E, se você tiver alguma restrição, é imprescindível que isso fique claro.

Crédito

Acho que por hoje é só! No próximo post, vou falar valores reais de quanto foi meu intercâmbio pra vocês e todos os gastos que tive 🙂

Eu já fiz alguns vídeos também falando sobre intercâmbio, que vale a pena vocês conferirem 🙂

posts relacionados

Deixe seu comentário

3 Comentários

  • Fernanda Rodrigues
    07 julho, 2020

    Oi, Rapha!
    É muito legal ler como você se preparou e saber que você viveu experiências tão positivas em um lugar tão lindo!
    Tenho uma amiga que sempre fala sobre Malta, então vou mandar seu link pra ela! Quem sabe, no pós-pandemia ela não se anime?
    Um beijo,

  • Letícia
    07 julho, 2020

    Que bacana seu intercambio

  • Mariane
    07 julho, 2020

    Eu amei seu texto.

  • Vídeos no canal

    @araphadoequalize
    © 2020 Equalize da Leitura • equalizedaleitura.com.brDesenvolvido com por