Aplicativo, Aprender Inglês, Vídeos

capavideo

E LÁ VAI EU APRONTAR DE NOVO.

Tô surfando no Facebook para ver se aparece alguma notícia de livros que importe ser postada na página do blog quando PAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAM vejo uma notícia que muito me interessa sobre intercâmbio e PAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAM decido participar!

A Universia postou na página deles mas a página oficial do concurso é essa aqui. Se quiserem participar, lê as regras lá, mas basicamente é: postar um vídeo, em inglês, falando sobre os motivos para você ir estudar inglês durante duas semanas no Reino Unido.

Eu gravei o vídeo ~e foi uma dificuldade sem fim, vide abaixo~ pois eu não sei me expressar bem no idioma. E isso sim é ridículo. E aí o que era mais fácil, foi até okay. Mas de restante? Eu quero ir só para saber como seria me virar ~LONELY~ no inglês em um lugar desconhecido.

RELEVEM

palavras pronunciadas erradas.

frases sem sentido.

os cortes no vídeo.

minha cara de: por que eu faço isso?

a falta de entonação.

minha cara de desesperada.

a vergonha que eu sinto de estar compartilhando esse vídeo.

minha tentativa frustrada de falar alegremente em inglês.

minha cara de: por que eu faço isso? de novo

meu sotaque (okay, me rendi. eu realmente tenho sotaque)

heeeeeeeeeeeeeeeeelpi miiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

E já que VOCÊS chegaram até aqui, não custa nadica deixar um like no vídeo para ajudar a Rapha, né? Não é critério de avaliação, mas eu sempre acho que ajuda e como eu nunca pedi nada para vocês, TÁ NA HORA DE VOCÊS AJUDAREM.

.

.

.

.

.

BRINCADEIRA.

E dá para vocês participarem também. Vídeos enviados até o dia 31 de outubro serão avaliados, mas vão lá ler as regras porque eu não me responsabilizo por vocês. 😛

Aplicativo, Aprender Inglês, Duolingo
Fonte
Uma das minhas maiores frustrações e dificuldades na vida é o inglês. Eu xingava antes de falar a palavra: o maldito inglês, essa porcaria de inglês, essa merda de inglês, essa idioma maldito que eu não consigo aprender. E é isso: eu tenho uma dificuldade enorme de aprender o idioma. Só que você vai crescendo e almejando novos planos e caminhos e, de repente, se encontra impedida por não saber o idioma mundial. Quer mais frustração?
Eu fiz o básico de inglês, quando ainda estava no Ensino Médio, em uma escola de línguas. Foi na mesma época que eu estava terminando meu curso de espanhol e meus horários não estavam mais encaixando. Foi a oportunidade que eu tive para largar de vez algo que eu fazia porque a minha mãe obrigava.
Minhas maiores dificuldades:
  • Pronúncia: acredito, que o maior problema aqui, seja a vergonha. Quando eu tento falar em inglês, pareço aquelas crianças que estão sendo alfabetizadas e isso ocorre não por que eu quero, mas na minha cabeça eu começo a pensar como eu tenho que formar a frase + vocabulário + como vou falar e acabo falando pausadamente e com uma voz que certamente não é minha. Juro. Quando eu estudava, a maior parte dos alunos já conseguiam falar bem as palavras e eu sentia que estava ficando para trás, então, fui me retraindo. E como eu leio muita coisa errada ainda, o professor ficava corrigindo enquanto eu lia – não com a intenção de me envergonhar, mas de ensinar – então, eu meio que me escondia para que ele não me chamasse para ler nada na frente de todos. O que só piorou.

 

  • Vocabulário: como eu já falei, sei o básico. Eu assisto séries e filmes em inglês com a legenda em português e quando estou com muita vontade de fazer meu cérebro trabalhar mais, coloco o áudio em inglês e a legenda em espanhol e vice-versa. Eu não vou conseguir manter uma grande conversa com você e por muuuuuuuuuitas vezes eu vou acabar mesclando palavras em espanhol. Quando eu penso em outro idioma, naturalmente eu já começo a pensar no outro que eu domino, fora o português.

 

  • Expressar: eu consigo entender o que as pessoas falam em inglês, desde que elas não falem muito rápido e a conversa seja no nível básico. Eu entendo palavras soltas aqui e ali. Já aconteceu de nativos do idioma virem perguntar algo para mim, eu entender, mas não conseguir responder, fazendo por mímica, o que é ridículo. Agora mesmo no começo do ano voltando do Rio, eu estava sentada no chão carregando meu telefone. Apareceu um belga – sim, conseguimos manter o nível de conversa a ponto de eu saber o país de origem dele – e perguntou em inglês se eu estava conectada a internet do aeroporto. Eu falei que não, mas que eu sabia que tinha o sinal e mostrei para ele no meu telefone qual era. Aí ele começou a perguntar várias coisas.

Eu: I don’t speak English.
Ele: Yay? Do you speak what?
Eu: I speak Portugueeeeeeseeee and I speak Spaniiiiiish.

Por sorte ele era uma pessoa viajada pela Europa (claro) e entendia um pouco de espanhol. Eu comecei a falar  palavras soltas em inglês + frases básicas em espanhol + mímicas e nos entendemos bem, obrigada.
Fonte
Só que eu estou perdendo muitas oportunidades na vida mesmo por causa desse grande empecilho. Decidi encarar esse ano e estudar sozinha. Antes de tomar essa decisão, preciso dizer que eu nunca fui autodidata em nada na minha vida, tudo eu preciso que alguém me ensine para que eu possa aperfeiçoar a minha maneira. É importante frisar outra coisa: eu fui atrás de outras escolas de inglês para voltar a estudar, porque eu preciso de uma rotina e ritmo de estudo para me dedicar, PORÉM, nas que eu fui eles querem me ensinar desde o I, you, he, she… que eu já sei e eu, QUE NÃO SEI NADA, ainda pesquei a ‘professora’ ensinando algumas coisas erradas. E aí que eu não consigo passar no nivelamento oral, já que como eu falei ali em cima, tenho dificuldades em me expressar.
Por onde começar, então?Parece besteira, mas conversando com o meu amigo Brian pelo whatsapp, ele me falou que estava aprendendo italiano por um aplicativo no celular. Eu, claro, comecei a reclamar que não conseguia aprender inglês e blá e aí a surpresa: ele disse que esse mesmo aplicativo ensina inglês. Eu corri e baixei o Duolingo.

O aplicativo é muito fácil de usar. Clicando nos botões, você vai ser encaminhado para os exercícios propostos, que começam no nível básico. São 20 exercícios em cada botão que vai de tradução de frases inglês-português, escrever o que você ouve, usar o microfone para repetir uma frase. Ele tem vários idiomas, também, então se você quiser aprender russo, já dá! :3

A cada etapa que você passa, ganha pontos que você pode trocar por outros botões com lições bônus, como as que ensinam expressões.

Imagens dos meus níveis no aplicativo.

O legal do aplicativo é que ele vai verificando quando você está errando ou enfraquecendo em algum nível, que é quando as barrinhas deixam de ficar todas completinhas, então está na hora de você retornar a lição para não esquecer mais. Dentro de alguns botões existem, por exemplo, 4 lições que você tem que passar para completar o nível, como por exemplo, o botão de preposições. Se você enfraquecer em alguma palavra, ele te mostra qual é e abre uma lição específica de ‘Palavras Mais Fracas‘ para você treinar novamente. Como eu dei uma pausa por causa das festas de final de ano, as barrinhas de vários botões caíram e eu vou retornar para deixá-las preenchidas antes de seguir em frente.

Eu estou me encaminhando para o Verbos: Presente 2. Enquanto eu não for passando pelas lições corretamente, as demais ficam travadas.

Quem já tem noção básica ou intermediária e quer ir avançando as etapas, sem precisar passar por aquilo que sabe, tem como pegar atalhos, que é uma espécie de teste de nivelamento. Eu resolvi começar do início mesmo e foi bacana porque eu descobri que ainda me lembro de muita coisa que aprendi, o que dá certo ânimo quando você já está desmotivado e sabe de todas as suas limitações no aprendizado.

Eu acho que é um bom aplicativo para quem está buscando várias formas de aprender. Vocês podem baixar o aplicativo no Google Play e na Apple Store. It’s free! Em tempo, o aplicativo também fornece um certificado de proficiência no idioma que você está estudando. Eu já pude pegá-lo em vários, mas eu não sei exatamente como funciona e até onde ele seria aceito como certificado válido de idiomas.

Outra opção que eu estou verificando e que me atrai muito, mas que é necessário desembolsar $$ (que eu não estou tendo muito no momento) é fazer a assinatura das Revistinhas da Turma da Mônica em inglês. Acho que esse desejo apareceu desde a Bienal 2013 quando a Panini estava fazendo a assinatura no stande deles. O desejo ficou incubado e quando eu estava pesquisando técnicas de estudo, me veio à mente. Outro ponto é que eu aprendi a ler com os gibis, então, já tem espaço no meu coração. O problema é que eu não sei até que ponto elas realmente me ajudariam.

Outra maneira também seria começar a ler livros em inglês, mas como eu estou no nível intermediário, não sei quais seriam os livros indicados. Procurei por alguns (mas acho que fiz a busca errada) para livros infantis. Apareceu só Peppa Pig e eu me recuso a ler o livro da porca. Desculpa, gente. Apareceu também Usando Livros Infantis para Aprender uma Segunda Língua, que não são tão infantis. O que vocês me indicam para ler, de literatura atual, mas que para uma pessoa que nunca pegou em um livro de literatura em inglês conseguiria ler e entender? Preciso de dicas, help me! 😀

Fonte

Tentei mostrar para vocês o que eu estou fazendo para tentar aprender sozinha algo que eu já tenho dificuldades. Eu tenho sorte, apesar de tudo, de ter pessoas que têm uma grande nível de inglês ao meu lado e que sempre me tiram dúvidas quando eu tenho algum problema com palavras ou expressões. Eu também peguei um moleskine que estava rodando na minha mesa de trabalho e comecei a anotar palavras para ir lembrando de vocabulário. Eu ainda sou daquelas pessoas que só aprendem alguma coisa quando escrevem no papel.

Se quem tiver dicas, fez o mesmo que eu e está enfiando a cara nos livros sozinho, sabe de aplicativos, grupos, mandingas e superstições para ajudar, me avisem! Ficarei muito feliz de receber um feedback de vocês a respeito. 🙂

Assista aos Vídeos
Equalize da Leitura © 2010 - 2016 ♥ Todos os direitos reservados
Tema desenvolvido por Débora M.