Editora Verus, Publieditorial, Resenhas, Vídeos

Título: Corpo Título original: Body – #1 Série Trinity Autora: Audrey Carlan Ano: 2017 Editora: Verus Número de páginas: 364

Editora Verus, Resenhas, Vídeos

14741835_1419847441363490_553331258_n-1

Oi, gente! Como vocês estão? Depois de algumas semanas com pedidos, lamentos, lamúrias, por favores pelas redes sociais, parei de ficar enrolando, gravei as resenhas de A Garota do Calendário: Março, Abril, Maio e Junho. Não tem motivos para ficar enrolando, se vou ler e vocês querem saber a minha opinião. Vocês podem ver a resenha de A Garota do Calendário: Janeiro e A Garota do Calendário: Fevereiro. Confiram abaixo o vídeo, deixem o joinha e seu comentário que eu estou respondendo todo mundo! <3

Autor Independente, Editora Verus, Gustavo Ávila, Livros Nacionais

Título: O Sorriso da Hiena Título original: Autor: Gustavo Ávila Ano: 2015 Editora: Publicação Independente Número de páginas: 304

Depois que terminei o livro ainda fiquei refletindo sobre ele, é inevitável, porque você tenta digerir tudo aquilo que foi escrito.

Vocês precisam entender que eu não gosto de ler sinopses, mas algumas vezes é inevitável, como foi no caso de O Sorriso da Hiena. Estava eu, iniciando a leitura toda animada, ainda nas primeiras páginas, e o que li me causou um desconforto tão grande, um arrepio, que precisei lê-la para ter uma noção do que estava por vir. Ainda não sei se fiz bem ou não. A história tem um enredo instigante, e realmente é uma leitura que te prende, você quer saber as próximas etapas, o final.

O livro conta o dilema moral/ético do psicólogo infantil William, que tem o desejo de tornar o mundo um lugar melhor. A sua tese de doutorado trata sobre o desenvolvimento da maldade humana, no entanto, ele tem a teoria e nenhum caso prático para se debruçar. E daí eu te pergunto: até onde você iria para compreender a maldade humana?

Eu não quero fazer um curativo no dedo, eu quero… tirar o corte da faca.

Neste momento David entra em contato com William e propõe repetir o mesmo que aconteceu com ele na infância, isto é, ter os pais assassinados. Surge assim a oportunidade que William precisava: acompanhar o crescimento de crianças que sofreram um trauma na infância. Não sei se vocês repararam, mas é muito macabro, me causa horror imaginar uma situação assim: “olha eu vou matar os pais dessas crianças e o seu papel é estudá-las enquanto cresce”. É nesse nível a conversa entre os dois.

Como um dos aspectos da história são os assassinatos, tem a investigação policial conduzida pelo detetive Artur, que é detentor de uma personalidade peculiar, diria até que engraçada algumas vezes, pois em alguns momentos quebra a tensão da história. Há diversas teorias sobre a motivação dos crimes, as tentativas de encontrar pistas e decifrá-las e a frustração quando se encontra diante de um caso complexo, aparentemente, sem solução. Assim, é um livro interessante para quem gosta de enredos policias, fora é claro, o lado psicológico.

Pessoas más são pessoas tristes. Por isso elas são más.

Tenho que mencionar também como os personagens são bem construídos e fortes. Nada na história é dito sem um motivo. Sabe quando tudo vai se encaixando enquanto a leitura avança? Sim, é assim que acontece em O Sorriso da Hiena. É uma sensação gostosa e ao mesmo tempo estranha, porque você percebe o quanto David pensou em tudo desde o início e como envolveu as pessoas numa proposta pessoal de autoconhecimento.

Depois que terminei o livro ainda fiquei refletindo sobre ele, é inevitável, porque você tenta digerir tudo aquilo que foi escrito. Eu não sei nada de psicologia, além é claro, das matérias obrigatórias na faculdade, mas é um campo do saber interessantíssimo, principalmente, no que diz respeito ao estudo de mentes criminosas. O livro nos faz refletir sobre como o ambiente em que somos criados ou as experiências vivenciadas podem ou não nos modificar de uma maneira irremediável. O cérebro é tão complexo quanto as nossas relações humanas.

Existem trechos que tratam da ineficiência da polícia e até mesmo sobre a corrupção policial, ou como o Estado simplesmente falha ao cumprir com seu papel constitucional de proteção. Além disso, também temos aquele personagem que nos emociona por ainda acreditar na humanidade mesmo estando diante do seu algoz. O personagem David é extremamente complexo, porque além de ser o assassino ele também é vítima, quando eu imaginava que não poderia haver mais nenhuma surpresa por parte dele, era de novo surpreendida. A história é de uma genialidade incrível, o livro é maravilhoso e eu o li em um dia porque não conseguia parar sem saber o final.

O livro é escrito por um autor nacional, até então independente, o Gustavo Ávila. Contudo, sua história magnífica já alcançou os olhares de pessoas maiores e a Editora Verus vai publicar o livro ano que vem. Não tenho nenhuma ressalva, fora alguns errinhos de revisão e diagramação que realmente ficam em segundo plano diante da obra escrita por ele.  Espero ter a oportunidade de ler mais coisas publicadas por ele, pois é o tipo de autor que me faz orgulho indicar para outras pessoas.

12345
Assista aos Vídeos
[wonderplugin_carousel id="2"]
Equalize da Leitura © 2010 - 2016 ♥ Todos os direitos reservados
Tema desenvolvido por Débora M.