Editora Intrínseca, Resenhas

Título: Agora e Para Sempre, Lara Jean Título original: Always and Forever, Lara Jean Autora: Jenny HanAno: 2017 Editora: Intrínseca Número de páginas: 304

Eu gostei do livro? Gostei. Acho que dos três é o que a história mais amadureceu e as problemáticas da Lara, ainda que não sejam os problemas mais desesperados e preocupantes do mundo, fazem parte do mundo dela e okay, não me incomodou.

Depois de ter passado por Para Todos os Garotos que Já Amei e P.s.: Ainda Amo Você, chegamos em Agora e Para Sempre, Lara Jean, que deveria ser o último livro da trilogia. Falo deveria pois acredito, no fundo da minha alma leitora que não comprou os livros anteriores mas acabou aceitando a história, que a autora não parará por aí.

Lara Jean ainda tem muito a mostrar.

Neste terceiro livro, acompanhamos Laranjinha com uma dúvida apertando sua mente: qual faculdade ir depois que concluir o Ensino Médio. Sua opção é seguir o Peter para a faculdade que ele vai, já que ganhou uma bolsa de estudos por causa da sua prática de lacrosse. Além de ficar perto do namorado, ela também fica perto de casa e TCHARAM! Tudo seria absolutamente lindo! ♥ Mas as coisas não saem conforme o planejado e pode ser que ela tenha que pensar em um plano B.

Além de todas as questões relacionadas a faculdade, que acabam tirando seu sono e deixando todos ao redor tensos de ansiedade por conta de seus sonhos e desejos, Lara vai ter que passar por outras experiências junto com as irmãs e o próprio pai, experiências essas que ela não pensou que fossem acontecer depois da morte da mãe.

Entre ter que se dedicar aos estudos, todas as descobertas e alegrias e frustrações namorando Peter, suas preocupações com a vida, nossa protagonista nos apresenta sua história de uma maneira muito divertida e autora nos prende as suas palavras por saber como conquistar um leitor.

Então, vamos lá. Eu gostei do livro? Gostei. Acho que dos três é o que a história mais amadureceu e as problemáticas da Lara, ainda que não sejam os problemas mais desesperados e preocupantes do mundo, fazem parte do mundo dela e okay, não me incomodou. Gosto da maneira como a autora coloca algumas lembranças da mãe nesse livro e o quão importante é a opinião dela para Lara, que lembra nos momentos de decisões importantes em sua vida.

O namoro da Lara com o Peter é bem gostoso de ler, tem todos aqueles sentimentos de quem se está apaixonado e o garoto é realmente bem fofo. Algumas cenas eu achei bem desnecessárias, só que, mais uma vez lembrei que dentro do contexto fazia sentido, então acabei deixando passar.

O que me fez gostar desses livros são as cenas que não tem tanta importância para o desenvolvimento no geral, como a Lara Jean cozinhando e fazendo todas as suas receitas, a interação com a Kitty, como ela é preocupada e super organizada, sua falta de conhecimento em algumas coisas que a torna tão natural. São esses pequenos detalhes que foram me cativando. Nesse livro o que eu mais gostei foram das preocupações dela com relação à faculdade pois, de fato, é um momento importante e muito legal da vida – sua indecisões, medos, acompanhar o processo de seleção que é tão diferente do nosso…

Como eu repeti nas resenhas anteriores, Kitty sempre será uma personagem à parte e que deveria ganhar um livro apenas com suas peripécias e ler sobre como sua mente aguçada trabalha. A menina é incrível, sincera em sua idade e esperta de uma maneira inesperada. É praticamente ter passado por esses três livros sem ter uma frase, uma cena, uma ação em que não riu com a Kitty. Gosto da maneira despretensiosa que a autora escreve seus diálogos, algo tão rápido e que se enquadra tão bem dentro da cena.

No geral, senti que esse livro não teve um ciclo concluído, um fim onde você fica: “Nossa, como foi bom acompanhar você por todo esse trajeto, Lara Jean.” Simplesmente porque a história acaba com um final bem aberto, tanto que fiquei procurando mais uns três ou quatro capítulos, do tipo: é isso? Não estou falando que o final seja ruim, porque não é,  mas não me passou a sensação de completude: a autora ainda tem tanto a explorar junto à personagem que foi por isso que eu fiquei com essa sensação, pois acaba que alguns assuntos abordados – e que são importantes – ficaram nesse balaio de “imaginação” e não “conclusão”. Eu sou leitora que quero saber com todas as letras o que aconteceu com o personagem.

Li alguns leitores falando que foi o livro que eles menos gostaram e pra mim foi o mais legal de ler, exatamente por esse amadurecimento da personagem. Vai de gosto mesmo e espero que para os fãs da trilogia, autora e a Lara Jean, tenha atendido as expectativas.

Livros Nacionais, Livros Únicos, Publieditorial, Resenhas, Sem categoria, Vídeos
Título: Dândis de SelmaTítulo original: Autor: Nicolás IrurzunAno: 2017 Editora: Giostri Número de páginas: 172

Amazon, Autor Independente, Editora Perse, Livros Nacionais, Livros Únicos, Publieditorial, Resenhas

Título: O Fim Que Os Deuses Darão a Mim ou a Você Autor: Edson Soares Ano: 2017 Editora: Perse Editora Número de páginas: 828

Com certeza um dos pontos mais positivos com relação ao livro é as diversas maneiras que o autor tem de escrever, ora brutal, ora extremamente sentimental

Oi, gente? Tudo bem com vocês? Hoje eu vim falar pra vocês sobre o livro O Fim que os Deuses Darão a Mim e a Você, do autor nacional Edson Soares. Meu primeiro aviso te antemão é: não se intimidem com o quantidade de páginas!

Em O Fim que os Deuses Darão a Mim e a Você vamos conhecer alguns moradores da pequena e agitada cidade de Ludovica. Feitosa é o delegado dessa cidade e acaba sendo por onde nós vamos conhecer e acompanhar todos os acontecimentos – mas, lembrem-se, existem muitos personagens aqui para serem conhecidos! Em meio a vários causos que tem que resolver na cidade, ainda tem que lidar com a insatisfação pessoal quanto a sua pessoa da esposa e as duas filhas. As coisas começam a esquentar, porém, quando o ator Pedro Bulhões é assassinado e Feitosa começa a investigar o caso, junto com a sua equipe e nessa trama de descobrir possíveis culpados, somos apresentados a diversos outros personagens como Quitéria, a mãe do Feitosa, sua filha Letícia que mantém um diário com seus pensamentos mais íntimos, um serial killer que encanta, um garoto de programa que quer melhorar de vida e acredita que essa seja a melhor saída…

Como que todos esses personagens vão se cruzar por causa da morte de um homem?

Então, vamos lá! Vamos falar sobre esse livro gigante que consumiu alguns dias meus e várias horas para que eu pudesse escrever para vocês o mix de sentimentos reunidos. Os personagens do livro são desenvolvidos de maneira inteligente, alguns nós conhecemos o passado, outros apenas uma amostra do passado recente, o suficiente para que ele tenha sua própria força e características no presente.

Feitosa acaba sendo o personagem que mais aparece, mas existem outros que, para mim, são tão importantes e mais interessante que ele. O mais curioso é que de uma maneira ou de outra esses mesmos personagens vão se sobressair, vão mostrar para o que veio. Exemplo claro é de Diva, a menina que vê a mãe ser assassinada. Aqui é bem claro para mim que as definições de liberdade são diferentes para cada ser e Diva é tão doce, tão ingênua, tão amorosa. Ela merecia muito mais, mas o que ganha já é o suficiente.

Com certeza um dos pontos mais positivos com relação ao livro é as diversas maneiras que o autor tem de escrever, ora brutal,  ora extremamente sentimental, se adequando aos personagens – se é uma adolescente escrevendo em um diário, teremos um texto todo marcado, riscado, com sonhos, desejos, temores. Se é uma peça de teatro, teremos todas as características desse texto; se são pessoas simples, violà, esperem por uma linguagem de rua ou cheia de gírias. O autor não tem medo de dar vida sobre quem ele está escrevendo e isso é mágico. Um contador  que consegue se adaptar ao que é necessário para deixar sua história o mais próximo do real é simplesmente incrível. Existe força em suas palavras, uma relevância para que elas se tornem ainda mais presentes.

É um livro complexo, cheios de histórias interligadas, muitas delas nos faz ansiar em descobrir o que vai acontecer e a quantidade de reviravolta que tem apenas prende o leitor em suas páginas, onde conhecemos o ponto de vista de mortos, o melhor lado de um ser humano e também o pior, como uma mãe ama uma filha além da morte e como alguns filhos não respeitam os pais. É muito difícil de falar de um personagem, especificamente, quando todos eles tem sua própria trajetória.

Meus problema com o livro foram, de fato, a quantidade de páginas que ele tem. Eu sou uma pessoa que me sinto intimidada em alguns momentos por livros muito grandes e em vários momentos senti que não eram necessárias tantas páginas para o desenvolvimento do livro, ainda que tenhamos diversos pontos de vistas. Em alguns momentos a leitura torna-se maçante, pois as informações ali presentes não tem relevância. Além de tudo isso, existem alguns elementos fantásticos da história, que eu não sei bem se me agradam, mas que também não atrapalha na leitura.

Assista aos Vídeos
[wonderplugin_carousel id="2"]
Equalize da Leitura © 2010 - 2016 ♥ Todos os direitos reservados
Tema desenvolvido por Débora M.