Posts arquivados em: Tag: Editora Intrínseca

Maio 22, 2017Editora Intrínseca, Resenhas

[Resenha] Five Nights at Freddy’s: Olhos Prateados

0 Comentários

Título: Five Nights at Freddy’s: Olhos Prateados Título original: Five Nights at Freddy’s: The Silver Eyes Autores: Scott Cawthon e Kira Breed-WrisleyAno: 2017 Editora: Intrínseca Número de páginas: 368

Depois de ler esse livro, você não vai mais querer dormir com aqueles bichinhos fofos de pelúcia te olhando a noite toda.

Veja mais em: http://www.intrinseca.com.br/fivenightsatfreddys/

Charlie é uma garota de 17 anos que está voltando para visitar sua cidade natal, depois de ter passado longos dez anos tentando esquecer todo o horror que havia passado por lá.

Ela não se permitia lembrar de muitas coisas, mas sabia que na época era muito feliz na pizzaria de seu pai, a Freddy’s Fazbear, com todos aqueles brinquedos gigantes que encantavam as crianças e divertiam os adultos pela engenhosidade.

Desde pequena aquilo foi sua família: brinquedos que seu pai criava e que falavam, dançavam, chamavam seu nome. Na pizzaria, seus amigos também participavam da diversão. Charlie, Marla, Jéssica, Lamar, Carlton, John e Michael eram inseparáveis, até que aquilo os separou.

Dez anos antes, eram todos melhores amigos. E então aquilo aconteceu, e tudo acabou, pelo menos para Charlie. Não os via desde que tinha sete anos. […] Michael era a razão da viagem, afinal. Tinham se passado dez anos desde sua morte, dez anos desde o acontecimento, e os pais do menino queriam que que todos se reunissem para uma cerimônia em sua homenagem.

Com o reencontro dos amigos na velha cidade, surgiram também as recordações que a garota tanto tentava bloquear: as mortes que ocorreram na pizzaria de seu pai; os corpos que nunca foram achados, inclusive o de Michael; o criminoso que nunca foi pego. Por isso quando a ideia de voltar à Freddy’s Fazbear surgiu na roda de conversa dos jovens, Charlie não pensou duas vezes em aceitar: melhor terminar com isso logo.

Entre Bonnie e Chica estava o famoso Freddy Fazbear, que levava o nome do restaurante. Dos três, era o mais simpático e adorável e parecia bem tranquilo. O urso marrom e robusto – mas com a fantasia flácida – sorria para a plateia segurando seu microfone e ostentando uma gravata-borboleta preta e uma cartola. O único detalhe incomum em suas feições era a cor dos olhos, um azul-claro jamais visto em outro urso.

Depois que Dave, o segurança do shopping abandonado que havia sido construído em volta da Freddy’s, decidiu entrar junto com o grupo na pizzaria e que os brinquedos que ainda estavam lá começaram a se mexer de forma nada carismática, a ideia de terminar com isso logo não pareceu tão boa assim.

Olhos Prateados é o primeiro livro da trilogia Five Nights at Freddy’s, baseado no famoso jogo de terror criado por Scott Cawthon. No jogo, você assume o papel do segurança e vê os animatrônicos ganharem vida dentro da pizzaria. No livro, escrito por Cawthon, juntamente com Kira Breed-Wrisley, você descobre o que há por trás de todas aquelas mortes misteriosas e aqueles brinquedos assustadores.

A pergunta que todos que me viram com esse livro na mão fizeram foi: dá medo igual o jogo? A resposta varia. Existem dois tipos de pessoas que gostam do gênero de terror: o primeiro tipo é o que gosta de susto, o segundo tipo é o que gosta da história. O primeiro pode não gostar tanto da leitura – pois é fato que o ambiente e sons de jogos e filmes dão um ar mais realista para o enredo, o que não ocorre no caso do livro –, já o segundo tipo vai simplesmente amar!

A Intrínseca caprichou na estética do livro, mas ainda acho que eles poderiam ter colocados imagens dos animatrônicos para o leitor se familiarizar. Fora isso, tudo perfeito, comecei e terminei o livro satisfeita com o enredo e louca para saber como serão os próximos dois livros e como irão explorar mais essa história. Depois de ler esse livro, você não vai mais querer dormir com aqueles bichinhos fofos de pelúcia te olhando a noite toda.

Era o coelho, o mesmo coelho marrom-amarelado que eles adoravam, mas naquele momento não dançava, nem cantava, só estava parado, olhando para as crianças, sem piscar. […] Charlie podia enxergar os olhos dele, seus olhos humanos, e ficou congelada de terror.

Maio 15, 2017Editora Intrínseca, Resenhas, Vídeos

[Resenha] Somos Todos Extraordinários

0 Comentários

Título: Somos Todos Extraordinários Título original: We’re all Wonders Autora: R.J PalacioAno: 2017 Editora: Intrínseca Número de páginas: 32

Um livro do mundo Extraordinário para os pequeninos também aprenderem sobre gentileza.

Março 20, 2017Editora Intrínseca, Resenhas

[Resenha] Nimona

0 Comentários

Título: Nimona Título original: Nimona Autora: Noelle StevensonAno: 2016 Editora: Intrínseca Número de páginas: 272

Nimona é uma graphic novel que fez eu me apaixonar por cada página e desenho contidos nela.

ATENÇÃO:

A resenha a seguir contém alguns quadrinhos retirados do livro, mas não há spoiler.

Nimona é uma jovem metamorfa com uma tendência um pouco maléfica e seu objetivo é ser o braço direito do vilão Lorde Ballister Coração-Negro. Isso se torna fácil diante de sua condição de se transformar em basicamente tudo o que quiser e a partir daí ambos se juntam para mostrar a verdadeira face da Instituição de Heroísmo e Manutenção da Ordem, que detém a confiança do rei e de seu povo até então.

Lorde Ballister Coração-Negro é um vilão (que está mais para anti-herói) de um braço só, que estranhamente segue todas as regras. Ele não sai por aí matando todos, nem planeja tomar o poder ou algo do tipo – simplesmente vive sua vida lutando contra seu arqui-inimigo, Sir Ambrosius Ouropelvis, que arrancara seu braço quando ambos eram heróis da Instituição de Heroísmo.

Nimona e Coração-Negro são perfeitos juntos. Ele planeja, segue as regras, vai para seu laboratório de ciências, tenta não matar ninguém e ela faz a coisa acontecer, coloca fogo, vira um bicho – literalmente – e tira sarro da ciência que ele tanto preza. É o adulto responsável e a jovem aventureira em ação.

Nimona é uma graphic novel que fez eu me apaixonar por cada página e desenho contidos nela. Não é segredo nenhum que eu amo histórias em quadrinhos e mangás, mas no mundo das graphics novels sou nova e me surpreendi positivamente com todas que li até agora. Acho muito legal as editoras estarem dando oportunidade para elas.

E sabe qual a melhor parte? As páginas. Ai-meu-deus, eu pirei quando abri esse livro. Os desenhos são todos coloridos e as páginas são todas lisas, que coisa mais linda de ver, cheirar, pegar, colocar na estante! No final ainda tem uns especiais de natal que foram publicados pela autora na internet, com umas histórias aleatórias dos personagens, que já me fez sentir saudade de Nimona.

Os personagens têm histórias de vida maravilhosas, que foram abordadas na medida certa. Os quadrinhos são engraçados, as transformações de Nimona são hilárias, a amizade entre todos e o final são lindos. É um livro pra criança, pra jovem, pra adulto, pra quem quiser uma leitura rápida e uma história boa.

Nimona mereceu o destaque e o capricho que a Intrínseca deu a ela. Afinal, quem não sente que tem um monstro dentro de si às vezes?Nimona,

dezembro 23, 2016Editora Intrínseca, Resenhas, Vídeos

[Resenha] Contos Peculiares

0 Comentários

Título: Contos Peculiares Título original: Tales of the Peculiar Autor: Ranson RiggsAno: 2016 Editora: Intrínseca Número de páginas: 208

Para os fãs de O Lar da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares, é indispensável!

novembro 04, 2016#RaphaTodosOsDias, Editora Intrínseca, Resenhas, Vídeos

[Resenha] Biblioteca de Almas

0 Comentários

Título: Biblioteca de Almas Título original: Library of Souls Autor: Ranson Riggs Ano: 2016 Editora: Intrínseca Número de páginas: 416

O livro inteiro tem um toque de humor inteligente que também se dá por causa dos demais personagens que aparecem no decorrer da leitura,

resenha-de-biblioteca-de-almas-equalize-da-leitura

Confiram a resenha de Biblioteca de Almas, o terceiro livro da trilogia Lar da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Assistam também a resenha de O Lar da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares e Cidade dos Etéreos.

setembro 11, 2016AÇÃO: Vida de Leitor, Vídeos

AÇÃO: Vida de Leitor – Livros Incríveis que Poucas Pessoas Conhecem

0 Comentários

vidadeleitorsaomaravilhososmaspoucaspessoasconhecem

A ação VIDA DE LEITOR é promovida por 6 booktubers, onde a cada semana elas indicarão livros referente a um tema predeterminado! O divertido é você acompanhar as diferentes interpretações e dicas de cada uma e conhecer mais livros!

Tem um vídeo pequeno de apresentação que eu fiz sobre o projeto:

E inscrevam-se nos canais de todas para receber as notificações de vídeos novos:

Minha Vida Literária

Livros & Fuxicos

Queridinhos da Estante

Segredos Entre Amigas

Palavras Radioativas

Essa semana tem como tema LIVROS INCRÍVEIS QUE POUCAS PESSOAS CONHECEM! Foi bem difícil encontrar esses livros para indicar para vocês, porque geralmente eu gosto muito e fico perturbando para vocês lerem ou já são livros que são conhecidos por todos. Me esforcei um bocadinho e segue abaixo as minhas indicações, espero que gostem.

agosto 12, 2016Editora Intrínseca, Resenhas

[Resenha] Lugares Escuros

0 Comentários

Título: Lugares Escuros Título original: Dark Places Autora: Gillian Flynn Ano: 2015 Editora: Intrínseca Número de páginas: 352

Confesso que esperava sentir um pouquinho de medo lendo, o que não aconteceu nem de longe, apesar de ter visto pessoas indicando lugares abertos e claros para lê-lo.

Libby Day tinha apenas 7 anos quando sua mãe e suas duas irmãs foram assassinadas em sua própria casa, no Kansas. O caso ficou conhecido como um sacrifício satânico e a pequena Libby testemunhou contra seu irmão, Ben Day, de 15 anos, acusando-o pelos assassinatos.

l1

A família Day era bastante pobre e Patty, a matriarca, tinha que lidar com as dívidas da fazenda em que viviam e dar conta de criar os 4 filhos sem nenhuma ajuda. Após sua morte, Ben foi condenado à prisão perpétua e Libby foi cuidada por familiares.

Passados 25 anos, o dinheiro doado por pessoas caridosas para ajudar a bebê Libby – agora já mulher – estava acabando e em busca de sustento ela conhece o Kill Club, uma sociedade secreta obcecada por crimes estranhos, como aquele que ocorrera em 1985 com a família Day.

Os integrantes do Kill Club de modo algum acreditavam que Ben Day havia assassinado sua própria família e, aos poucos, foram convencendo Libby a ir mais a fundo na história, afinal, ela tinha apenas 7 anos no dia do assassinato e mesmo assim um júri completo levou seu testemunho muito à sério e condenou um garoto de 15 anos à uma prisão perpétua.

– Ele tinha motivos suficientes para oito recursos – anunciou Magda grandiosamente. Eu me dei conta de que ela era uma daquelas mulheres que apareciam à minha porta para gritar comigo. Fiquei contente de nunca ter dado meu endereço a Lyle. – Não lutar não significa que seja culpado, Libby, significa que ele perdeu a esperança.

Lugares Escuros foi lançado em 2015 no Brasil e, logo após, Charlize Theron interpretou Libby Day na tela de cinema. Este ano, foi relançado com uma capa simples, porém melhor que a anterior, que era a mesma do filme.

A narrativa do livro é interessante por mostrar três visões diferentes dos acontecimentos – além de Libby, Patty e Ben também mostram sua visão do passado. Quando a narração volta para o presente aos olhos de Libby, o suspense todo em volta dos assassinatos e a certeza que o Kill Club tinha de que Ben era inocente deixam o leitor em êxtase.

l3

Apesar de causar curiosidade, é um livro com poucos diálogos, o que pode deixar o leitor um pouco cansado e entediado. Eu, particularmente, senti dificuldade com a narração, principalmente no começo, não só pelo cansaço, mas também pelo fato de os personagens não serem muito impressionantes.

Você não consegue torcer por um personagem, nem se identificar com ele, apenas pensa em descobrir o que aconteceu na noite dos assassinatos. O filme traz a mesma sensação. Libby Day não é tão interessante quanto sua história e nem Charlize Theron conseguiu salvar isso.

Escolhi esse livro pois estava em uma vibe de terror e suspense. Confesso que esperava sentir um pouquinho de medo lendo, o que não aconteceu nem de longe, apesar de ter visto pessoas indicando lugares abertos e claros para lê-lo.

O final, porém, é surpreendente. Não consigo acreditar que alguém tenha adivinhado exatamente o que aconteceu na data de 3 de janeiro de 1985, na casa da família Day, pois é inimaginável. Ponto para a autora, que já é conhecida por suas histórias bem originais. Confiram também a resenha de Garota Exemplar.

Manquei até o telefone da cozinha, puxei-o para o chão, disquei o número da minha tia, o único que sabia de cor, e, quando Diane atendeu, gritei Estão todas mortas! em uma voz que feriu meus próprios ouvidos por sua intensidade. Depois me enfiei no espaço entre a geladeira e o forno e esperei por Diane.

No hospital eles me sedaram e removeram três dos meus dedos do pé congelados e meio dedo anelar. Desde então, tenho esperado para morrer.

Janeiro 18, 2016Editora Intrínseca, Livros Nacionais, Resenhas

[Resenha] Surpreendente!

3 Comentários

gsTítulo: Surpreendente Título original: Autor: Maurício Gomyde Ano: 2015 Editora: Intrínseca Número de páginas: 272

Eu gostei do livro? Sim, eu gostei. Porém, não senti toda essa emoção que eu li várias pessoas comentando e que me fez ficar ansiosa pela leitura.

Eu demorei a escrever sobre Surpreendente! e a publicar a resenha por motivos de… não sei realmente. Eu gravei em vídeo, achei ruim, deletei e cá estou. Vamos então.

Pedro é recém-formado em Cinema e seu sonho, que está tornando-se o desafio da sua vida, é criar um roteiro e gravá-lo e, assim, concorrer a um prêmio consagrado. Como a vida é bem irônica, Pedro nasceu com uma doença degenerativa que o tornaria cego dentro de alguns anos, então, meio que explica os motivos para o seu desespero com o roteiro + filme. Mesmo que a doença esteja estacionada e não haja evolução no quadro, gravar virou a missão da sua vida.

Enquanto tenta manter o último cineclube de São Paulo aberto, trabalhar em uma locadora nas horas vagas e tentar enfiar um pouco de filmes clássicos na cabeça dos poucos clientes, Pedro conhece Cristal, a jovem atendente do bar que tem em cima do Cineclube, estudante de Física Nuclear, que o intriga por sua personalidade e beleza ruiva.

Como a vida é bem irônica (mais uma vez), Pedro descobre que nem tudo na vida dele é como realmente pensou que fosse e parte em uma descoberta: desses segredos e de si próprio. Em um carro pego ’emprestado’ sem o consentimento do dono, Pedro, Cristal, Fit – seu amigo da faculdade de Cinema -, Mayla – uma garota que o ajuda no bar -, embarcam para Pirenópolis, em Goiás, em busca do roteiro perfeito: sem amarras, sem roteiro, sem planejamento. Apenas gravar, fazer aquilo que der vontade, capturar o melhor ângulo: apenas câmeras, gravar tudo durante a viagem, fazer o que for necessário para uma boa imagem e descobrir o que precisa ser descoberto. E assim começa essa nova história, que sem pretensão de se tornar um roteiro, acaba sendo o melhor de todos.

12301501_1019080268114254_502924851181828804_n

Eu gostei do livro? Sim, eu gostei. Porém, não senti toda essa emoção que eu li várias pessoas comentando e que me fez ficar ansiosa pela leitura. Quando eu comecei a ler, na verdade, foi arrastado e, talvez, se eu não tivesse falado para mim mesma: ‘vamos terminar esse livro hoje‘ e ter virado a madrugada lendo, não sei se teria ficado animada em continuar. E foi uma surpresa agradável quando a leitura realmente começou a fluir, pois eu fui me sentindo cativada e interessada em descobrir qual seria o final e o sentindo inteiro do livro, já que no começo eu comecei a me questionar se ele teria um, de fato. Os personagens estão lá, mas nenhum deles conseguiram me cativar exceto, talvez, Crystal, por ser tão excêntrica, mas nem mesmo Pedro conseguiu ganhar minha simpatia no decorrer da leitura, mesmo sendo o personagem principal.

Uma coisa que eu gostei bastante foram os diálogos criados entre os personagens que me lembra MUITO (e que eu adoro) os livros do Nicholas Sparks. São criadas brincadeiras, piadas, respostas rápidas e que fazem sentido no contexto. Nesses momentos, eu deixei um sorriso brotar o meu rosto, pois é quase como se eu conseguisse realmente visualizar o jogo de palavras, os sorriso marotos, os olhares cheio de respostas.

É o segundo livro do autor que eu leio e para mim é mais do que perceptível o seu crescimento de um para o outro: aqui eu encontrei uma história mais madura, com dose de romance sem exageros, com uma parte mais poética até e um anseio de fazer e realizar que é tão comum em jovens. Achei tudo maravilhoso? Não, tem algumas partes que me soaram bem forçadas, mas que não desprezam o restante da obra no seu conjunto. Algo que me incomodou e que, talvez, fosse dispensável, são alguns termos técnicos que o autor utiliza mas que não faz diferença para o andamento da história.

Acredito que os fãs de cinema vão gostar de ler algo relacionado a esta arte dentro de outra arte. Eu, particularmente, não sou tão chegada a cinema (pelo menos não pelo produto final em si), mas tem muitas referências à clássicos e, apenas pelo Maurício ter tido a audácia de escrever algo relacionado ao cinema, já é de uma inteligência incrível, pois acabou unindo dois mundo nos quais encontramos verdadeiros devotos.

dezembro 17, 2015Editora Intrínseca, Resenhas, Vídeos

[Resenha] Auggie & Eu

2 Comentários

gsTítulo: Auggie & Eu Título original: Auggie & Eu Autor: R.J Palacio Ano: 2015 Editora: Intrínseca Número de páginas: 326

Siiiim, saiu a resenha de Auggie & Eu! Eu simplesmente A.M.O. tudo que a R.J Palacio publica e aqui elas nos presenteia com os três contos que tinham sido publicados apenas em e-book: O Capítulo de Julian, Plutão e Shingaling! Vocês podem ler a minha resenha de Extraordinário e 365 Dias Extraordinário. Aproveitem também para ver os vídeos relacionados com o tema no canal!

Vídeos no canal

@equalizeleitura
© 2018 Equalize da Leitura • equalizedaleitura.com.brDesenvolvido com por