Posts arquivados em: Tag: Um Caso Perdido

abril 17, 2017Trechos preferidos de livros, Vídeos

Meus trechos PREFERIDOS de livros!

0 Comentários

Acho que vocês vão gostar desse vídeo tanto quanto eu gostei de separar material para gravá-lo. Saí fuçando a estante, vendo resenhas antigas aqui no blog, buscando por…

Meus trechos preferidos em alguns livros! 

Sério, acho que é um dos vídeos mais amorzinhos que eu já gravei para o canal e que eu acho que, talvez, vocês queiram várias versões dele. Caso gostem, me avisem, viu? Vai ser uma prazer enorme refuçar a estante novamente e ficar lembrando das histórias que eu mais gostei e, claro, indicando mais livros para vocês.

Vou aproveitar para deixar todas as resenhas dos livros citados aqui para vocês conferirem:

Amante Eterno
Desculpa se te Chamo de Amor
Anna e o Beijo Francês
O Céu Está em Todo Lugar
Um Dia
Três Metros Acima do Céu 
Filha da Tempestade 
A Linguagem das Flores
Cruzando o Caminho do Sol
A Música que Mudou a Minha Vida
A Probabilidade Estatística do Amor À Primeira Vista
Extraordinário
Sou Louco por Você
Como eu Era Antes de Você
Um Caso Perdido
Dias de Sangue e Estrelas
Azar o Seu

novembro 07, 2016#RaphaTodosOsDias, Vídeos

Livros que não deveriam ter continuação – #RaphaTodosOsDias

2 Comentários

14940195_1248517431837202_2354897714917802919_o

Você ama de paixão um livro. Tudo bem. Daí vem o autor e resolve escrever uma continuação e seu mundo desaba. PARA QUÊ VOCÊ ESTÁ FAZENDO ISSO, SE JÁ É TÃO PERFEITO? #choro É sobre esse livros que eu vou falar hoje: livros que não deveriam, de forma alguma, ter continuação.

Confiram todos os vídeos do mês #RaphaTodosOsDias

abril 29, 2015Editora Galera Record, Resenhas

[Resenha] Sem Esperança

2 Comentários

gsTítulo: Sem Esperança Título original: Losing Hope Autora: Colleeen Hoover Ano: 2015 Editora: Galera Record Número de páginas: 320

De certa forma, esse livro foi uma boa adição. De outra, pode acabar sendo repetitivo. Não é algo que pudesse ter sido evitado, porém, considerando o conteúdo do livro.

Opa, minhas resenhas dos livros da Colleen Hoover estão virando fichinha fácil aqui. E lá vou eu falar de novo (para a resenha de Um Caso Perdido, clique aqui) dessa história que parte corações. Pois bem, se você não leu o primeiro livro, recomendo que o leia primeiro. Este aqui é sob a perspectiva de Holder, mas nós começamos a compreendê-lo no primeiro livro e acredito que é melhor respeitar a ordem mesmo. Se não leu o primeiro, esta resenha pode conter spoilers.

Eu costumava pensar que a melhor parte de mim havia morrido com Les, mas a melhor parte de mim está bem na minha frente agora.

É ainda, a meu ver, a história de Sky, mas dessa vez entrelaçada ao antes e depois da vida de Holder. Minha visão deste livro continuou seguindo a mesma linha do primeiro, vemos momentos já vividos, agora pelos olhos de Holder. Foi bom porque eu gostei de conhecer mais da família de Holder, em especial sua irmã, e compreender melhor porque Holder achava que tinha decepcionado sua irmã também. Eu entendo de onde venha sua culpa, mas depressão é o que é, e no fim das contas a irmã dele precisou de um tipo de ajuda que ele não tinha como oferecer. E também entendo de onde vem sua culpa em relação a Hope, mas vocês que leram o primeiro livro devem concordar quando eu digo: ainda bem que ele fez o que fez.

Eu não me lembro o que é se importar o suficiente com a vida a ponto de que o pensamento de morrer pudesse me destruir.

Pode-se dizer que a dose de sofrimento nesse livro é reforçada, então prepare os lenços. De verdade. Teve momento que eu queria chorar por Holder, por Sky, e por Les. Três vidas afetadas grandiosamente por outra vida. Aquelas situações do primeiro livro que dava para pensar ‘Que garoto estranho’… Poder ver o que estava passando pela cabeça dele foi ótimo. Por isso eu prefiro POVs de terceira pessoa aos de primeira: ter acesso a um lado só da história limita nossa visão, parece que não estamos explorando todo o seu potencial.

Minha atenção está constantemente presa a ela como se eu fosse uma bússola e ela fosse meu Norte.

As críticas que fiz ao primeiro livro ainda estão nesse. Mas esse livro nos dá alguns presentes. O relacionamento de Holder com sua irmã é precioso, e é injusto que o destino lhes roubou um tempo de ser família de verdade. A mãe de Holder… Bem, eu tenho um problema em livros que mostram os pais sucumbindo a um sofrimento e se esquecendo que os filhos também sofriam. Eu gosto de constatar a humanidade das pessoas, nossos pais ainda são pessoas que sentem, choram, e reagem, eu sei disso… Mas a mãe de Holder falhou no que não devia falhar: ser mãe. O relacionamento de Holder com seu pai me pareceu inacabado; a briga que fez com que ele saísse de casa nunca foi explorada ao fundo, assim como a reconciliação.

O relacionamento de Holder e Sky… Na verdade, eu não vi muita diferença. Holder me parecia ser bastante transparente em seus sentimentos (ainda que não no porquê deles). Aquelas frases de efeito fantásticas de Colleen Hoover vêm em maioria dele, então isso já nos dá uma boa idéia. Senti muito aqui, como já era esperado, que o sentimento dele por Sky começou por causa de sua semelhança com Hope e que as ações seguintes são todas pautadas nisso.

– Você sempre esteve lá, sabe. Mesmo quando eu não me lembrava disso… Você sempre esteve lá.

Quando ele descobre a verdade e fica naquela indecisão se devia confessar a Sky ou não, uau, pode ter certeza que ninguém gostaria de estar com esse tipo de decisão nas mãos. É mais do que um segredo, ele tinha nas mãos o poder de desconstruir a vida de Sky. O peso disso é demais para alguém carregar.

– Eu amo a Hope desde que éramos crianças. Mas esta noite? Esta noite eu me apaixonei por Sky.

De certa forma, esse livro foi uma boa adição. De outra, pode acabar sendo repetitivo. Não é algo que pudesse ter sido evitado, porém, considerando o conteúdo do livro. Mas se Holder já era incrível com a parte exterior que tínhamos dele, imagine um acesso irrestrito aos seus pensamentos, sentimentos, e sua pessoa? É para querer agarrá-lo como um travesseiro fofo num sábado à noite e levá-lo consigo pelo resto dos dias.

Nunca tenho muito que dizer sobre uma sequência de livro que é a mesma história contada por outro personagem (Como aconteceu com a resenha do livro Esta Garota da mesma autora), porque parece que estou apenas copiando tudo o que já foi dito (o que de fato seria verdade), mas posso dizer algo com segurança: quem gostou de Um Caso Perdido, não pode errar com esse aqui. E quem já é apaixonado(a) por Dean Holder, queridos… Vocês não sabem da missa um terço.

Pela primeira vez desde o segundo em que ela foi levada de mim, eu sei o que é ser perdoado.

Vídeos no canal

@equalizeleitura
© 2019 Equalize da Leitura • equalizedaleitura.com.brDesenvolvido com por